Marina Sena sobe ao pódio da música com De Primeira

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

De Taiobeiras para o mundo. A frase sempre soou completamente verossímil a quem viu Marina Sena cantar. Após trajetória de farto diálogo com grandes músicos nos grupos A Outra Banda da Lua e Rosa Neon — sim, ela já teve duas bandas e ao mesmo tempo —, agora é a vez da mineira nascida na divisa do Norte de Minas com o Vale do Jequitinhonha, terra de arte farta, ganhar voo solo com a chegada de seu primeiro disco do qual é dona por completo, De Primeira.

O título ela pega emprestado de uma expressão de sua avó, Dona Stelina. Mais mineiro, impossível. Mas o charme de Marina, assim como do conterrâneo Guimarães Rosa, é imprimir universalidade ao que lhe é intrínseco. “Quero que meu som ultrapasse a barreira da língua e atinja o mundo inteiro, pessoas que vão se levar pelo ritmo, pela melodia, e que vão entender do que se trata a música só no sentir”, afirma.

De Primeira, uma parceria dos selos Alá e Quadrilha com distribuição da Altafonte, é o momento para Marina Sena assumir as rédeas do seu destino. “Eu amo trabalhar com banda, mas, realmente, seguir solo me traz muitas liberdades artísticas e de decisões que eu gosto muito”, afirma a artista em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo.

Artistas comentam disco De Primeira de Marina Sena

Marina Sena lança disco De Primeira - Foto: Fernando Tomaz/Divulgação - Blog do Arcanjo 2021
Com referências fartas, Marina Sena lança álbum De Primeira – Foto: Fernando Tomaz/Divulgação – Blog do Arcanjo 2021

Uma cantora, duas bandas

E este jornalista e crítico sabe de sua capacidade de se doar ao grupo e jamais se esquece da noite de 6 de dezembro de 2019, já histórica, quando Marina Santa se dividiu com intervalo de poucas horas entre o show com o Rosa Neon no Z do Largo da Batata e na sequência se apresentou com A Outra Banda da Lua no Jazz B na República, em maratona digna de grande estrela que se anunciava. Em ambos os shows todos os olhos estiveram voltados para seu farto carisma, originalidade vocal e presença indiscutível de cena.

Passado de glória: acima, Marina Sena no clipe Cavalaria com A Outra Banda da Lua em 2018, abaixo, no clipe Ombrim, com Rosa Neon, em 2019 - Fotos: Reprodução - Blog do Arcanjo 2021
Passado de glória: acima, Marina Sena no clipe Cavalaria com A Outra Banda da Lua em 2018, abaixo, no clipe Ombrim com Rosa Neon em 2019 – Fotos: Reprodução – Blog do Arcanjo 2021

“Eu acho que eu sou o que é A Outra Banda da Lua e o Rosa Neon com um plus, mas acho que eu carrego sempre todas as referências que tive na minha carreira”, define Marina, valorizando seu passado, mas seguindo em frente como pede a vida.

E é justamente a mistura da brasilidade de A Outra Banda da Lua com o pop refinado do Rosa Neon e sem medo da sonoridade jovem contemporânea que ela apresenta em seu novo trabalho, acrescido de generosa dose do que já excedia nas duas bandas: ela mesma.

Marina Sena lança disco De Primeira - Foto: Fernando Tomaz/Divulgação - Blog do Arcanjo 2021
Com grande poder de sedução, Marina Sena lança álbum De Primeira – Foto: Fernando Tomaz/Divulgação – Blog do Arcanjo 2021

Voz única e farto carisma

Dona de grande poder de sedução e um timbre vocal que é só dela, a artista conta com faixas produzidas por Iuri Rio Branco com mixagem de Guigo Berger e masterização de Felipe Tichauer, além de dez vídeos — um para cada faixa — sob direção de Vito Soares.

Dona de inconfundível voz, Marina Sena lança álbum De Primeira – Foto: Fernando Tomaz/Divulgação – Blog do Arcanjo 2021

Nas fotos de divulgação do álbum é impossível não enxergar Marisa Monte como referência. Contudo, Marina Sena é maior do que qualquer comparação com suas antecessoras na MPB. Este crítico, quando a viu pela primeira vez cantando Cavalaria com A Outra Banda da Lua buscou misturas tão díspares quanto Gal Costa, Nara Leão e Elis Regina para tentar defini-la, o que deixou evidente a falta de predecessora e que Marina Sena tem personalidade farta demais para ser cópia de qualquer coisa. E fazia tempos que a música brasileira não ganhava uma artista deste porte. “Quero conquistar tudo que sei que consigo com minha energia”, avisa.

Como o disco De Primeira deixa transparecer em cada detalhe, Marina Sena é a sua própria estrela.

Artistas comentam disco De Primeira de Marina Sena

Ouça o álbum De Primeira, de Marina Sena!

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico de artes Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo – Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

1 Resultado

  1. 20/08/2021

    […] cantora Marina Sena acaba de lançar seu primeiro disco solo, De Primeira, que já a colocou no pódio da música brasileira, como definiu o crítico e jornalista Miguel Arcanjo Prado. Diante da novidade, o Blog do Arcanjo […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *