24ª Mostra de Cinema de Tiradentes anuncia vencedores

O sensível filme 4 Bilhões de Infinitos levou o Prêmio Canal Brasil de Curtas, do qual Miguel Arcanjo Prado integrou o júri

Por Miguel Arcanjo Prado

A Mostra de Cinema de Tiradentes anunciou na noite deste sábado, 30, os vencedores da 24ª edição do evento, realizado entre 22 e 30 de janeiro. O prêmio de Melhor Filme da Mostra Aurora foi para o documentário baiano Açucena, de Isaac Donato. Na Mostra Olhos Livres, dupla de cineastas maxakali ganhou pelo segundo ano seguido, com Nũhũ yãg mũ yõg hãm: Essa Terra é Nossa!, de Isael Maxakali, Sueli Maxakali, Carolina Canguçu e Roberto Romero. A diretora e roteirista Ana Johann levou o Troféu Helena Ignez por seu trabalho em A Mesma Parte de um Homem. Na Mostra Foco, o curta Abjetas 288, de Sergipe, ganhou o prêmio do júri, enquanto que 4 Bilhões de Infinitos, de Minas Gerais, levou o Prêmio Canal Brasil de Curtas, que contou no júri com Miguel Arcanjo Prado, autor deste blog. O Blog do Arcanjo mostra, a seguir, a lista completa dos premiados.

VENCEDORES
24ª Mostra de Cinema de Tiradentes

– Melhor curta-metragem pelo Júri Oficial, Mostra Foco: “Abjetas 288”(SE), direção de Júlia da Costa e Renata Mourão.

Troféu Barroco.

Da Ciario/Naymar: R$ 5 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria.

Do CTAV: Empréstimo de câmera Black Magic por duas semanas

Da Mistika: R$ 6.000,00 (seis mil reais) em serviços de finalização.

Da DOT Cine: 2 (duas) diárias de correção de cor; master DCP para curta até 30 minutos.

– Prêmio Canal Brasil de Curtas4 Bilhões de Infinitos (MG), de Marco Antônio Pereira.

Prêmio de R$ 15 mil.

Júri: Miguel Arcanjo Prado, Brenda Lara e Cassio Starling.

– Prêmio Helena Ignez para destaque feminino: Ana Johann, diretora e roteirista de “A Mesma Parte de um Homem” (PR).

– Melhor longa-metragem pelo Júri Jovem, da Mostra Olhos Livres, Prêmio Carlos Reichenbach: “Nũhũ yãg mũ yõg hãm: essa terra é nossa!”, de Isael Maxakali, Sueli Maxakali, Carolina Canguçu e Roberto Romero.

Troféu Barroco;

Da Mistika: R$ 15.000,00 (quinze mil reais) em serviços de finalização.

Da Ciario: R$ 10 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da Naymar;

Da Cinecolor: 5 diárias de correção de cor;

Da Dotcine: master DCP para longa de até 120 minutos

Do CTAV: Empréstimo de câmera Black Magic por quatro semanas

– Melhor longa-metragem da Mostra Aurora, pelo Júri OficialAçucena (BA), de Isaac Donato.

Troféu Barroco.

Da The End: R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) em serviços de pós-produção (laboratório digital, sync, dailies, conform, correção de cor, animação, composição, 3D e masterização).

Da Ciario: R$ 10 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da Naymar;

Da Cinecolor: 5 (cinco) diárias de correção de cor.

Da DOT Cine: master DCP para longa até 120 minutos.

+ Artistas, Cultura e Entretenimento

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *