Festival Mucho! une música latina entre 29/11 e 3/12 com Tom Zé, Kumbia Queers e Francisco, El Hombre

Kumbia Queers, da Argentina, Tom Zé e Francisco, El Hombre, do Brasil, estão no Festival Mucho! – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

O Festival Mucho!, mais importante evento de música latina do Brasil, realiza sua sexta edição entre 29 de novembro e 3 de dezembro de forma gratuita em diversos pontos de São Paulo. As atrações vão desde a brasileiríssima bateria da Vai-Vai ao lado da banda Francisco, El Hombre até o grupo argentino Kumbia Queers, além do grande tropicalista Tom Zé.

O Blog do Arcanjo apresenta o line-up de 2022: Tom Zé (Brasil), Francisco, el Hombre convida Bateria VaiVai (Brasil), Los Mirlos (Peru), Kumbia Queers (Argentina), Kombilesa Mi (Colômbia), Jup do Bairro (Brasil), Potyguara Bardo (Brasil), Deize Tigrona + MU540 (Brasil), Mulamba (Brasil) e Cumbia Calavera (Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Togo e Uruguai).

O Festival MUCHO! é território de encontro da cultura do nosso continente. Espaço de múltipla expressão de narrativas onde as identidades, ancestralidades, lutas e celebrações do centro-sul do nosso continente são colocadas lado a lado.

Felipe França Gonzalez
diretor da Difusa Fronteira e diretor-sócio do Festival Mucho!

Apostando no diálogo latino por meio da música e em aproximar o Brasil da sonoridade produzida pelo continente, o Festival Mucho! venceu o Prêmio Arcanjo em 2021. Desde sua primeira edição em 2017, propõe ao público um espaço onde a diversidade cultural migratória é o foco, fortalecendo a interatividade entre as diferentes culturas do nosso continente, tão ricas e indispensáveis para a formação de uma cidade migrante como São Paulo. 

Mucho+ Diversidade

Este ano, o Festival inaugura as atividades do MUCHO+ Diversidade, descentralizando as atividades para diversas partes da cidade de São Paulo. Na programação, atividades formativas, mentorias e apresentações especiais.

O Mucho+ Diversidade será um laboratório de trocas e encontros itinerantes, dedicado à formação artística para público LGBTQIA+ e à promoção de encontros principalmente entre comunidades periféricas e negras da América Latina.

Hernan Halak
diretor da Mundo Giras e diretor-sócio do Festival Mucho!

“Esta primeira edição do Espaço MUCHO+ Diversidade será realizada nas Casas de Cultura de São Paulo de forma presencial e (no canal do Youtube do Festival Mucho, com retransmissão na plataforma Cultura en Casa, do Ministério de Cultura da Cidade de Buenos Aires, proporcionando a interação entre os países latino americanos através de oficinas, bate papos e mentorias”, acrescenta.

Entre os shows, embalando todo o festival, está programada a residência da Festa Súbete, com ritmos urbanos da diáspora afro latina. E também a envolvente CALIENTE BALL, que celebra a herança e as memórias de resistência da população LGBTQIA+ através da música e o corpo em performances de Vogue, Runway, Lip Sync e Perreo. O evento ainda contará com uma ampla seleção de comidas e bebidas típicas. 

Festival Mucho! 2022

29 de novembro (terça-feira) 

Local: Casa de Cultura Campo Limpo

MENTORIA com DEIZE TIGRONA  e JUNIN (Produtor)

OFICINA de Produção Musical com Mu540 e Junin

APRESENTAÇÃO Deize Tigrona + Mu540

30 de novembro (quarta-feira) 

Local: Casa de Cultura Freguesia do Ó

MENTORIA COM MULAMBA

OFICINA DE CRIAÇÃO E COMPOSIÇÃO COM MULAMBA

APRESENTAÇÃO MULAMBA

Local: Casa Natura

CALIENTE BALL

JUP DO BAIRRO

01 de dezembro (quinta-feira) 

Local: Casa de Cultura Vila Guilherme

MENTORIA COM POTYGUARA BARDO E ANDRÉ MAIA (produtor)

OFICINA DE PRODUÇÃO MUSICAL COM ANDRÉ MAIA E MATHEUS ANDRIGHI

APRESENTAÇÃO POTYGUARA BARDO

02 de dezembro (sexta-feira)

Local: à confirmar

Rota Gastronômica MUCHO 

03 de dezembro (sábado)

Local: Bixiga

TOM ZÉ

FRANCISCO, EL HOMBRE CONVIDA BATERIA DA VAI-VAI
LOS MIRLOS (PERU)

KUMBIA QUEERS (ARGENTINA)

KOMBILEZA MI (COLÔMBIA)

CUMBIA CAVALERA (ARGENTINA, BRASIL, CHILE, CUBA, TOGO E URUGUAI)

FESTA SÚBETE

Artistas e atrações

CUMBIA CALAVERA (ARGENTINA, BRASIL, CHILE, CUBA, TOGO E URUGUAI)

Grupo latinoamericano que propõe uma releitura instrumental de cumbias clássicas e que apresenta também composições próprias, difundindo melodias e elementos rítmicos da cumbia chicha, da cumbia colombiana e da música folclórica andina. Formada por integrantes vindos de diversos países – Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Togo e Uruguai, o grupo se apresenta de forma performática, baseada na iconografia da Fiesta de los Muertos do México.

DEIZE TIGRONA + MU540 (BRASIL)

Deize Tigrona é uma das primeiras mulheres do funk e há mais de 20 anos vem transformando o ritmo com suas músicas que vão do cômico ao erótico e com composições criativas e dançantes. No início dos anos 2000 foi a primeira mulher do funk a colaborar com nomes internacionais, quando trabalhou com Diplo e teve o hit “Injeção” sampleado na música “Bucky Done Gun” da M.I.A. Depois de uma pausa na carreira, Deize a retomou em 2019 no selo BATEKOO Records e lança o álbum “Foi Eu Que Fiz composto” apenas por músicas inéditas.

FRANCISCO, EL HOMBRE (BRASIL)

Formado pelos irmãos mexicanos e naturalizados brasileiros, Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte, Francisco, el Hombre segue como uma das bandas de maiores símbolos da variedade sonora da América Latina. Isso se deve ao grupo misturar em suas músicas elementos do Brasil e do México, além de outros países da América Latina. Com quase uma década de existência, foram indicados ao Grammy Latino, em 2017, com a faixa “Triste, Louca ou Má” na categoria de “Melhor Canção em Língua Portuguesa”. 

JUP DO BAIRRO (BRASIL)

Cantora e compositora, a paulistana Jup do Bairro lançou seu primeiro EP, CORPO SEM JUÍZO, em 2020. Com direção musical de BADSISTA e feats. de Deize Tigrona, Rico Dalasam, Linn da Quebrada e Mulambo, o projeto colocou Jup de vez na mira da música brasileira contemporânea, dando a ela o prêmio de Revelação do Ano pelo Prêmio Multishow e duas indicações no WME. Além da carreira musical, Jup também teve sua versatilidade artística explorada pelo Canal Brasil (Globosat), que produziu duas temporadas do talk-show TransMissão, apresentado por Jup em parceria com Linn da Quebrada.

KOMBILESA MÍ (COLÔMBIA)

Nascido da rica herança musical e histórica de San Basilio de Palenque, Colômbia (primeira cidade negra livre na América), Kombilesa Mí funde os sons tradicionais da comunidade com o rap. Os membros da banda experimentam com os instrumentos criados por seus ancestrais (e apresentados a eles quando eram jovens) colocando-os em camadas entre novos sons. Sobre percussão tradicional, tambores metálicos de desenho próprio, feitos à mão e marímbula, Kombilesa Mí rima e faz rap em espanhol e na língua tradicional palenquera, uma fusão de africanos bantu, português, francês e inglês.

KUMBIA QUEERS (ARGENTINA)

Kumbia Queers é uma banda da Argentina que combina cumbia com vários ritmos urbanos para gerar suas próprias canções onde estão envolvidos desde a composição, gravação e produção. Kumbia Queers lançou, ao longo dos seus 15 anos de estrada, seis álbuns, vários singles e eps com os quais abriu canais musicais inexplorados ao combinar a cumbia com o punk, quebrando os estereótipos de um gênero e de outro para surpresa de todos. A banda tem feito turnês constantemente desde o seu início na Argentina, Chile, Uruguai, México, EUA e Europa. Reconhecidos pelas festas que organizam ao vivo onde a energia que se espalha do palco faz dançar até os mais cépticos espectadores com canções que através do humor e do amor são uma crítica ácida a tudo o que não gostam e um abraço àquilo que os apaixona. Kumbia Queers acaba de voltar à Argentina depois da turnê “Fiesteria” que os levou à Europa por mais de dois meses, fazendo dançar todos que cruzaram seu caminho. Nos últimos meses a banda divulgou várias prévias do que será seu próximo LP, “Fiesteria”..

