Morte de Gonzagão faz 30 anos e cantor ganha exposição em SP

Luiz Gonzaga – Foto: Divulgação – Coluna @miguel.arcanjo UOL

Para lembrar os 30 anos da morte de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, a exposição “Luiz Gonzaga, na Eternidade dos 30!” apresenta o ídolo pernambucano às novas gerações com entrada gratuita no Centro Cultural Santo Amaro, em São Paulo.

A mostra com curadoria de Assis Ângelo apresenta fotos e discos raros do cantor que gravou 627 músicas em uma das carreiras mais respeitadas da indústria fonográfica nacional. A cenografia é de Celso Rorato, com produção executiva de Renata Marques e direção de arte de Anna Lúcia Buchalla.

Gonzagão, como era chamado, morreu em 2 de agosto de 1989, aos 76 anos. Também em 2019 se comemora os 70 anos do lançamento da gravação do primeiro forró que se tem notícia, o “Forró de Mané Vitor”, de autoria de Luiz Gonzaga e do parceiro Zé Dantas, marco da cultura nordestina.

Estão na exposição dirigida por Sylvia Jardim 32 LPs e raridades musicais como Peggy Lee cantando “Juazeiro, Keiko Ikuta cantando “Baião de Dois e Paraíba” e David Byrne e Forró in the Dark fazendo dueto em “Asa Branca”.

A mostra pode ser vista até 7 de novembro, de segunda a domingo, das 10h às 17h, de graça. O Centro Cultural Santo Amaro fica na av. João Dias, 822, na zona sul paulistana. Escolas e grupos podem agendar visita pelo telefone 11 5541-7057. Imperdível.

Siga @miguel.arcanjo

Você pode gostar...