Musical recupera importância de Batatinha, ícone do samba na Bahia

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Grande nome da Velha Guarda do Samba no Brasil, o baiano Oscar da Penha, de nome artístico Batatinha (1924-1997), tem sua memória recuperada no espetáculo musical Sua Excelência Oscar da Penha, o Batatinha, que estreou neste domingo (11), de modo digital no Teatro Vila Velha, de Salvador. As novas apresentações estão marcadas para 18 e 25 de julho e 1º de agosto, sempre às 19h, com ingressos disponíveis no site do teatro.

Diogo Lopes Filho celebra 30 anos de carreira com musical sobre Batatinha

A obra sobre o gráfico para pagar as contas e sambista por paixão é protagonizada pelo ator Diogo Lopes Filho, que celebra 30 anos de carreira com o espetáculo. Em cena, veste elegante figurino criado por Zuarte Jr., à altura da elegância costumeira que Batatinha era visto na noite baiana.

Diogo interpreta o texto de Fábio Espírito Santo costurado pelos clássicos de Batatinha sob cuidadosa direção de Marcio Meirelles e direção musical de Jarbas Bittencourt. A banda da peça é formada pelos músicos Vanessa Melo (flauta, clarineta e voz), Duarte Velloso (violão e surdo) e Arthur Oliveira (bateria e percussão).

Artistas negros são apagados da história

Da mesma geração de pioneiros como Riachão (1921-2020), Batatinha, também negro e de origem pobre, teve sua importância apagada na história da música baiana e brasileira, fruto do racismo estrutural que impera no Brasil e minimiza a contribuição negra à nossa cultura. O espetáculo recupera a importância do artista. Agora, o desejo é fazer uma temporada presencial assim que for possível não só na Bahia como por todo o país. Batatinha merece.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

The Crown mostra que Charles traiu Diana Caetano Veloso se emociona em show após morte de Gal Costa Prêmio Arcanjo de Cultura acontece no Teatro Sérgio Cardoso Gal Costa morre aos 77 anos Festival Satyrianas tem mil artistas na Praça Roosevelt