Silvio Santos chega aos 90 anos como maior nome da TV brasileira

Por Miguel Arcanjo Prado

Com ou sem polêmica, Silvio Santos é atualmente o maior nome da TV brasileira. Afinal, qual outro apresentador de 90 anos permanece na ativa, é dono de seu próprio canal no qual é a estrela que mais audiência dá?

E o êxito não ocorre apenas no campo artístico. Neste, ele se destaca como um dos comunicadores mais hábeis e carismáticos da história, apesar de nos últimos tempos seu legado ser prejudicado por declarações complicadas em seu programa, que causam rechaço social, com suas falas sendo acusadas de racismo, homofobia e machismo, o que reforça a tese de que Silvio não se adaptou tão bem aos novos tempos.

Seu sucesso na frente das câmeras se repete nos bastidores, na esfera empresarial e comercial, já que construiu um verdadeiro império e uma fortuna que faz dele um dos homens mais ricos não só do Brasil como do mundo.

O apresentador e dono do SBT comemorou seus 90 anos de idade com festa em família, neste sábado, 12 de dezembro. Senor Abravanel surgiu em fotos divulgadas pelos parentes com as seis filhas, Cintia, Silvia, Daniela, Patricia, Rebeca e Renata, todos usando uma roupa feita especialmente para a ocasião.

A mulher de Silvio, a escritora Íris Abravanel, e os irmãos do apresentador, Perla, Sara e Henrique Abravanel, também estiveram na festa. Todos utilizaram a vestimenta comemorativa.

Por ter idade avançada, Silvio está recluso e não grava seu programa no SBT desde o início da pandemia do novo coronavírus.

O Blog do Arcanjo mostra as imagens da festa familiar.

Silvio Santos: uma trajetória de sucesso

Hábil comunicador e empresário sagaz, o ex-camelô Senor Abravanel construiu um verdadeiro império.

Um dos grandes empresários da televisão, Silvio Santos Santos começou a ganhar a vida como camelô nas ruas do Rio de Janeiro, sua cidade natal, onde nasceu em 12 de dezembro de 1930. De origem judia, o Homem do Baú, como ficou conhecido após a fama, começou sua carreira na Rádio Continental, onde usava o nome de batismo, Senor Abravanel, passando depois para Silvio Abravanel até chegar a Silvio Santos.

Após se mudar para São Paulo, Silvio começou a trabalhar em circos, apresentando espetáculos e sorteios em caravanas de artistas. Em 1962, estreou seu primeiro programa, Vamos Brincar de Forca, na TV Paulista. Dois anos depois, surgiu o Programa Silvio Santos. Dez anos depois, a TV Paulista foi incorporada à Rede Globo, o apresentador quase saiu da emissora, mas o Roberto Marinho o convenceu a ficar e renovou seu contrato por mais quatro anos.

Silvio Santos na Globo

Com o contrato, Silvio não poderia ser acionista ou dono de emissora de televisão, motivo que o fez sair da Globo. Silvio partiu para novos empreendimentos e adquiriu Baú da Felicidade. Em 1976, Silvio começou a comprar horários na Rede Tupi. Em 1975, o presidente Ernesto Geisel assinou um decreto no qual concedeu ao apresentador o canal 11 do Rio de Janeiro. Ele passou a transmitir seus programas simultaneamente na Tupi e na TVS (TV Studios).

Em 1980, o Programa Silvio Santos foi transferido para a Rede Record. No ano seguinte, Silvio Santos obteve licença para operar o canal 4 de São Paulo, que se tornou a TVS da capital paulista. A partir das emissoras do Rio e de São Paulo, surgiu o embrião do SBT. A emissora se expandiu rapidamente por meio das afiliadas.

Na época, o programa Silvio Santos ainda continuava na Record, especialmente para alcançar o interior de São Paulo. A marca SBT passou a ser usada em toda a rede em fins dos anos 1980.

Silvio Santos com Gugu Liberato, treinado pelo patrão para dividir o domingo com ele

Em 1987, Silvio teve uma suspeita de câncer na garganta e devido ao tratamento, que fez no exterior, ficou algumas semanas sem gravar os seus programas dominicais. No ano seguinte, o também apresentador Gugu Liberato, pupilo de Silvio, passou a apresentar alguns quadros do Programa Silvio Santos. Sua participação cresceu nos anos 1990, com o sucesso da atração Domingo Legal. Outros quadros passaram a ser comandados por Celso Portiolli.

Em 1989, Silvio Santos tentou ser candidato a presidente do Brasil, mas, as brigas entre grupos políticos, acordos e negociações o fizeram desistir. No ano seguinte, Silvio Santos e Paulo Machado de Carvalho venderam a Rede Record para o empresário Edir Macedo, dono da Igreja Universal.

Silvio Santos com a primogênita, Cintia Abravanel


Em fevereiro de 2001, no mesmo ano em que foi homenageado pela escola de samba carioca Tradição, sua filha Patrícia Abravanel foi sequestrada na porta da mansão da família Abravanel, no Morumbi, em São Paulo. Após dias de negociação, o resgate foi pago e Patrícia libertada. Tempo depois, o sequestrador voltou a casa e manteve Silvio e toda sua família como reféns. Ao final, se entregou à polícia e foi preso, mais tarde o sequestrador veio a morrer na prisão.

Silvio Santos desfila na escola Tradição, em 2001

Silvio Santos criou um verdadeiro conglomerado empresarial, o Grupo Silvio Santos, que chegou a ser formado por 37 empresas, com cerca de 20 mil funcionários, na rede Baú da Felicidade, que contou com as lojas do Baú, a Liderança Capitalização (que opera a Tele-Sena), o Hotel Jequitimar e os cosméticos Jequiti. O banco Panamericano recebeu propostas de compra em 2004 e 2005 por grupos financeiros do Brasil e do exterior, mas Silvio Santos não abriu mão do negócio na época. O Teatro Imprensa também pertence ao Grupo Silvio Santos, mas está fechado desde 2011.

Silvio Santos em reunião com Zé Celso acompanhada por Eduardo Suplicy e João Doria sobre terreno ao lado do Teatro Oficina: briga pública de mais de 30 anos

Nas últimas três décadas trava uma disputa pública com o diretor de teatro José Celso Martinez Corrêa, porque Silvio quer construir prédios no terreno que tem ao lado do Teatro Oficina, no Bixiga, o que o diretor teatral é terminantemente contra. Silvio chegou a visitar o teatro, mas depois a relação entre os dois gigantes das artes piorou outra vez. Até hoje o imbróglio não foi solucionado.

Silvio Santos com a primeira mulher, Cidinha, e as duas filhas mais velhas, Cintia e Silvia Abravanel

Silvio foi casado com Cidinha, que morreu de câncer na década de 1970, com quem teve as filhas Cintia e Silvia. No final dos anos 1970, o apresentador casou-se novamente com Íris, sua atual mulher, que tornou-se novelista do SBT. Com ela teve mais quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata. Ele tem 13 netos, entre eles o ator e cantor Tiago Abravanel, filho da primogênita, Cintia, e quatro bisnetos.

Silvio Santos e a segunda mulher, Íris Abravanel
Silvio Santos com suas “colegas de auditório” no SBT em seu programa dominical

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Bob Sousa.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *