Cantora Anná perde seguidores após rebolar música de Caetano Veloso

Por Miguel Arcanjo Prado

A cantora Anná perdeu seguidores após fazer uma performance rebolando ao som de “Alegria, Alegria”, música de Caetano Veloso. Acompanhada das amigas Anagá e Maria da Mota, Anná dança coreografada os acordes iniciais da célebre canção de 1967 de forma livre e desbundada, diante da câmera de Bruna Giacchero Lima.

Caetano Veloso curtiu tanto a ousadia da performance que a repostou no stories de seu Instagram. “Gente, eu tô chocada, eu tô tremendo”, confidenciou Anná, ao saber que seu divertido vídeo havia sido referendado pelo ídolo.

Contudo, ela também viveu dissabores com o episódio. Anná revelou que perdeu seguidores após mexer os glúteos ao som do clássico da MPB.

Rebolar não é cultura?

“O mais doido dessa história do Caetano é que eu perdi seguidores hoje, gente”, revelou a artista. Mesmo afirmando não querer julgar ninguém, ela ponderou sobre o ocorrido. “Imagino que tenha sido pela ideia que ainda existe em muita gente que rebolar não é cultura. Eu tenho trabalhado isso em mim. Eu acho que não tem nada a ver”, pontuou.

“Assistam ao documentário da Anitta… Não só da Anitta, sigam a Jojo Todynho no Instagram. É sobre isso”, recomendou a artista, que lançou seu primeiro álbum no ano passado, Colar.

O Blog do Arcanjo consola Anná, lembrando que, se ela perdeu seguidores com o vídeo, certamente vai ganhar muitos outros, gente bem mais inteligente dos que os puritanos hipócritas julgadores da bunda alheia que se foram. Afinal, por que a bunda incomoda tanta gente?

Siga @canta.anna

Veja o vídeo de Anná dançando Alegria, Alegria, de Caetano Veloso.

Veja o clipe de Anná:

+ Artes, Cultura e Entretenimento

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Bob Sousa.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *