Tiradentes em Cena deixa legado de transformação em 10 edições, diz idealizadora Aline Garcia | Entrevista do Arcanjo

Aline Garcia, idealizadora do Tiradentes em Cena, que celebra o sucesso da 10ª edição da mostra de artes cênicas em Minas Gerais – Foto: Marlon de Paula – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Enviado especial a Tiradentes*

Aline Garcia se emocionou de forma profunda nos últimos dias. A idealizadora e diretora geral do Tiradentes em Cena, mostra de artes cênicas na histórica cidade mineira que realizou 10ª edição entre os dias 25 e 28 de maio de 2022, pôde, finalmente, rever os espectadores cara a cara.

Afinal, em quatro dias de farta programação, com 34 diferentes atrações, ela viu o público retomar o encontro com artistas, depois de dois anos de versão digital, realizando uma pungente 10ª edição, que celebrou uma década de vida deste que já figura entre os principais e mais charmosos festivais do país.

Nesta exclusiva Entrevista do Arcanjo, a jornalista e produtora cultural faz um balanço da 10ª edição do Tiradentes em Cena. Aline Garcia revela desafios dos bastidores, rememora momentos emblemáticos, como quando levou Bibi Ferreira (1922-2019) ao evento em 2014, atriz icônica que, se estivessa viva, completaria 100 anos nesta quarta. “Bibi Ferreira é um nome fundamental na história do Tiradentes em Cena”, emociona-se. Inquieta e corajosa, Aline Garcia ainda projeta novidades para o futuro do evento.

Leia com toda a calma do mundo.

Idealizadora e diretora geral do Tiradentes em Cena, Aline Garcia posa no casario colonial da Rua Direita na cidade histórica mineira durnate cortejo de celebração da 10ª edição do evento – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Qual o balanço você faz da 10ª edição do Tiradentes em Cena?
Aline Garcia –
Foi um ano muito difícil financeiramente e que contamos com a ajuda de inúmeros parceiros, tanto artísticos quanto do quadro técnico. Ainda assim, conseguimos presentear o público com apresentações diversas. Foram 34 ações culturais: entre espetáculos de teatro, dança, oficinas, roda de conversa, intervenções, projeções pela cidade, artes visuais, bate papo, exposições e outros.

Partidas do Teatro da Pedra emocionou público do 10º Tiradentes em Cena com ótimas atuações e nostalgia de uma Minas que se perde – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Como foi o desafio de fazer esta curadoria?
Aline Garcia –
Outro grande desafio é realizar a curadoria, porque ser diverso como somos gera uma dificuldade, onde e como encaixar tudo em uma cidade que tem apenas um teatro de 120 lugares, quais peças e artistas se dispõem a transformar junto ao espaço urbano, quem topa ir para a praça com toda as suas interferências de se fazer teatro na rua.

Inês Peixoto brilha em Órfas de Dinheiro no 10º Tiradentes em Cena – Foto: Marlon de Paula – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Você lida com muitos profissionais?
Aline Garcia –
Sim, e de inúmeras áreas. Cenógrafos, cenotécnicos, iluminador, sonoplasta, diretores de cena, produtores, serralheiros, pintores, construtores, costureiras, maquiador, figurinista, segurança, motoristas, camareiras são alguns dos profissionais que passaram pelo Tiradentes em Cena, movimentando a cadeia produtiva da economia criativa da cidade e do país. Fora toda a minha equipe do Tiradentes em Cena, todos profissionais dedicados a quem só tenho a agradecer.

Aline Garcia curte cortejo da Sagrada Profana com seu filho, Davi, e amigos no último dia do 10º Tiradentes em Cena – Foto: Marlon de Paula – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – O que mais lhe emocionou nesta 10ª edição e faz dela especial para você?
Aline Garcia –
A presença. Depois de dois fazendo pela tela ver de perto o que uma experiência gera para o público é comovente, faz os olhos brilharem. Rir, chorar ou simplesmente emocionar com outras pessoas é diferente do rir solitário em casa, não tem nem comparação!

Aline Garcia, idealizadora e diretora, com sua família na abertura do 10º Tiradentes em Cena – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Na abertura do evento, a Maria Lídia de Moraes afirmou que Tiradentes sabe fazer cultura e lhe citou como exemplo. Como se sentiu? Concorda com ela que a cidade tem uma forte vocação cultural?
Aline Garcia –
Tiradentes é uma mistura do passado com o presente, do simples com o sofisticado. Do antigo com o novo. Isso se deve aos festivais que oxigenam a cidade o ano todo. Além de referência arquitetônica e gastronômica, que também integram o escopo da cultura, o fazer cultural e artístico aqui é muito forte. Respiramos cultura. Maria Lídia é um exemplo para mim e ouvir esse elogio só me dá força para seguir. Precisamos ser conscientes do valor da cultura e memória do nosso povo e quando um festival como o meu consegue misturar quem vem e quem é daqui, promovendo troca e intercambio, é gratificante. O maior legado de um festival, seja onde for, é transformar. E o Tiradentes em Cena deixa um legado de transformação em suas dez edições.

Tiradentes é uma mistura do passado com o presente, do simples com o sofisticado […] O maior legado de um festival, seja onde for, é transformar. E o Tiradentes em Cena deixa um legado de transformação em suas dez edições.

Aline Garcia
idealizadora e diretora geral do Tiradentes em Cena
Aline Garcia, idealizadora e diretora do Tiradentes em Cena, celebra 10ª edição do evento: “Cultura gera renda e emprego”; ao fundo o artista circense Lucas Alves – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Na sua opinião, o Brasil precisa valorizar mais a cultura como crucial para movimentação de toda uma cadeia econômica e geração de renda e emprego?
Aline Garcia –
Sem dúvida. A cultural tem grande impacto na sociedade. Não apenas na formação humanística. O conhecimento cultural é fundamental para a economia de um país. O potencial cultural de nosso País mostra que a participação desse setor na geração de renda e de emprego contribui significante para o desenvolvimento sociocultural e econômico

Bibi Ferreira cantou no Tiradentes em Cena de 2014: icônica atriz faz parte da história da mostra – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Se fosse para escolher três momentos da história do Tiradentes em Cena que mais lhe impactaram, quais seriam?
Aline Garcia –
Bibi Ferreira de graça em praça pública foi um marco da Mostra. Aliás, Bibi Ferreira é um nome fundamental na história do Tiradentes em Cena. Devemos muitas homenagens a ela por tudo que ela fez e deixou como legado. Também preciso destacar Matheus Naschtergaele e Zezé Motta apresentando seus espetáculos dentro da tradicional Igreja Matriz de Santo Antônio, quebrando tabu e ressignificando o local. A convite do Tiradentes em Cena, Matheus Nachtergaele dirigiu pela primeira vez para o teatro o grupo local Entre & Vista, atuante há mais de 30 anos na cidade. O texto escolhido para a montagem foi O País do Desejo do Coração, do poeta irlandês William Butler Yeats.

Aline Garcia, no alto, à esquerda, e Bibi Ferreira, ao centro, com a equipe do Tiradentes em Cena 2014 – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Não é fácil produzir um festival de teatro no Brasil de hoje. De onde você tira forças para persistir com este grande encontro das artes cênicas que é o Tiradentes em Cena?
Aline Garcia –
A arte transforma a maneira como a pessoa se veem em relação ao seu meio de convivência e ao mundo. E isso me comove. Também desejo profundamente que as empresas percebam o valor de apostar em eventos culturais e que esse setor pare de passar o pires na mão e cresça como valor real nesse nosso Brasil.

Desejo profundamente que as empresas percebam o valor de apostar em eventos culturais e que esse setor pare de passar o pires na mão e cresça como valor real nesse nosso Brasil.

Aline Garcia
idealizadora e diretora geral do Tiradentes em Cena
Aline Garcia discursa na abertura do 1º Tiradentes em Cena em 2013: 10 edições no currículo com grandes nomes do teatro brasileiro – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

É gigante o que a arte cênica move.

Aline Garcia
idealizadora e diretora geral do Tiradentes em Cena
Aline Garcia com o filho Davi e a equipe da primeira edição do Tiradentes em Cena em 2013 – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – A quem lê esta entrevista e sonha em criar um festival cênico no Brasil, como você fez dez anos atrás, qual conselho você daria?
Aline Garcia –
Eu nasci em Tiradentes e com 18 anos saí daqui para fazer jornalismo no Rio de Janeiro. Lá, convivi com pessoas inspiradoras como meu ex-sócio e eterno parceiro Fabio Amaral, que assim como eu tinha um sonho de realizar algo com propósito. Assim, nasceu unir minhas duas paixões: minhas cidade e as artes cênicas. Já tinha aqui todos os festivais e faltava esse que confesso ser o mais árduo de fazer. É gigante o que a arte cênica move.

Aline Garcia, idealizadora e diretora do Tiradentes em Cena, celebra 10 anos do evento com planos de expansão para o futuro – Foto: Thyago Andrade – Blog do Arcanjo

Miguel Arcanjo Prado – Pensando nos próximos 10 anos, o que você ainda deseja fazer no Tiradentes em Cena? O que o público pode esperar no futuro?
Aline Garcia –
Inquieta, curiosa e corajosa como sou. Quero construir a cidade do encontro das artes cênicas no Largo da Rodoviária, trazer ainda mais diversidade e criar um ponto de encontro para troca de experiências entre artistas de todo o país e representantes de coletivos de teatro, dança e circo, um local de convívio e sociabilização, trazer curadores de festivais nacionais e internacionais, espaço do empreendedorismo cultural e cases de sucesso e assim fortalecer ainda mais a cena cultural de Tiradentes, de Minas Gerais e do nosso Brasil.

*O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Tiradentes em Cena.

Tudo sobre o Tiradentes em Cena

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023