Morre Eva Wilma, grande atriz do Brasil, aos 87 anos

Eva Wilma (1933-2021) – Foto: Edson Lopes Jr. – Blog do Arcanjo

Morreu Eva Wilma, aos 87 anos, uma das maiores atrizes da história brasileira, às 22h08 deste sábado (15), no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde havia sido internada em 15 de abril. Sua morte foi em decorrência de complicações de um câncer de ovário disseminado que levaram à insuficiência respiratória. A informação foi confirmada pela assessoria da artista, Montenegro Talents. O Blog do Arcanjo lamenta profundamente a perda de tão importante e talentosa artista, o que deixa a cultura brasileira em luto profundo, e envia os sentimentos aos filhos da atriz, John Herbert Buckup e Vivien Buckup.

Eva Wilma no filme São Paulo S/A de Luiz Sérgio Person em 1965 - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
Eva Wilma no filme São Paulo S/A de Luiz Sérgio Person em 1965 – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

É impossível não lembrar a primeira vez que entrevistei Eva Wilma, em sua casa, em São Paulo. Era 2007, e eu havia acabado de me mudar de Belo Horizonte para São Paulo, e ela estava em cartaz com a peça O Manifesto, ao lado de Othon Bastos, um grande sucesso no Teatro Renaissance. Sugeri para Denise Gianoglio, minha então diretora de redação na revista Contigo!, na Editora Abril, uma entrevista com a atriz que seria publicada junto à minha crítica do espetáculo, na coluna teatral que fazia na publicação.

Tudo acertado, a entrevista seria feita na casa da Eva, já as fotos, no dia seguinte, no teatro. Então, Eva me recebeu em seu apartamento em uma tarde de muito carinho e sem qualquer tipo de maquiagem ou pompa. Me deixou completamente à vontade. Falou de tudo sem reservas. Rememorou seu começo na dança, como bailarina do IV Centenário, e também as lembranças de seu grande amor, Carlos Zara, inclusive me levou até o escritório que era dele e deu um programa de um espetáculo que ela fez com ele, para eu guardar como lembrança. No meio da conversa, ela me perguntou: você é mineiro, deve estar doido por um café, quer um? Eu disse que aceitava, sim.

Então, aquela grande atriz que havia encantado toda a minha vida com inúmeras personagens na televisão, de repente me chamou para ir com ela até sua cozinha. Lá, ela mesma colocou a água para ferver e, em poucos minutos, passou o café na minha frente, enquanto seguíamos com a entrevista comigo já de casa. Essa atitude, de uma pessoa tão simples e acolhedora, mostra a humanidade e a generosidade de Eva Wilma, atriz de talento farto, mas que jamais se deixou afetar pela fama, como parece ter virado a tônica nas novas gerações.

Depois desse dia, entrevistei dona Eva outras inúmeras vezes, em variados espetáculos que ela fez, porque esta grande artista se manteve nos palcos até o fim. E ela sempre repetiu sua grandiosidade para comigo.

Atriz de coragem: Eva Wilma (segunda, da esquerda para a direita) em passeata pela cultura e contra a censura durante a ditadura militar em 1968 – Foto: Reprodução – Blog do Arcanjo

Eva Wilma era de uma geração de trabalhadores das artes que, mesmo diante de toda sofisticação, jamais perderam sua conexão com o povo. Ela sempre defendeu a liberdade da classe artística e jamais abandonou os palcos, mesmo com o sucesso na TV. Por isso foi tão amada e admirada por todos. Sua morte é como se perdêssemos alguém de nossa família.

Eva Wilma e Nicette Bruno após a estreia da peça O Que Terá Acontecido a Baby Jane, no Teatro Porto Seguro em SP em 2016 – Foto: Edson Lopes Jr. – Blog do Arcanjo

Enorme talento

Atriz de enorme talento, Eva Wilma fez mais de 60 trabalhos na televisão, mais de 30 trabalhos no cinema e mais de 60 espetáculos de teatro. Na TV, Eva Wilma fez personagens marcantes como as gêmeas Ruth e Raquel na primeira versão da novela Mulheres de Areia, na TV Tupi, em 1973, quando contracenou com seu segundo marido e maior amor de sua vida, Carlos Zara, e também a inesquecível vilã Altiva, em A Indomada, na Globo, em 1997.

John Herbert e Eva Wilma na série Alô Doçura, sucesso na TV Tupi entre 1953-1963 - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
John Herbert e Eva Wilma na série Alô Doçura, sucesso na TV Tupi entre 1953-1963 – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo
Eva Wilma e o marido Carlos Zara, com quem contracenou em Mulheres de Areia, em 1973, na TV Tupi, em poster da revista Amiga - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
Eva Wilma e o marido Carlos Zara, com quem contracenou em Mulheres de Areia, em 1973, na TV Tupi, em poster da revista Amiga – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

Também é preciso mencionar a série de grande sucesso na TV Tupi entre 1953 e 1963 protagonizada por ela e por seu primeiro marido, John Herbert, Alô Doçura. Ela ainda protagonizou a série Mulher, ao lado de Patrícia Pillar, na pele da Dra. Marta, em 1998. Recentemente, brilhou como a alcoólatra Fábia em Verdades Secretas, de 2015. Sua última novela foi O Tempo Não Para, em 2019, na Globo.

Eva Wilma com Ana Paula Arosio e Patrícia Pillar na série Mulher, na Globo, em 1998 - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
Eva Wilma com Ana Paula Arosio e Patrícia Pillar na série Mulher, na Globo, em 1998 – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo
Eva Wilma como a alcoólatra Fábia em Verdades Secretas, de 2015, na Globo - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
Eva Wilma como a alcoólatra Fábia em Verdades Secretas, de 2015, na Globo – Foto: Divulgação/Globo – Blog do Arcanjo

Ela ganhou os principais prêmios do Brasil, como Troféu Imprensa, Prêmio APCA, Prêmio Saci, Prêmio Shell, Prêmio Aplauso Brasil, Prêmio Governador do Estado e Troféu Mário Lago. Nos palcos, fez peças icônicas como Um Bonde Chamado Desejo, em 1974. Suas últimas peças de maior destaque foram O Que Terá Acontecido a Baby Jane?, em 2016, e Quarta-Feira Sem Falta Lá em Casa, em 2018, nas quais fez dupla com Nicette Bruno, que morreu em dezembro de 2020 de Covid-19. Também em 2018 ela estreou como cantora, ao lado do filho John Herbert Jr. no show Casos e Canções, apresentado no Teatro J. Safra, em São Paulo.

Nuno Leal Maia e Eva Wilma na peça Um Bonde Chamado Desejo de 1974 - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
Nuno Leal Maia e Eva Wilma na peça Um Bonde Chamado Desejo de 1974 – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo
Nuno Leal Maia e Eva Wilma na peça Um Bonde Chamado Desejo de 1974 - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo
Eterna Blanche: Eva Wilma e Nuno Leal Maia no clássico Um Bonde Chamado Desejo, sucesso no teatro em 1974 – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo
Eva Wilma em O Que Terá Acontecido a Baby Jane? em 2016 - Foto: Edson Lopes Jr - Blog do Arcanjo
Eva Wilma em O Que Terá Acontecido a Baby Jane? em 2016 – Foto: Edson Lopes Jr – Blog do Arcanjo
Nicette Bruno e Eva Wilma em O Que Terá Acontecido a Baby Jane? em 2016 - Foto: Edson Lopes Jr - Blog do Arcanjo
Nicette Bruno e Eva Wilma são ovacionadas na peça O Que Terá Acontecido a Baby Jane? em 2016 – Foto: Edson Lopes Jr – Blog do Arcanjo
Eva Wilma recebe o carinho dos fãs ao fim da peça O Que Terá Acontecido a Baby Jane? em 2016 – Foto: Edson Lopes Jr. – Blog do Arcanjo
Eva Wilma posa para a coluna O Retrato do Bob, no Blog do Arcanjo, em 2013 - Foto: Bob Sousa - Blog do Arcanjo
Eva Wilma posa para a coluna O Retrato do Bob, no Blog do Arcanjo, em 2013 – Foto: Bob Sousa – Blog do Arcanjo

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordenada a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *