Após humor polêmico no #29M, Tina faz autocrítica em clipe: ‘Pesei a mão’

Por Miguel Arcanjo Prado
@miguel.arcanjo

A Roda Viva da fama gira rápido no mundo digital. Após muito refletir, a personagem humorística Tina resolveu transformar em arte a forte polêmica sobre o humor feito por ela nos protestos do #29M contra o presidente Jair Bolsonaro e que quase causou seu cancelamento nas redes por parte da esquerda. “Eu pesei a mão”, reconhece a personagem criada pelas atrizes Isabela Mariotto e Julia Burnier no clipe Tempestade, lançado no Instagram @a.vida.de.tina.

O vídeo foi gravado Igor Marotti, o Glauber Rocha do Teat(r)o Oficina no terreno ao lado do espaço e que pertence a Silvio Santos, onde o grupo sonha em instalar o Parque Bixiga. Isabela Mariotto é integrante do grupo teatral, o mais longevo do país, com 62 anos de trajetória libertária e à esquerda. O clipe ainda teve produção musical com beats da paz de Felipe Ionescu Botelho. Há quem reconheça no vídeo inspiração em Dilúvio, o famigerado clipe lançado por Karol Conká após o cancelamento no BBB.

Pelo jeito, Tina não aceitou ser bode expiatório e transformou seu clipe-resposta em um sonoro: “mééééééé”. Como aprendeu a fazer com Zé Celso. Veja o clipe:

Entenda o caso

A personagem Tina costuma ser altamente irônica com o campo jovem progressista e privilegiado da sociedade. Ela fez vídeos nos protestos do #29M na avenida Paulista, contrária ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seu desastre na condução da pandemia. Com seu jeito satírico, Tina protestou contra o fascismo com muito glamour, com coreografias ao som de “Fascismo stop, é hora do amor e a nossa luta top” e uma ciranda para encerrar.

Parte da esquerda não gostou da sátira e condenou fortemente a personagem nas redes, onde ela foi ameaçada de cancelamento. A polêmica lembrou a “patrulha ideológica”, termo cunhado pelo cineasta Cacá Diegues na década de 1970, quando o diretor foi atacado por conta do filme Xica da Silva, de 1976, protagonizado por Zezé Motta. O filme foi acusado de ser festivo pela esquerda ideológica de então.

Tina é interpretada por Isabela Mariotto e dublada por Julia Burnier.

Veja os vídeos polêmicos de Tina no protesto #29M:

Personagem premiada

Criada em 2020 por Isabela Mariotto e Julia Burnier no Instagram, a personagem Tina rendeu às criadoras em abril último o Prêmio Arcanjo de Cultura 2020 na categoria Redes, aos cuidados da jurada Zirlene Lemos: “Pelo humor ferino das atrizes Isabela Mariotto e Julia Burnier no Instagram, onde a personagem conquistou o público inteligente com uma cutucada divertida no campo progressista privilegiado”, justificou o júri presidido por Miguel Arcanjo Prado.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordenada a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *