Mostra de Cinema de Tiradentes faz 26ª edição de 20 a 28 de janeiro em Minas Gerais com mais de 100 filmes

Mostra de Cinema de Tiradentes abre ano do audiovisual brasileiro de 20 a 28 de janeiro na cidade histórica mineira – Foto: Leo Lara – Universo Produção – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Grande plataforma de lançamento do cinema nacional e que abre o calendário audiovisual brasileiro, a 26ª Mostra de Cinema de Tiradentes será realizada de 20 a 26 de janeiro na cidade histórica mineira e terá o tema Cinema Mutirão, “esta prática coletiva de grande empenho transformador que propomos olhar, participar, entender e debater”, nas palavras de Raquel Hallak, organizadora do evento com sua Universo Produção.

“Em janeiro, em Tiradentes, está em cena, o cinema, as artes, a diversidade, a coletividade. Vamos mostrar para o mundo que a Mostra de Cinema de Tiradentes é a cara do Brasil”, conclui Raquel Hallak. Como é tradição, o Blog do Arcanjo estará presente no evento para uma cobertura mais que especial.

A programação, como sempre, é gratuita e apresenta o que vai ser o cinema brasileiro de 2023. Serão mais de 100 filmes em pré-estreias e mostras temáticas, homenagens aos cineastas mineiros Ary Rosa e Glenda Nicácio, além de oficinas, performances, lançamento de livros, exposições, atrações artísticas.

O evento ainda abriga o 26º Seminário do Cinema Brasileiro, espaço de encontros que exibe e discute a produção contemporânea do cinema brasileiro e suas formas de inserção no mercado audiovisual em conexão com o mundo.

Homenagem

Se é para representar a temática Cinema Mutirão, a dupla Glenda Nicácio e Ary Rosa, escolhidos para receberem a homenagem de 2023 na 26a Mostra de Cinema de Tiradentes, é essencial. Mineiros de nascimento (ela é de Poços de Caldas; ele, de Pouso Alegre), radicaram-se em Cachoeira (BA) em 2010, ao irem estudar cinema no então recente curso da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo Baiano).

Ary Rosa e Glenda Nicácio fundaram a produtora Rosza Filmes e, desde então, fazem alguns dos títulos mais celebrados do cinema brasileiro contemporâneo, construindo uma vasta comunidade local de realizadores, inclusive em projetos de educação audiovisual.

Prolíficos, Glenda e Ary assinaram a direção conjunta de cinco longas-metragens em cinco anos: “Café com Canela” (2017), “Ilha” (2018), “Até o Fim” (2020), “Voltei!” (2021), “Mugunzá” (2022) e “Na Rédea Curta” (2022). Glenda ainda dirigiu um projeto solo, o média-metragem “Eu não Ando Só” (2021).

Para o coordenador curatorial da Mostra de Tiradentes, Francis Vogner dos Reis, “a singularidade do trabalho de Ary Rosa e Glenda Nicácio é um esforço coletivo a somar as pequenas diferenças em um território comum que é a região de efusiva cultura negra nas cidades de Cachoeira, São Félix e Muritiba. Se o território é determinante, o cinema produzido responde a um cotidiano e a um imaginário compartilhados, de caráter comunitário, tanto no ecossistema da equipe quanto na relação mais ampla com a cidade”.

A homenagem a Ary Rosa e Glenda Nicácio é também estendida à Rosza Filmes e resulta dos bons frutos de uma política de descentralização de recursos ao audiovisual promovida na década de 2000 e parte da década de 2010. Aproveitando-se do bom momento, a dupla de realizadores se insere ainda num cenário de emergência de universidades e da invenção de modos de produção e trabalho pensados e praticados numa hierarquia mais fluida e menos fixada na figura de diretores-autores. A valorização da cocriação se torna fundamental no processo, algo também presente em diversos filmes, coletivos e cineastas de regiões e quebradas que apontam a superação do industrialismo decadente e impessoal que até então dominava o audiovisual no país.

“Celebrar o trabalho da Rosza Filmes pode nos orientar para a reflexão e a prática de um audiovisual do século 21 tão grande, diverso, complexo e fascinante quanto o país pode ser nas suas identidade e diferenças. E as obras assinadas por Ary e Glenda são dos nossos mais poderosos faróis”, exalta Francis.

Plateia acompanha debate na Mostra de Cinema de Tiradentes – Foto: Beto Staino/Universo Produção – Blog do Arcanjo

Temática

O conceito de Cinema Mutirão tem por objetivo chamar para o debate todos aqueles e aquelas que queiram colaborar para construir uma base sólida para a construção e reconstrução do audiovisual brasileiro. O cenário dramático dos últimos cinco a seis anos  não impediu a resiliência de quem buscou alternativas à sobrevivência e procurou não abrir mão das suas conquistas anteriores, ainda que insuficientes ou ameaçadas. “Muitos grupos de lugares diferentes e de campos artísticos distintos (dança, música, teatro) se uniram para fazer audiovisual com os recursos dos editais emergenciais da Lei Aldir Blanc, que, no seu caráter abrangente e flexível, trouxe algumas inovações nas obras, na forma de mobilização do setor e na elaboração de uma política pública em contexto adverso”, destaca Francis Vogner dos Reis, coordenador curatorial da Mostra de Tiradentes e que trabalhou com a colaboração de Camila Vieira Lila Foster.

Confira os filmes da Mostra Aurora em 2022:
A vida são dois dias, de Leonardo Mouramateus (CE,RJ)
As linhas da minha mão, de João Dumans (MG)
Cervejas no escuro, de Tiago A. Neves (PB)
Peixe abissal, de Rafael Saar (RJ)
Solange, de Nathalia Tereza e Thomas von der Osten (PR)
Vermelho bruto, de Amanda Devulsky (DF)
Xamã punk, de João Maria Peixoto (RJ)

Turma do Pipoca faz a alegria das crianças na Mostra de Cinema de Tiradentes – Foto: Leo Lara/Universo Produção – Blog do Arcanjo

Evento para todas as famílias

“A Mostra de Cinema de Tiradentes é um programa para toda a família numa cidade que é um cenário de filme. É um festival que traz experiências enriquecedoras de encontros, compartilhamentos e celebração do cinema e da nossa cultura. Teremos, mais uma vez, uma programação abrangente e gratuita para convidados, moradores e turistas numa cidade que conta com ótima estrutura hoteleria e uma cena gastronômica reconhecida mundialmente”, destaca Raquel Hallak, coordenadora geral da 26a Mostra Tiradentes e CEO da Universo Produção.

Tiradentes, em Minas, faz festa nas ruas durante a Mostra de Cinema de Tiradentes em 2015 – Foto: Nereu Jr. Universo Produção Divulgação – Blog do Arcanjo

Turismo em Tiradentes

Distante 188km de Belo Horizonte, Tiradentes carrega em suas construções – os antigos casarões e igrejas – um pedaço do passado do país. Visitar o município mineiro, localizado aos pés da Serra de São José, é como voltar no tempo e viver alguns dias como se estivesse no século XVIII, apreciando a arquitetura do período e passeando pelas ruas de pedras da cidade.

Mas não só de passado vive Tiradentes. A cidade oferece para seus visitantes experiências como uma tarde animada de bate-papos em meio a charretes e o pipoqueiro no Largo das Fôrras; apreciar galerias de arte, o artesanato local, manifestações culturais como o Congado e a beleza da fé em celebrações religiosas. O prazer de conhecer uma rica gastronomia, visitar museus, tomar banhos de cachoeira e contemplar o charme e as cores dos casarões coloniais são também experiências que Tiradentes proporcionam aos visitantes.

E, de 20 a 28 de janeiro de 2023, assistir a dezenas de filmes inéditos e participar da programação da Mostra de Cinema de Tiradentes que reúne cinema, teatro, circo, música, literatura, dança, artes plásticas e visuais são mais algumas das experiências que esperam pelo público na cidade.

Público assiste a um filma ao ar livre na 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes – Foto: Leo Lara/Universo Produção – Blog do Arcanjo

Cidade histórica

Tiradentes foi a antiga Vila São José, um dos principais pontos da atividade mineradora de Minas Gerais, na rota do ouro e do diamante, no caminho da velha Estrada Real, hoje um dos principais projetos turísticos em execução no Brasil. A Estrada Real tinha a função de via oficial de acesso às minas de ouro e diamante, com vistas à fiscalização direta da Coroa Portuguesa sobre a produção das Minas Gerais, evitando o contrabando e facilitando a cobrança dos impostos que terminaram por provocar a Inconfidência Mineira.

São mais de 1.600 quilômetros de extensão, que combinam patrimônio, natureza e cultura. São dois caminhos oficiais: o Caminho Velho corta o mapa de Minas desde Diamantina até Paraty, no estado do Rio; o Caminho Novo chega até o porto do Rio de Janeiro. São mais de 170 municípios, a maior parte deles localizados em Minas.

Mostra de Cinema de Tiradentes: público lota o Cine-Tenda montado no Largo da Rodoviária – Foto: Leo Lara Universo Produção – Blog do Arcanjo

Infraestrutura especial

A infraestrutura da 26a edição da Mostra de Cinema de Tiradentes contará com quatro espaços de exibição. O Largo das Fôrras volta a receber o charmoso Cine-Praça, espaço de exibição de filmes ao ar livre, com capacidade para mais de 1 mil espectadores.

No Largo da Rodoviária, o Complexo de Tendas recebe um novo layout e a instalação do Cine-Tenda – sala de exibição com ar-condicionado e som digital e projeção de alta qualidade; e o Cine-Lounge, espaço onde serão realizadas rodas de conversa e bate-papos com realizadores, e circulação do público.

Cortejo da Arte colore ruas durante a Mostra de Cinema de Tiradentes de 2016 – Foto: Leo Lara/Universo Produção – Blog do Arcanjo

MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

Maior evento do cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão realizado no país e chega a sua 26ª edição de 20 a 28 de janeiro de 2023, em formato online e presencial. Apresenta, exibe e debate, em edições anuais, o que há de mais inovador e promissor na produção audiovisual brasileira, em pré-estreias mundiais e nacionais – uma trajetória rica e abrangente que ocupa lugar de destaque no centro da história do audiovisual e no circuito de festivais realizados no Brasil.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Respeitado jornalista cultural e crítico de artes do Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, criado em 2019. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e apresenta o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Eleito um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se por três vezes e recebeu a Medalha Mário de Andrade, maior honraria nas letras do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, Uma, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil e Prêmio Governo do Estado de São Paulo – Medalha Mário de Andrade.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Harry e Meghan na Netflix Michael Jackson: Thriller faz 40 anos Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022