Mel Lisboa é destaque na Mostra de Cinema de Tiradentes e se prepara para ser Rita Lee em musical

Mel Lisboa é destaque na 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes com filme Foram os Sussurros que me Mataram © Leo Fontes Universo Produção Blog do Arcanjo 2024

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Enviado especial a Tiradentes – MG*

A atriz Mel Lisboa fez uma passagem esfuziante pela 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes, que é realizada de 19 a 27 de janeiro na cidade histórica mineira com 145 filmes na programação e realização da Universo Produção.

Ela é a estrela do longa experimental paranaense Foram os Sussuros que me Mataram, dirigido por Arthur Tuoto e que chega às salas de cinema em abril, após sessão concorrida em Tiradentes. Na produção, Mel interpreta uma cínica e fria celebridade prestes a entrar em um reality show, enquanto o mundo do lado de fora vive uma revolução anarquista.

Mel Lisboa no filme Foram os Sussurros que me Mataram, que estreou na 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes © Divulgação Universo Produção Blog do Arcanjo 2024

A carreira de Mel Lisboa é eclética e movimentadíssima. Recentemente, esteve de volta à TV Globo, que a lançou em 2001 como protagonista da série Presença de Anita, de Manoel Carlos, para viver a vilã Regina da novela Cara e Coragem.

Leonardo Miggiorin e Mel Lisboa em Presença de Anita de 2001 © Divulgação Globo Blog do Arcanjo 2024

Ela está de volta às séries em Luz, primeira série infanto-juvenil da Netflix Brasil, que estreia em 7 de fevereiro. Além disso, retorna aos palcos de São Paulo com Misery – Louca Obsessão, no Tuca, na qual contracena com Marcello Airoldi e Alexandre Galindo, sob direção de Eric Lenate. A atriz ainda pretende viajar este ano pelo Brasil e festivais com a peça solo Madame Blavastky.

Mel Lisboa com elenco da série infanto-juvenil Luz da Netflix Brasil: Daniel Rocha, Marianna Santos, Marcos Pasquim e Claudia Di Moura © Aline Arruda Netflix Brasil Blog do Arcanjo 2024
Mel Lisboa na peça Misery – Louca Obsessão © Leekyung Kim Divulgação Blog do Arcanjo 2024

Além disso, se prepara para viver novamente Rita Lee, de quem foi amiga, nos palcos em Rita Lee – Uma Autobiografia Musical, dirigida por Márcio Macena e Débora Dubois, que estreia em abril no Teatro Porto, em São Paulo, baseada no livro de sucesso da grande estrela da música brasileira, a quem já interpretou com as bênçãos da própria no musical Rita Lee Mora ao Lado, dos mesmos diretores.

Mel conversou com o Blog do Arcanjo em Tiradentes e fez um balanço de sua bem sucedida trajetória. Leia a Entrevista do Arcanjo com toda a calma do mundo.

Mel Lisboa é destaque na 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes com filme Foram os Sussurros que me Mataram © Leo Fontes Universo Produção Blog do Arcanjo 2024

Miguel Arcanjo Prado – Mel, você estreou no topo do audiovisual, protagonizando Presença de Anita na Globo. Depois, passou por diversos caminhos, como o teatro de grupo e obras mais experimentais. Como foi essa construção de carreira, degrau por degrau, que fez você conquistar o respeito do público e da crítica?
Mel Lisboa –
Bom, Miguel, a gente se conhece há bastante tempo. Isso é bom, porque você acompanha bem a minha trajetória, me conhece bem, viu as peças mais experimentais que eu fiz. Eu sei que a minha trajetória é um pouco heterodoxa, e eu acho que, em partes, ela é uma escolha, em partes, ela é uma ocasião.

Mel Lisboa na peça Cine Camaleão, sobre o cinema feito na Boca do Lixo em São Paulo na Cia. Pessoal do Faroeste em 2011-2013 © Divulgação Blog do Arcanjo 2012

Miguel Arcanjo Prado – Como foi fazer teatro de grupo na região da cracolândia?
Mel Lisboa –
Eu tive oportunidades que chegaram a mim, de pessoas que eu conhecia, o pessoal que você está falando, por exemplo. Quando eu fui fazer o Cine Camaleão, com o a Cia Pessoal do Faroeste, dirigida pelo Paulo Faria, na Luz, no centro de São Paulo, as pessoas estranharam no princípio, mas depois já vinha ver nossas peças lá. Mas, quando o Paulo veio com essa proposta de fazer essa peça, a princípio seria uma coisa também que não seria algo comum. Mas, eu sou movida por aquilo que me instiga, por aquilo que me desafia.

