Satyros vence 2 prêmios nos Estados Unidos com Roberto Francisco e peça com Quênia, na África

O ator Roberto Francisco, do Satyros: prêmio póstumo nos EUA – Foto: Edson Lopes Jr. – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

A Cia. de Teatro Os Satyros, fundada por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, representou o Brasil e venceu duas categorias no Young-Howze Theatre Awards, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Vázquez participou do evento via transmissão digital e agradeceu, emocionado, os dois prêmios conquistados. Pioneira no teatro digital durante a pandemia, a companhia paulistana competiu em 3 categorias, das quais levou duas, colocando mais uma vez o teatro brasileiro no radar mundial.

A premiação estadunidense elegeu Roberto Francisco, ator falecido em 2021, a Melhor Ator do Ano pela peça A Love Song; e Toshanisha – The New Normals, a produção que Satyros realizou em parceria com a Bold Theatre de Nairóbi, no Quênia, venceu na categoria melhor colaboração mundial.

O prêmio Young-Howze Theatre Awards é uma idealização do dramaturgo norte-americano Rciky Young-Howze e da roteirista Dana Young-Howze, sua esposa e sócia, a da plataforma cultural R&D Young-Howze. Ele foi concebido justamente para celebrar essa nova forma de teatro que ascendeu com a pandemia: o teatro digital.

O casal comenta que o desejo que realizar tal comemoração nasceu da vontade e necessidade de eternizar os inúmeros trabalhos maravilhosos realizados durante esse difícil período de distanciamento social.

Cartaz da peça Toshanisha, parceria do Satyros com o Quênia – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

O Blog do Arcanjo dá detalhes dos espetáculos vencedores:

A Love Song (Uma Canção de Amor)

Com direção geral de Rodolfo García Vázquez e Gustavo Ferreira, dramaturgia por Henrique Mello e Roberto Francisco, que também protagonizaram o espetáculo, A Love Song (Uma Canção de Amor) teve como inspiração e fonte de pesquisa o teatro do dramaturgo Jean Genet. Inspirada nas obras do escritor francês, a peça narra um romance entre dois presidiários, um homem de meia -idade e um senhor de 80 anos, que criam relações e desvendam a vida e o amor através da cela que os separam. Uma ode poético-erótica através do olhar de Jean Genet, onde dois condenados, cada um em sua cela, divagam em sonhos lascivos criando a imagem do outro, alimentando seus gozos e mais íntimos fantasmas.

Toshanisha – The New Normals

A produção é fruto de uma parceria especial que uniu o teatro sul-americano com o africano. A peça, que é digital e foi adaptada do texto Novos Normais, original do Satyros, acompanha sete quenianos, espalhados por diversas regiões; um congolês, que vive em um campo de refugiados no Quênia; e uma brasileira, direto de São Paulo. Fez parte da construção narrativa do espetáculo a reflexão acerca de questionados advindos com a pandemia de COVID-19 e os desafios que o novo formato de realidade impostos por essa nova ordem mundial instaura, como ‘Eu sou quem realmente pensei que era? ’ e ‘Como faço para continuar ‘sendo’, no momento em que todos foram forçados a viver sob uma perspectiva diferente?’.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP The Crown mostra que Charles traiu Diana