LOS MIRLOS (PERU)

LOS MIRLOS é um grupo que há muito tempo difunde a música e a cultura da Amazônia peruana. O grupo é originário da Cidade de Orquídeas Moyobamba, província e capital do Departamento de San Martín no Peru e foi fundado por Jorge Rodríguez Grández, registrando sua marca de serviço pela primeira vez em 23 de maio de 1973 no Instituto Nacional de Cultura da Biblioteca Nacional de Peru.

Mu540 (BRASIL)

Mu540 (Muzão) é um produtor musical cria de Praia Grande na Baixada Santista (SP), que provoca, soma e gera influência na cena musical paulistana há mais de 10 anos. Seus beats nervosos já embalaram e contribuíram com a noite local e nacional através de parcerias com artistas como Sodomita, Sé da Rua Tasha & Tracie, KYAN, Deize Tigrona, Mc GW, Jup do Bairro, VHOOR dentre outros. Com mais de 900 mil ouvintes mensais no Spotify, Mu540 colaborou em músicas que bateram mais de 1 milhão de visualizações no Youtube.

MUCHO! CALIENTE BALL

A comunidade Ballroom se encontra no Festival Mucho! 2022 para uma mini ball que celebra a herança e a memórias trans, latinas, negras e LGBTQIAPN+ contando histórias através da música e o corpo em performances de Vogue, Runway, Lip Sync e Perreo. Criada nos anos 70 por lideranças latinas e negras, a Cultura Ballroom surge como um espaço revolucionário que utilizou os bailes para romper fronteiras e reunir Houses (casas) para estratégias comunitárias de existir, celebrar e revolucionar movimentos protagonizados por pessoas LGBTQAPN+.

MULAMBA (BRASIL)

Nome emergente da nova MPB, a Mulamba habita diferentes territórios em sua criação. Desde críticas ácidas até letras poéticas, a banda reúne a sensibilidade e a potência de suas integrantes: Amanda Pacífico, Cacau de Sá, Caro Pisco, Érica Silva, Fer Koppe e Naíra Debértolis. Com performances impactantes, as artistas ocuparam festivais independentes e importantes casas de shows pelo Brasil após o lançamento de seu disco de estreia, Mulamba (2018). Atualmente baseada em São Paulo (SP), a banda amplia seus caminhos com o lançamento de Será Só Aos Ares, um trabalho refinado que mostra estéticas musicais diversas e simboliza a imensidão artística da Mulamba.

POTYGUARA BARDO (BRASIL)

Potyguara Bardo é de Natal, cidade onde iniciou sua carreira e ganhou notoriedade por seu engajamento político e artístico. Seu álbum de estreia, “Simulacre” foi lançado em 2018 e flerta com a interpretação da realidade do ouvinte. No ano seguinte, lançou “Ribuliço” em parceria com Omulu e “Hit do Carnaval” com CyberKills e Kaya Conky. Em 2020 veio o single “Curupira” primeiro single depois de “Simulacre”. Além de “Overdue” com Sample Hate e Cadernin (Versão Piseiro com Luísa e os Alquimistas). No último ano, Potyguara Bardo lançou ao lado de Gaby Amarantos e Danny Bond as faixas “Sangrando” e “Volte Sempre”.

SÚBETE! FESTA DE MÚSICA E CULTURA URBANA E LATINX

A !SÚBETE! é uma viagem pelos ritmos do Caribe, América Latina e suas diásporas. Nossas paradas principais são nos gêneros urbanos contemporâneos, seu graves pesados e batidas contagiantes.

TOM ZÉ (BRASIL)

Tom Zé é um dos responsáveis pela consolidação da MPB (Música Popular Brasileira) ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethânia. Através do Tropicalismo, o artista criou sua identidade ao inovar o estilo de composição, criando uma originalidade exclusivamente sua e de difícil classificação. Neste ano, aos 86 anos, lançou o disco  “Língua Brasileira” para contar  episódios históricos e suas lendas, que resultaram na língua que é falada no Brasil.

O Festival MUCHO! é uma realização:
Difusa Fronteira. Núcleo de Integração Cultural Brasil – América Latina
https://difusafronteira.com.br
MUNDO GIRAS
https://www.mundogiras.com

Com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, Secretaria Municipal de Turismo de São Paulo, PROAC Editais, FUNARTE,  Ministério de Cultura da Cidade de Buenos Aires, Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Abrafin e a Associação Latino-americana de Managers Musicais MMF LATAM.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP The Crown mostra que Charles traiu Diana Caetano Veloso se emociona em show após morte de Gal Costa Prêmio Arcanjo de Cultura acontece no Teatro Sérgio Cardoso