‘Bem abusada’, Carla Diaz lembra Carine de A Força do Querer antes do BBB

Carla Diaz como Carine em A Força do Querer – Foto: Mauricio Fidalgo/Globo/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

A atriz Carla Diaz é uma das confinadas do Big Brother Brasil – BBB na Globo, mas também está dando o que falar na trama de A Força do Querer, novela das 21h de Gloria Perez que é reprisada antes do reality.

Antes de entrar na casa, ela respondeu a algumas perguntas sobre o trabalho na novela como a personagem Carine, que se envolve com Rubinho (Emilio Dantas) e desperta a fúria de Bibi (Juliana Paes).

Blog do Arcanjo – Como você descreveria a Carine?
Carla Diaz –
Carine é uma mulher ambiciosa e que gosta do poder, não mede esforços para conseguir aquilo que deseja, doa a quem doer. Ela é bem determinada (risos). Eu amei interpretar a Carine, porque não tenho nada a ver com ela (risos).

Blog do Arcanjo – Pode contar alguma curiosidade das gravações que você lembre com carinho?
Carla Diaz –
Fizemos muitas cenas legais. Eu amei a cena em que a Carine faz a dança do ventre para o Rubinho (Emilio Dantas), porque foi uma homenagem da Glória ao trabalho que fizemos em O Clone. Adoro aquela cena. Uma cena para mim bem impactante é a final. Carine andando pela favela ao saber o que aconteceu com Rubinho e já pensando no próximo bote dela. Foi uma trama que me deu muito prazer de fazer.

Rubinho e Carine: Emilio Dantas e Carla Dioas em A Força do Querer – Foto: Estevam Avellar/Globo/Divulgação

Blog do Arcanjo – Que cena você considera mais importante de seu personagem e tem vontade de rever? Por quê?
Carla Diaz –
Ah, eu adoraria rever todas as cenas, porque Carine entra na novela já causando. Tem as cenas de embate dela que são ótimas e eu gosto demais. Carine é atrevida e gostava de afrontar.

Blog do Arcanjo – A novela foi muito bem-sucedida. A que você atribui esse sucesso?
Carla Diaz –
Primeiramente ao texto da Glória, que é muito instigante e atual. Ela desenvolve temas que estão em ebulição na sociedade, e isso chama a nossa atenção. Outro ponto foi o elenco. Essa novela tinha uma turma muito focada, muito entregue ao trabalho. Mas é difícil prever um sucesso. Tínhamos também uma direção muito incrível e que ajudava demais. É um conjunto de fatores que somados produziram esse trabalho de forma especial.

Carine e Bibi Perigosa: Carla Diaz e Juliana Paes em A Força do Querer – Foto: Cesar Alves/Globo/Divulgação

Blog do Arcanjo – E a Carine deu o que falar, não é? O que a personagem representa em sua carreira artística?
Carla Diaz –
Sim, deu! As pessoas ficaram bem incomodadas com ela (risos). Ela era bem abusada. Foi uma personagem muito legal, porque ela mostrou uma versão mais madura e adulta minha. Trabalho há 28 anos, e as pessoas ainda tinham uma imagem da Carla que fez inúmeras novelas na infância. Essa novela mostrou uma outra Carla.

Blog do Arcanjo – Algum tempo depois você teve a oportunidade de ser um pouco Carine novamente em ‘Espelho da Vida’. Como foi reviver uma personagem em uma outra trama?
Carla Diaz –
Foi diferente, porque era uma novela das seis. Com uma pegada diferente de ‘A Força do Querer’, que eu também adorei. Eu sou apaixonada pelo meu ofício. Se dependesse de mim, eu emendaria uma novela atrás da outra (risos).

Colaboraram Maisa Capobiango e Renata Ramos, da Comunicação Globo.

Carla Diaz como Carine em A Força do Querer – Foto: Mauricio Fidalgo/Globo/Divulgação

+ Artistas, Cultura e Entretenimento

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *