Crítica | As Cadeiras é tocante homenagem de Marco Nanini e Fernando Libonati a Camilla Amado e poesia do teatro ★★★★

O diretor Fernando Libonati e o ator Marco Nanini na estreia do filme As Cadeiras no Cine Petra Belas Artes – Foto: Rafa Marques – Blog do Arcanjo

Filme repleto de sensibilidade pode ser visto no Petra Belas Artes por uma semana

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

As Cadeiras ★★★★

Uma despedida repleta da poesia do melhor do teatro. Assim pode ser definido o filme As Cadeiras, baseado na icônica peça de Eugène Ionesco e que marca o último trabalho artístico da grande atriz Camilla Amado (1938-1921), ao lado do amigo e também ator de excelência Marco Nanini, ambos sob direção afetuosa de Fernando Libonati. Após sucesso no Rio de Janeiro, onde levou alguns dos principais nomes das artes cariocas ao cinema Estação Botafogo, o longa estreia em São Paulo nesta quinta, 13 de outubro, e fica em cartaz por apenas uma semana, até 19 de outubro, sempre às 19h30, na Sala Rubens Ewald Filho do Cine Petra Belas Artes (r. da Consolação, 2423, metrô Paulista). Retire seu ingresso!

Queríamos muito fazer esse trabalho, As Cadeiras, que seria apresentado no teatro e foi filmado, mas a Camilla Amado faleceu e, infelizmente, não conseguimos encenar no teatro, mas conseguimos deixar sua marca eternizada no cinema. Estrear este filme em São Paulo é especial, porque morei muito tempo aqui e voltar a São Paulo, para mim, sempre é bom.

Marco Nanini
ator

O filme nasceu do da peça de teatro As Cadeiras, encenada para o formato digital no contexto da pandemia e da quarentena. A ideia partiu da própria atriz, que havia feito sua estreia no teatro, ainda na juventude, com o histórico texto de Ionesco e planejou encerrar sua carreira com a mesma obra. Durante as filmagens, a atriz já havia recebido o diagnóstico de câncer, que a levou poucos dias após assistir ao filme finalizado.

Camilla Amado e Marco Nanini no filme As Cadeiras – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

As Cadeiras une o poético do movimento vivo típico da cena teatral aos recursos da fotografia em movimento do audiovisual, presenteando o público com momentos de rara beleza, que são verdadeiras aulas de interpretação, além de cenas profundamente comoventes, como a que encerra o longa, do qual é impossível sair sem lágrimas nos olhos.

É um texto muito forte, um clássico do teatro, que mostra o último dia na vida de um casal nonagenário, repleto de recordações em um jogo final. Camilla e Nanini queriam ter esse encontro e resolvemos que aquele momento da pandemia seria o ideal.

Fernando Libonati
diretor

A história da peça, com seus dois idosos nonagenários que vivem isolados em uma ilha e fazem suas reflexões sobre o passado e a situação na qual se encontram, apresenta uma verdadeira reflexão sobre nosso caminhar no mundo e o que deixamos como legado.

Ao escolher finalizar sua carreira com um texto tão expressivo e contracenando com um ator à altura de seu talento, Camilla Amado deixa sua marca eternizada pelo cinema sensível e íntimo construído por Fernando Libonati e sua equipe em um filme recheado de amor. Se você quiser um pouco de poesia nesta crueza chamada vida e entender as profundezas da beleza chamada teatro, corra para o cinema e veja As Cadeiras!

As Cadeiras ★★★★ Muito Bom
Crítica por Miguel Arcanjo Prado
BRA, 2022, 69 min. Com Camilla Amado e Marco Nanini. Dir. Fernando Libonati. Livre.
De 13 a 19/10/2022 às 19h30 no Cine Petra Belas Artes. Retire seu ingresso!

Pré-estreia de As Cadeiras em São Paulo reúne personalidades das artes no Cine Petra Belas Artes

Com sua mescla de teatro e audiovisual, As Cadeiras teve disputada pré-estreia na última segunda, 10, à qual compareceram o diretor Libonati e o protagonista Nanini, além de personalidades da classe artística paulistana. A sessão comovente foi bastante aplaudida ao final, sendo em uma verdadeira ode ao legado de Camilla Amado à dramaturgia nacional. O Blog do Arcanjo esteve por lá e mostra quem prestigiou nas fotos de Rafa Marques.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP