Pantanal: Paula Barbosa define sua Zefa como ‘humilde, esperta e do bem’ | Entrevista do Arcanjo

Paula Barbosa vive Zefa na novela Pantanal: “Ela é uma pantaneira muito religiosa” – Foto: João Miguel Jr./Globo – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Mais uma personagem promete movimentar Pantanal, a novela das 21h da Globo que já está na boca do povo. Trata-se de Zefa, interpretada por Paula Barbosa, atriz paulistana de 35 anos que chega para movimentar a fazenda de Tenório, personagem de Murilo Benício.

Zefa é cheia de vigor e disposição, adora cozinhar e cuidar da vida alheia. Bocuda e altiva, Zefa vai trabalhar para Tenório (Murilo Benício) por imposição da Maria Bruaca (Isabel Teixeira), logo após ela descobrir a outra família que o marido mantém em segredo em São Paulo. Zefa cai de paraquedas no olho de um furacão, se tornando alvo dos destemperos do patrão e da opressão da patroa. 

Zefa chega para movimentar fazenda de Tenório em Pantanal – Foto: João Miguel Jr./Globo – Blog do Arcanjo

Após sua chegada,  Zefa rapidamente percebe a confusão em que foi se meter. Mas diferente do que pode parecer, apesar de perceber tudo o que acontece ao seu redor, Zefa é uma pessoa confiável, não passa pra frente o que deve ser mantido em segredo.

“Ela se liga no que acontece ao seu redor muito rápido mesmo. Mas é uma pessoa boa, do bem! Ela não é maldosa, não é fuxiqueira. É, sim, solta. Fala o que vem à cabeça, as coisas que vê, e é muito bacana porque ela fala com as pessoas e o assunto morre ali; ela não vai passar a frente, nem nada disso. Acaba que ela, de certa forma, aconselha as patroas”, diz Paula Barbosa ao Blog do Arcanjo sobre a personagem que é momento especial em sua carreira. 

Nesta Entrevista do Arcanjo, a atriz fala sobre o desafio de fazer importante papel na novela mais vista do Brasil.

Blog do Arcanjo – Como estão sendo as gravações?
Paula Barbosa –
Como Zefa entra depois da maioria dos personagens, estavam todos gravando há um tempo, o que me deixou ainda mais animada para começar logo a gravar. Eu nunca tinha feito uma personagem que entrava tão para a frente na história. Foi novo para mim, ter que chegar em um ambiente onde todos já estão familiarizados, onde já estão há algum tempo, mas também foi bom por ser uma experiência nova. Fui muito bem recebida pelo meu núcleo. Murilo, Isabel e Júlia têm sido muito queridos comigo. Eles me deixam à vontade, a gente troca figurinhas. No início, eu estava estudando de acordo com o que eu imaginava. E aí, chegando, vi o tom que eles estão dando para os personagens. É diferente. Eles me deram uma força no começo, e foi bem bacana, me deixaram mais tranquila e à vontade. 

Blog do Arcanjo – Como você se preparou para dar vida à Zefa?
Paula Barbosa – Em um primeiro momento, cheguei a assistir o que tinha da personagem em vídeos antigos na internet. Depois, parei e resolvi começar a criar a minha Zefa. Por ser uma nova versão, tivemos a oportunidade de receber muitos capítulos antes de começar a novela. Isso é muito legal, porque o trabalho fica mais completo. É melhor, porque, normalmente pegamos um personagem e recebemos só os primeiros capítulos. Aí, a novela entra no ar e a gente vai recebendo os próximos; é gostosa, também, essa expectativa, ver pra que lado que vai o personagem e tal, mas ter essa possibilidade de já iniciar, poder fazer um trabalho da trajetória toda da personagem ou quase toda só deixa o trabalho melhor. Então, a minha preparação foi essa. Muito estudo, ler muito texto, entender muito aquelas relações, estudar muito sobre as mulheres, meninas da região, música, sotaque, as histórias que elas contam. Fiz um trabalho muito intenso antes de gravar: estudo, pesquisa, leitura. Fui criando o corpo, toda a postura, o jeito de falar. A Zefa é engraçadíssima. Ela tem momentos muito divertidos, é leve. Então, quero passar essa energia leve dela. Essa coisa gostosa. Quando ela abre a boca para falar é divertido, é gostoso. Então, estou tentando trazer tudo isso em uma preparação corporal, vocal e com todo esse estudo que eu tenho feito. 

Blog do Arcanjo – Quem é Zefa? Como você vê a presença dela na fazenda Tenório?
Paula Barbosa – A Zefa é uma pantaneira, nascida no Pantanal — poucos personagens da novela são de fato do Pantanal, e ela é uma dessas. Ela é muito, muito religiosa. Muito apegada a religião. Acho que é até uma forma dela ter alguma segurança, porque ela não tem pai nem mãe para instruir. A presença dela na fazenda é muito interessante porque sinto que, apesar de ela ser uma menina muito simples e humilde, é muito esperta. Acho que essa experiência de vida dela, de ter de se virar muito cedo, trouxe a ela uma esperteza. Ela se liga no que acontece muito rápido mesmo. E ela é uma pessoa boa, do bem! Ela não é maldosa, não é fuxiqueira. Ela é solta. Fala o que vem à cabeça, as coisas que vê, e é muito bacana porque ela fala com as pessoas e o assunto morre ali; ela não vai passar a frente nem nada disso. Acaba que ela, de certa forma, aconselha. Aconselha as patroas… O patrão menos, porque é mais durão, fechado, mas também fala coisas que ele precisa ouvir, que ninguém tem coragem de falar. Ela traz isso àquela casa: algumas verdades à tona. Fala algumas coisas com o jeitinho dela, com a leveza dela, mas que acaba fazendo os personagens pararem para pensar.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Respeitado jornalista cultural e crítico de artes do Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, criado em 2019. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e apresenta o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Eleito um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se por três vezes e recebeu a Medalha Mário de Andrade, maior honraria nas letras do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, Uma, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil e Prêmio Governo do Estado de São Paulo – Medalha Mário de Andrade.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Harry e Meghan na Netflix Michael Jackson: Thriller faz 40 anos Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022