Mutações inebria e transforma Festival de Curitiba com Luís Melo, Andréia Nhur e Alex Bartelli

Mutações é destaque no 32º Festival de Curitiba com forte beleza poética © Lina Sumizono Blog do Arcanjo 2024

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Enviado especial ao Festival de Curitiba*

Com reportagem de GIOVANNA BOHRER
Estudante de Jornalismo da Universidade Positivo, sob supervisão da professora e jornalista Katia Brembatti

Em um espetáculo que representa as constantes transformações da vida, não é espantoso que o público também saia transformado após a experiência multissensorial do espetáculo “Mutações”, apresentada nesta última sexta-feira (5) no Guairinha. Com direção de André Guerreiro Lopes, a peça, ao longo dos 70 minutos de duração, coloca à prova sua premissa do momento em que se inicia até o final. 

Por meio de uma iluminação intimista, o público é atingido pelas palavras que expelem da boca dos atores Luis Melo, Andréia Nhur e Alex Bartelli. É como se a entonação das vozes ultrapassasse a fronteira da audição e instigasse todos os sentidos que o corpo é capaz de experimentar. 

Inspirado pela obra milenar da filosofia chinesa “I Ching”, a estrutura narrativa torna-se uma das protagonistas da peça. Monólogos e diálogos sobrepostos, constantemente interrompidos pela iminente escuridão, refletem parábolas taoistas e recorrem ao uso de uma linguagem poética e simbólica na intenção de refletir a condição humana. 

De acordo com André Guerreiro Lopes, o espetáculo aborda muito a questão da perspectiva na relação do homem com a natureza. “Tudo depende de como você vê. As coisas vão se alternando, nada é o que é. Tudo está em constante transformação. Se tem uma coisa que não muda é a ideia da mutação, tanto que o I Ching é o livro das mutações, se baseia nessa ideia da observação do homem e da natureza. E isso é a própria vida, o próprio teatro: estar seguro de que nada é permanente”, explica.

Acompanhado da intensidade do texto, está o cenário com referências aos elementos da natureza, em especial, o vento. “Esvoaçante, etéreo e, de certa forma, bruto”. São as palavras usadas pela estudante de artes visuais Gabriela Nascimento para descrever o espaço em que se inserem os personagens. “Os elementos do palco me chamaram muito a atenção, e a maneira com que os atores se movem e contracenam com cadeiras, escadas e tecidos chega a ser hipnotizante”, acrescenta. 

A sensação que fica é a impermanência. O desejo pela imobilidade frente a tantas possibilidades de mudança é tentador, mas cai por terra ao entender que esse é o único traço da vida que não muda. O público caminha em direção à porta de saída ciente de sua condição mutável, mas contente por reconhecê-la através de um espetáculo como “Mutações”. 

*O jornalista e critico Miguel Arcanjo Prado viaja a convite do Festival de Curitiba.

Acompanhe o Festival de Curitiba no Blog do Arcanjo!

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Ouça Arcanjo Pod no Spotify

Blog do Arcanjo no YouTube

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Jornalista cultural influente e respeitado no Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, desde 2019. É Mestre em Artes pela UNESP, Pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, Bacharel em Comunicação pela UFMG e Crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e apresenta o Arcanjo Pod. Eleito três vezes um dos melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, UMA, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. Integra o júri de Prêmio Arcanjo, Prêmio Jabuti, Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prêmio Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Prêmio Guia da Folha e Prêmio Canal Brasil de Curtas. Vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil, Prêmio Leda Maria Martins e Medalha Mário de Andrade do Prêmio Governador do Estado, maior honraria na área de Letras de São Paulo.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *