Anitta ajuda a pensar soluções para crise da cultura em debate da Unesco

Estrela brasileira ajuda a pensar políticas internacionais para o setor cultural nesta pandemia

A cantora Anitta participa do debate global ResiliArt, promovido pela Unesco e a Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (Cisac) no site da Unesco: unesco.org/resiliart-debate.

“A maioria da sociedade, quando escuta o nome ‘artista’, glamoriza muito essa profissão. Eles pensam que é sobre cantores ricos e tudo o que eles veem na televisão”, falou a cantora, cada vez mais politizada.

“Mas talvez elas não saibam, ou esqueçam, de que há uma grande parte deste grupo que está começando”, disse, antes de ressaltar: “É importante para a sociedade que entendam que essa classe de pessoas não é só sobre os artistas e pessoas famosas que elas veem na televisão. É muito mais que isso. Quando falamos da palavra ‘artistas’, estamos falando de muitas pessoas, inclusive as menos famosas”.

“Nós sabemos nossos direitos”, disse Anitta. “E nossos diretos estão tentando ser roubados”, falou, sobre a tentativa governamental de tirar direitos autorais dos artistas em plena pandemia no Brasil. “Há duas semanas, o governo aqui do Brasil tentou usar ferramentas que poderiam ser soluções de emergência para a Covid-19. [em seu favor]. Muitas pessoas estão tomando vantagem disso, e com coisas que são muito ruins para os artistas”, pontou Anitta, antes de dizer que a internet tem força para espalhar boas informações às pessoas e promover um debate público.

Crise na cultura

Anitta discute na Unesco sobre soluções para as indústrias criativas em meio à maior paralisação de produtos e serviços culturais em décadas. O debate pretende traçar um panorama do setor artístico e os passos que deverão ser dados nas próximas semanas para voltar a pôr a roda da cultura para girar.

No evento virtual, Anitta tem as companhias de lideranças mundiais no setor artístico, como Pascal Rogard, diretor-geral da Sociedade de Autores e Compositores Dramáticos (SACD), da França; Fouzia Saeed, diretora-geral do Conselho Nacional das Artes do Paquistão; Cheick Oumar Sissoko, secretário-geral da Federação Pan-Africana de Cineastas; Mohamed Saif Al-Afkham, presidente do Instituto Internacional de Teatro, representando nações árabes; Ferne Downey, presidente da Federação Internacional de Atores; e Jana Vozárová, diretora-geral da sociedade de autores Lita, da Eslováquia.

A live é a terceira grande ação do ResiliArt que, desde a sua estreia, em 15 de março, Dia Mundial da Arte, reuniu grandes nomes do audiovisual e da música, além de ministros da cultura de mais de 140 países para oferecer soluções e saídas para a enorme crise do setor cultural decorrente da paralisação da atividade econômica.

A ideia é engrossar um documento-guia de ações que será enviado a legisladores e representantes governamentais de diferentes nações, a fim de mitigar os multimilionários prejuízos financeiros aos autores. Após a transmissão ao vivo, a União Brasileira de Compositores (UBC) disponibilizará os melhores momentos no site da entidade: http://www.ubc.org.br/

Siga @miguel.arcanjo

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 20/05/2020

    […] realidade é diferente do que afirmou a atriz. Tanto que Anitta, também em reunião com a Unesco, disse que muitos artistas e técnicos no Brasil estavam passando sérias dificuldades, sobretudo a grande maioria que […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *