Tradutor de Silêncios marca volta de Selim Nigri ao teatro após 35 anos

Ator Selim Nigri volta ao teatro após 35 anos com a peça Tradutor de Silêncios – Foto: Ester Marak e Fernando Monteiro – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Selim Nigri estudou teatro e marcou presença nos palcos cariocas nos anos 1980. Depois, o ator e engenheiro seguiu por novos caminhos na vida, até que teatro bate outra vez à sua porta, após 35 anos distante. O artista estrela o sensível e intimista espetáculo Tradutor de Silêncios, inspirado na literatura do moçambicano Mia Couto, um dos mais importantes autores africanos contemporâneos com traduções para 24 países.

Selim Nigri afirma querer conectar humanidade e sonhos com este projeto, que tem roteiro e direção de Marco Miranda, além de cenografia e figurino de Augusto Pessôa. A obra com entrada gratuita pode ser vista no Espaço Cultural Rudolf Steiner, em Santo Amaro, São Paulo, até 10 de junho, com ingressos disponíveis pela Sympla.

Com esta montagem, o ator pretende criar o que chama de “Arquitetura Social”, abrindo espaços para facilitar a convivência e o diálogo, algo tão caro aos tempos em que vivemos. “Tenho que agradecer à permissão do Mia Couto para utilizar seus textos. A ideia de dar acesso gratuito ao espetáculo veio ao encontro aos objetivos do autor que liberou a sua obra para este espetáculo”, afirma o artista, também produtor da peça.

Os contos escolhidos abordam temas caros ao mundo de hoje, como as relações humanas, o racismo e o machismo. O desafio do roteiro coube ao ator e diretor Marco Miranda para que o texto trouxesse as reflexões com leveza e humor. A música é assinada por Bruno Gomes, e o cenário e figurino coube ao amigo, desde os tempos de teatro, Augusto Pessôa.

Já são mais de 30 anos de experiência em consultoria empresarial, onde falo sobre experiências próprias. Decidi me desafiar para o diferente em uma época tão fechada para o diálogo.

Selim Nigri
ator

“Milagre é haver gente em tempo de cólera e guerra”, cita o artista, retirando a frase de um dos contos de Mia Couto presentes no espetáculo. E completa: “Em tempos agitados como os nossos, quando polaridades se exacerbam, é fundamental ter gente importando-se com a cultura”.

Ator Selim Nigri volta ao teatro após 35 anos com a peça Tradutor de Silêncios – Foto: Ester Marak e Fernando Monteiro – Blog do Arcanjo

Tradutor de Silêncios
Pequena coletânea de poemas e contos do autor moçambicano Mia Couto

Com: Selim Nigri
Roteiro e direção: Marco Miranda
Cenário e Figurino: Augusto Pessôa
Música: Bruno Gomes
Produção: Aline de Moraes

Estreia: dia 13 de maio
Temporada: de 13 de maio a 10 de junho.
13/05: 20h | 15/5: 18h | 27 e 28/05: 20h | 10/6: 20h

Recomendação: 14 anos
Duração: 60 min

Entrada Franca
Reserve seu lugar com antecedência: https://www.sympla.com.br/evento/tradutor-de-silencios/1549266
Local: Espaço Cultural Rudolf Steiner – 90 lugares
Rua da Fraternidade, 156 – Santo Amaro 11 5523-0537, São Paulo

Equipe

MIA COUTO nasceu em 1955, na Beira, Moçambique. É biólogo, jornalista e autor de mais de trinta livros, entre prosa e poesia. Seu romance Terra sonâmbula é considerado um dos doze melhores livros africanos do século XX. Recebeu uma série de prêmios literários, entre eles o Camões, em 2013, o mais prestigioso da língua portuguesa, e o Neustadt International Prize em 2014, e foi indicado para o Man Booker International Prize de 2015. É membro correspondente da Academia Brasileira de Letras. A Companhia das Letras vem publicando toda a sua obra no Brasil. (fonte: Cia das Letras)

SELIM NIGRI é engenheiro de produção pela UFRJ, com especialização em Marketing, Teatro, Aconselhamento Biográfico, Terapia Artística e Coaching (Co-Active Coaching, CTI, EUA). Atuou nos palcos teatrais nos anos 80 e 90, trabalhando com diretores renomados em espetáculos de sucesso. Fortalecido por esta experiência, há 30 anos, sobe em palcos corporativos e educacionais na condução de processos de desenvolvimento organizacional e de identidade estratégica, formação de consultores, coaching e desenvolvimento e mobilização de times e lideranças.

MARCO MIRANDA CASTRO ARAUJO é ator, diretor, roteirista e escritor. Trabalhou com os maiores nomes do teatro brasileiro, como Flávio Rangel, Cecil Thiré, Roberto Bomtempo, e participou de várias produções da Tv Globo, como as novelas Chocolate com Pimenta, Salvador da Pátria, Sassaricando entre muitas outras participações. – Autor de textos, peças de teatro, livros e artigos sobre assuntos diversos publicados em variados veículos, dentre outros livros publicados: Todos Os Trens vão Para Paris, Olhares Obscuros, Os Pássaros voam para o Sul, O Brilho do Escorpião, Gotas de Chuva no Vidro da Janela e Antologia Luiz De Camões.

AUGUSTO PESSÔA Contador de Histórias, Ator, Cenógrafo, Figurinista, Arte Educador, Dramaturgo, Roteirista e Escritor. Bacharelado em Artes Cênicas (Habilitação em Interpretação e Habilitação em Cenografia) pela UNI-RIO. Participou como Ator, Diretor, Cenógrafo e Figurinista de mais de cinquenta espetáculos teatrais. Como Roteirista e Dramaturgo encenou mais de trinta espetáculos. Tem vários livros publicados entre ficção e publicações acadêmicas. Ministra Oficinas e Cursos de Formação de Leitores e Contadores de Histórias desde 1993. Pesquisador do grupo de estudos GELIJ da Cátedra UNESCO de leitura (PUC Rio) desde 2014. Foi Coordenador Artístico do Programa Educativo do Centro Cultural do Banco do Brasil Rio de Janeiro (2013 a 2017). Jurado no prêmio Selo Cátedra 10 da Cátedra UNESCO de leitura (PUC Rio). Foi Coordenador Artístico do Programa Educativo do Centro Cultural do Banco do Brasil Rio de Janeiro (2013 a 2017).

BRUNO MONTEIRO Formado pela USP em 2003 em piano, fundou os grupos de música instrumental, Seis com Casca e Ladaalado, com os quais se apresentou no Brasil e na Europa. Escreveu livros infantis que acompanham trilhas sonoras originais. Desde 1998 tem participação nos palcos, onde atua como pianista, compositor de trilha e diretor musical. Entre os trabalhos estão: A vida em vermelho, com Leticia Sabatella cantando PIAF; O que mais você quer de mim, dirigido por Fernando Nitsch, parceiro em vários trabalhos; KD EU? Ou as árvores somos nozes, dirigido por Bete Dorgam e Honra, onde atuou como pianista, com direção de Celso Nunes.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo Fred Raposo é destaque no Mirada Maitê Proença estreia O Pior de Mim em SP