Musical Cindy é Ele reverencia Beyoncé, Cindy Lauper e Jessie J no Espaço ao Cubo

Cena do espetáculo que estreia dia 06 de agosto na Barra Funda em SP - Foto: Caio Galucci – Blog do Arcanjo
Cena do espetáculo que estreia dia 06 de agosto na Barra Funda em SP – Foto: Caio Galucci – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Fãs e admiradores das divas do pop music mundial já podem se preparar, pois neste sábado, 06 de agosto, estreia o musical Cindy é Ele, no Espaço ao Cubo, localizado na Barra Funda, região central da capital paulista.

O espetáculo traz canções das icônicas Beyoncé, Cindy Lauper e Jessie J com versões de Rafael Oliveira (do projeto Musical em Bom Português) e todos os personagens do conto original – como o príncipe, a fada madrinha e os ratinhos repaginados -, estão atualizados e personificados como figuras do cotidiano.

A montagem conta ainda com roteiro original e direção geral de Allan Oliver – indicado ao Prêmio Arcanjo de Cultura, direção musical de Samir Alves e coreografias de Isa Castro. O elenco é formado pelos atores Pietro Dal Monte, Ju Blaz, Rebeca Britto, Luiz, Ana Flávia, Samir, Cath, Arthur, Monique, Monalisa, Davi, Gaby, Yan, Sol, Elisa, Livia e Jeniffer.

O projeto, independente e autoral, é um dos três atrações que a Dagnus Produções promove em 2022. Em breve, a produtora comandada por Allan Oliver também traz aos palcos Cyberbullying – O Musical e O Mistério de Feiurinha, adaptação do livro clássico de Pedro Bandeira.

Colaborou Michele Marreira

Cindy é Ele

Onde: Espaço ao Cubo – Rua Brigadeiro Galvão, 1010, Barra Funda, SP.
Quando: De 06 a 28 de agosto de 2022. Sábados, às 14h. Domingos, às 15h.
Quanto: De R$35,00 (meia) a R$70,00 (inteira) – Retire seu ingresso!

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Jô Soares sofre censura após morte Diário de Pilar na Grécia faz temporada no Teatro das Artes em SP O Deus de Spinoza estreia no Teatro Itália Bandeirantes Teatro nos Parques percorre SP e Brasil ‘Se fosse homem, teria mais visibilidade’, diz Eloisa Vitz