Satyriblack tem programação preta no Festival Satyrianas

André Lu, curador da Satyriblack: representatividade negra no Festival Satyrianas – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

A Satyriblack é a programação especial dentro do Festival Satyrianas focada na representatividade de artistas pretos, sob curadoria do ator e cantor André Lu. O Blog do Arcanjo mostra a seguir a programação “que visa no enaltecimento de artistas pretos, dando visibilidade, acesso e espaço para grupos e/ou artistas independentes”, nas palavras do curador. A ação da Cia. de Teatro Os Satyros, fundada por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, apresenta diversas atrações e debates que refletem a representatividade preta nas artes e na cultura.

Satyriblack no Festival Satyrianas 2022

Sábado, 12/11

DEPOIMENTOS – BLACK BRECHT: E SE BRECHT FOSSE NEGRO?

Livremente inspirada na peça “O Julgamento de Luculus”, de Bertolt Brecht. Perante o Supremo Tribunal do Reino das Sombras apresenta-se Luculus Brasilis, o general civilizador, que precisa prestar contas da sua existência na terra para saber se é digno de adentrar no Reino dos Bem-Aventurados. Sob a presidência do juiz dos Mortos, cinco jurados participam do julgamento: um professor, uma peixeira, um coveiro, uma ama de leite e um não-nascido. Estão sentados em cadeiras altas, sem mãos para segurar nem bocas para comer, e os olhos há muito apagados. Incorruptíveis. (83 min – SP). Texto: Dione Carlos. Roteiro: Eugênio Lima. Direção: Eugênio Lima. Elenco: Fernando Lufer, Gilberto Costa, Jhonas Araújo, Luan Charles, Luiz Felipe Lucas, Luz Ribeiro, Marcial Macome, Tatiana Rodrigues Ribeiro e Walter Balthazar. Direção de fotografia: Matheus Brant. Assistente de direção: Gabriela Miranda. Assistente de câmera: Gabriela Miranda. Produção: Umbabarauma Produções Artísticas e Iramaia Gongora. Montagem: Gabriela Miranda e Matheus Brant. Intervenção imagética: Bianca Turner. Cenografia: Renato Bolelli. Figurino: Claudia Schapira. Trilha sonora: Eugênio Lima. Som direto: Tomaz Klotzel. Musica: Atila Silva, Danilo Rocha, Dropê Selva, Eugênio Lima, Everton Martins, Luan Charles, Pedro Teixeira, Neo Muyanga, Roberta Estrela D’Alva, Suyá Nascimento e Thiago Bernardes. Piano e Orgão: Luan Charles. Assistente de iluminação: Gabriele Souza. Estandarte: Renato Caetano. Cartazes: Luz Ribeiro. Quando: Sáb, 12/11 às 19h. Onde: YouTube. Teatro Adulto. Digital. SatyriBlack. 16 anos. 

Link: https://www.youtube.com/coletivolegitimadefesa

TRAVESSIAS DE CAROLINA MARIA DE JESUS

Nesta intervenção cênica, a Cia. Sobrecéus propõe o olhar sobre o universo poético da escritora Carolina Maria de Jesus, a partir do texto “Favela” e do disco “Quarto de Despejo” mostrando uma Carolina que rompe com o estigma de favelada por meio da arte. (40 min – SP). Texto: Mayra Guanaes. Direção: Vitória Savini. Elenco: Cíntia Martinelli, Júlia Martins, Talitha Sena, Samurai Rios. Direção de movimento: Vitória Savini. Produção: Lilian Ayumi. Preparação corporal: Vitória Savini. Trilha sonora: Lun Bircol. Quando: Sáb, 12/11 às 20h. Onde: Praça Roosevelt. Teatro Adulto. SatyriBlack. 12 anos.

VIADO SHOW

Com músicas autorais, Silper traz em suas letras e show muitas emoções. A partir da sua experiência quanto uma “Bixa Preta Periférica Feminino” traz reflexões e discute sobre esse tema que ainda é uma questão social. Composição dos 15 aos 28 anos de idade sobre tudo que lhe foi atravessado! Com muita dança, performance e emoção! (40 min – SP). Quando: Sáb, 12/11 às 20h. Onde: O Candeeiro Bar. SatyriSom. SatyriBlack. 12 anos.

Domingo, 13/11

A RETOMADA

Num futuro próximo, numa atmosfera de ficção futurística, um ator/narrador negro é surpreendido por uma Medida Provisória do governo brasileiro determinando que cidadãos com traços que indiquem ascendência africana devem ser capturados e devolvidos aos seus países de origem, na África. Diante disto ele decide invadir um teatro e dar início a retomada negra, uma espécie de invocação/delírio de figuras negras históricas, como ato de terrorismo poético. (47 min – SP). Texto: Aldri Anunciação. Direção: Eugênio Lima. Elenco: Fernando Lufer, Gilberto Costa, Jhonas Araújo, Luan Charles, Luiz Felipe Lucas, Luz Ribeiro, Marcial Macome, Nádia Bitterncourt, Tatiana Rodrigues Ribeiro e Walter Balthazar. Produção: Umbabarauma Produções Artísticas e Iramaia Gongora. Filmagem: Gabriela Miranda e Matheus Brant. Fotografia: Cristina Maranhão. Iluminação: Gabriela Miranda e Matheus Brant. Assistente de iluminação: Giovanna Kelly. Som: Clevinho Souza e João de Souza Neto. Design: Sato do Brasil. Quando: Dom, 13/11 às 19h. Onde: YouTube. Teatro Adulto. Digital. SatyriBlack. 16 anos.

Link: https://www.youtube.com/coletivolegitimadefesa 

AMANHÃ É HOJE, E ONTEM É HOJE DE NOVO

Um jovem negro, da periferia de São Paulo, se vê atormentado pela luz e pelo breu, conduzido por um fluxo de acontecimentos que o colocam num looping, ele já não consegue mais dicernir o que é real ou fruto da sua fantasia. Pra ele, todos os dias começam e terminam no mesmo dia. (25min – SP). Texto: Lucas Precioso. Direção: Eduardo Chagas. Elenco: Andre Lu. Quando: Dom, 13/11 às 15h. Onde: Espaço dos Satyros. Teatro Adulto. Satyros nas Satyrianas. 14 anos.  

MANIFESTO BICHA PRETA

O manifesto BICHA PRETA é um convite para refletirmos a partir da performance arte a homoafrossexualidade, seus lugares de fala e resistências. A performance integra o projeto poéticas de resistências da A Inacabada Cia. que tem em seu repertório os espetáculos Meninos também amam e HomOrgias poéticas, que abordam a homossexualidade masculina, suas afetividades e também sua luta cotidiana contra a homofobia. Em manifesto BICHA PRETA a companhia dá voz a poesia preta que reflete nossos cenários de luta e nossa história de resistência. (50 min – SP). Texto: Rafael Guerche. Direção: Rafael Guerche. Performers: Agno Carvalho, Kauê Willlian, Peu Morais e Roger Sliper. Produção: Higor Pereira. Iluminação: Higor Pereira. Quando: Dom, 13/11 às 20h30. Onde: Espaço dos Satyros. PerforMIX. SatyriBlack. 16 anos.

MIGUEL OU ANJOS DA CIDADE ALTA

2 de junho de 2020. Miguel, 5 anos, nome de Anjo. Estava aos cuidados de Sarí Corte Real, ex-patroa de sua mãe, Mirtes Renata de Souza, quando subiu de elevador até o 9º andar e caiu. Em uma dialética entre o caso de Miguel, o mito de Ícaro e a violência racista contra crianças e jovens pretos no Brasil, “MIGUEL” apresenta uma reflexão vívida de situações reais em uma construção emocional e social que se banha no expressionismo e no teatro político. (60 min – SP) Texto: Criação coletiva com organização de Alan Paes e Renan Rocha. Direção: Alan Paes. Elenco: Bessa, Bruna Tovian, Carlos Vasconcelos, Carol Soares, Dayane Santoso, Felipe Dupper, Henrique Alves, Joyce Mendonça, Júlia Cardoso, Juliana Mendonça, Kadu Barbosa, Rafael Lima, Raissa Alcântara, Renan Rocha e Thaís de Sá. Direção artística: Daniel Fernandez (ETA). Direção executiva: Carol Cefali (ETA) e Nadir Cafeli (ETA). Produção: Bessa e Renan Rocha. Coreografia: Henrique Alves. Figurino: Luiz Costa. Iluminação: Jaques Nunes. Sonoplastia: Alan Paes. Arte: Carlito Linhares. Quando: Dom, 13/11 às 19h. Onde: Espaço dos Satyros. Teatro Adulto. SatyriBlack. 14 anos.

Terça, 15/11

OFICINA DE VOZ E CORPO COM ANDRÉ LU

A oficina de voz/corpo tem como objetivo a experimentação/construção vocal a partir de um texto teatral. Partindo de jogos, dinâmicas e pesquisas individuais em relação à voz e corpo, será possível acessar e entender lugares que a voz cantada e falada chega, através do corpo em estado de jogo. (120 min – SP). Quando: Ter, 15/11 às 15h. Onde: Cine Satyros Bijou. Workshops. SatyriBlack. Livre.

GATO BOO

Nessa realista comédia de fantoches, o Gato Boo vai dar o papo sobre a história do gato preto de quebrada contra um nóia branco burguês amigo de outro nóia branco burguês, que foi famoso escritor. Será que gato preto dá azar ou é preconceito dos angorá branco? Será que a dona Chica ainda tá viva? E por que sua avó tá pelada no meio da minha sala enquanto eu digito essa sinopse? Não sei, mas o Gato Boo deve saber. (60 min – PR). Texto: Carlos Alexandre de Andrade. Direção: Bya Paixão. Performers: Carlos Alexandre de Andrade. Produção: Bya Paixão. Cenografia: Carlos Alexandre de Andrade. Técnica: Bya Paixão. Quando: Ter, 15/11 às 21h30. Onde: SP Escola de Teatro – Unidade Roosevelt (Sala Alberto Guzik). Teatro Adulto. SatyriBlack. 16 anos.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP