Bomba, censura e confusão marcam peça com Jesus travesti em Garanhuns

Renata Carvalho em “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” – Foto: Humberto Araujo – Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Uma enorme confusão com estouro de bomba, som desligado e presença da polícia e de oficiais da Justiça marcou a apresentação da peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, em Garanhuns, interior de Pernambuco, nesta sexta (27).

A montagem escrita pela dramaturga transexual escocesa Jo Clifford e dirigida por Natalia Mallo é protagonizada pela atriz travesti santista Renata Carvalho.

Ela vem sendo vítima de preconceito e represálias pelo fato de ser travesti e interpretar Cristo na obra teatral.

A peça havia sido censurada pelo Governo de Pernambuco da programação do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), após pressão de líderes religiosos e políticos locais.

Contudo, a Justiça, em nome da liberdade de expressão artística garantida pela Constituição, ordenou que a peça voltasse à programação do evento e tivesse sessão nesta sexta (27).

De toda forma, Renata e sua equipe realizaram primeiro uma apresentação independente, já que, após a censura, ela recebeu doação de verba de apoiadores de todo o Brasil para ir a Garanhuns por conta própria, por meio de uma bem sucedida vaquinha online.

Bomba, gritaria e confusão

Após fazer esta primeira apresentação, enquanto a atriz e a equipe aguardavam para começar a segunda, dentro da programação do FIG, explodiu uma bomba no espaço.

Logo depois, oficiais de Justiça entregaram uma liminar, proibindo a segunda sessão pelo FIG.

Segundo relato da diretora Natalia Mallo, no intervalo entre as duas sessões, houve “um estrondo e muita fumaça”.

“Após soltarem bombas no espaço, chega uma liminar judicial (a pedido da Ordem dos Pastores Evangélicos) pedindo mais um cancelamento”, conta.

A atriz Renata Carvalho – Foto: Bob Sousa – Blog do Arcanjo – UOL

Segundo a diretora, a segurança contratada pelo FIG proibiu, então, a entrada do público.

Isso revoltou não só os espectadores como também a atriz Renata Carvalho, que disse ser vítima de preconceito, ódio e censura, e resolveu continuar a peça de forma independente, enquanto o público gritava contra a censura, chamando os agentes de “fascistas”.

“Cortaram o som (cantei a trilha sonora a capela), cortaram a luz. Tiraram o toldo que protegia o público da chuva, e a peça não parou”, relata a diretora.

“O público ficou até o fim, e foi a nossa proteção. Agora, quando achamos que acabou, nova decisão exige novamente a inclusão na programação do festival, pedindo que [o espetáculo] seja apresentado neste sábado”, informa Mallo.

Se não houver novas reviravoltas judiciais, a peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” será apresentada neste sábado (28), último dia do FIG, dentro da programção oficial.

A escocesa Jo Clifford em cena de sua peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu: peça mostra o amor de Cristo por todas as pessoas – Foto: Divulgação

Segundo contou ao Blog do Arcanjo no UOL a dramaturga escocesa que criou o enredo, Jo Clifford, que se afirma cristã, a peça recorre aos ensinamentos de Cristo para mostrar justamente a perseguição de seres marginalizados pela sociedade, como é o caso das pessoas trans. Leia a entrevista com a autora da peça. Leia também a crítica para a peça.

Ironicamente, o tema do FIG este ano é “um viva à liberdade”.

Siga Miguel Arcanjo Prado

Você pode gostar...