Mel Lisboa no filme Foram os Sussurros que me Mataram na 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes © Divulgação Universo Produção Blog do Arcanjo 2024

Miguel Arcanjo Prado – Você sente insegurança quando topa trabalhos mais experimentais como este filme em Tiradentes, Foram os Sussuros que me Mataram?
Mel Lisboa –
Sim. Um monte de medo o tempo inteiro, quero ser aceita o tempo inteiro, mas, ao mesmo tempo, eu gosto de me arriscar, porque ficar ali naquele lugar comum, pra mim, eu não sei, eu não ficaria, ao contrário, eu não ficaria confortável. Eu prefiro o risco, eu prefiro correr o risco de falhar, correr o risco de não ser aceita, correr o risco de as pessoas não gostarem do meu trabalho, mas é a forma como eu acredito que eu posso crescer.

Eu prefiro o risco, eu prefiro correr o risco de falhar, correr o risco de não ser aceita, correr o risco de as pessoas não gostarem do meu trabalho, mas é a forma como eu acredito que eu posso crescer.”

Mel Lisboa
atriz
Mel Lisboa como a vilã Regina da novela das 19h da Globo Cara e Coragem © Divulgação Blog do Arcanjo 2024

Miguel Arcanjo Prado – Como foi voltar à Globo, agora mais madura e experimentada, para fazer a vilã Regina, da novela das 19h Cara e Coragem, após 15 anos longe da emissora que a lançou?
Mel Lisboa –
Ah, é bacana a gente trabalhar, é bacana a gente envelhecer. É a experiência. E eu gosto da experiência, eu gosto de ter um pouco mais de segurança do que eu estou fazendo, de saber um pouco mais do que eu estou construindo como atriz. Porque a gente se joga todos os dias no abismo. Mas, com o tempo e a experiência, a gente sabe também um pouco mais do que está fazendo. Então, claro, voltar pra Globo, tantos anos depois, e saber muito mais o que eu estava fazendo, me deixou um lugar que eu podia aproveitar mais, me divertir mais. Quero me divertir mais.

Miguel Arcanjo Prado – Ator precisa se divertir mais que sofrer?
Mel Lisboa –
A Suely Franco uma vez falou isso pra mim. A Suely Franco fazia minha mãe e eu falava: “Ai, Suely, por que eu sofro, por que é difícil?” Aí ela, me respondeu toda tranquila: “Eu não sofro nunca”. E eu respondia: “Ah, Suely, mas também é você, né? Quanto tempo você está aí trabalhando!”. Aí ela me olhou, pensou, e falou assim: “Mas eu nunca sofri”. Eu nunca me esqueci que ela falou isso. Aí eu falei: “Ah, tá bom, vamos lá, vamos tentar sofrer menos”. É isso que a Suely Franco e a experiência me ensinaram a fazer.

Mel Lisboa é destaque na 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes com filme Foram os Sussurros que me Mataram © Leo Fontes Universo Produção Blog do Arcanjo 2024

Miguel Arcanjo Prado – E sofrer menos te faz ficar linda assim há 20 anos, porque o tempo passa para todos nós, menos para você.
Mel Lisboa –
Muito obrigada. São seus olhos [risos].

Rita Lee e Mel Lisboa nos bastidores da peça Rita Lee Mora ao Lado © Divulgação Blog do Arcanjo 2024

Miguel Arcanjo Prado – E o que pode dizer de Rita Lee, Uma Autobiografia Musical?
Mel Lisboa –
Uma honra poder interpretar novamente a Rita no teatro. Quando fiz o musical Rita Lee Mora ao Lado, que ela assistiu, foi um divisor de águas na minha carreira. Agora, posso voltar a essa personagem que faz parte da minha vida. A gente começa os ensaios em breve e estreamos em abril. Estou muito feliz com esse projeto.

Mel Lisboa é destaque na 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes com filme Foram os Sussurros que me Mataram © Leo Fontes Universo Produção Blog do Arcanjo 2024

*O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado viaja a convite da Mostra de Cinema de Tiradentes e da Universo Produção. Agradecimento: Jozane Faleiro – Luz Comunicação.

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Ouça Arcanjo Pod no Spotify

Blog do Arcanjo no YouTube

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Jornalista cultural influente e respeitado no Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, desde 2019. É Mestre em Artes pela UNESP, Pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, Bacharel em Comunicação pela UFMG e Crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e apresenta o Arcanjo Pod. Eleito três vezes um dos melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, UMA, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. Integra o júri de Prêmio Arcanjo, Prêmio Jabuti, Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prêmio Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Prêmio Guia da Folha e Prêmio Canal Brasil de Curtas. Vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil, Prêmio Leda Maria Martins e Medalha Mário de Andrade do Prêmio Governador do Estado, maior honraria na área de Letras de São Paulo.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *