Teatro nos Parques percorre SP e Brasil com missão de democratizar as artes cênicas em sua 17ª edição

Teatro nos Parques: Edson Caieiro e Cia Navega Jangada na estreia da 17ª edição com Temos Vagas no Parque Ceret em São Paulo – Foto: Rafa Marques – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo
Fotos RAFA MARQUES
@rafamarquesfotografo_jpg

17º Teatro nos Parques tem 12 espetáculos ao ar livre em São Paulo, além de viajar interior paulista, Minas e Pernambuco

A natureza presenteou com um belo domingo de sol a estreia do Teatro nos Parques Unilever 2022, bastante aplaudida pelo público presente no Parque Ceret. Em sua 17ª edição, o evento reúne 12 espetáculos com apresentações gratuitas nos parques de São Paulo entre 24 de julho e 14 de agosto (confira programação completa).

O Blog do Arcanjo acompanhou de perto o primeiro espetáculo, Temos Vagas, da Cia. Navega Jangada, apresentado para as famílias que curtiam o domingão no Parque Ceret, no Jardim Anália Franco, na zona leste de São Paulo.

Vestido com o colete verde e a camisa do projeto que idealizou e estreou em 2009, Edson Caieiro demonstrava em seu sorriso no rosto a felicidade em retomar o Teatro nos Parques, após hiato de dois anos por conta da pandemia.

Edson Caieiro, idealizador e diretor do Teatro nos Parques: democratizando o acesso ao teatro Brasil afora – Foto: Rafa Marques – Blog do Arcanjo

O produtor cultural lembrou da dificuldade que é produzir um evento dessa magnitude e reforçou a importância de empresas serem socialmente conscientes, como sua patrocinadora Unilever, ao apoiarem o teatro, sobretudo o teatro de rua.

“Graças a esse apoio da Unilever vamos poder chegar a lugares como Pernambuco”, adianta. “Este projeto é feito pela junção dos artistas, da iniciativa privada por meio da Unilever e das Prefeituras locais”.

No bojo da 17ª temporada, Caieiro e sua equipe reuniram obras para a família inteira com alguns dos principais nomes do teatro brasileiro, como as companhias Pia Fraus, Pasárgada, Navega Jangada, e Barracão Cultural.

“Após São Paulo, capital e interior, levaremos o projeto para Minas Gerais e para Pernambuco, onde o Teatro nos Parques vai acontecer pela primeira vez em parceria com grupos pernambucanos”, comemora.

“Nosso foco sempre foi a formação do público e democratizar o acesso ao teatro. Sempre nas peças do Teatro nos Parques há mais de uma pessoa que conta que está vendo uma peça de teatro pela primeira vez”, recorda Caieiro.

Após a capital, estão programadas apresentações em cidades do interior paulista como Valinhos, Indaiatuba e Aguaí, além de Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, e Joboatão dos Guararapes e Garanhuns, em Pernambuco.

Público celebra estreia do 17º Teatro nos Parques com Temos Vagas da Cia Navega Jangada no Parque Ceret – Foto: Rafa Marques – Blog do Arcanjo

Tudo isso só é possível com uma equipe preparada em enfrentar toda a logística necessária.

“Tenho uma excelente equipe, que foi se formando ao longo das edições. Criamos o projeto em 2007, ele foi aprovado em 2008 e realizamos a primeira edição em 2009. Já se vão 13 anos e 17 edições. Tenho o Roberto Rosa, meu sócio que trabalha na produção e na gestão financeira, sem o qual nada disso é possível. Também tem a Rose Cunha, que é nossa produtora de logística de contratação, e a Patrícia Vinholi que cuida das nossas redes, entre tantos outros que fazem acontecer, como ainda os produtores locais com os quais trabalhamos. Porque sempre fazemos questão de contratar artistas e produtores locais dos lugares onde chega o Teatro nos Parques”, orgulha-se.

Blog do Arcanjo mostra bastidores da Cia Navega Jangada com Temos Vagas na abertura do 17º Teatro nos Parques no Parque Ceret

Blog do Arcanjo mostra como foi abertura do 17º Teatro nos Parques com Temos Vagas da Cia Navega Jangada de Teatro

12 peças pelos parques paulistanos

Ao todo, sete parques paulistanos recebem os 12 espetáculos, com o apoio da Prefeitura de São Paulo. São eles: Ceret (Tatuapé), do Nabuco (Vila Santa Catarina), Trote (Zona Norte), Previdência (Butantã), Anhanguera (Perus), São Domingos (Pirituba) e Raul Seixas (Itaquera).

A Cia. Navega Jangada, que abriu o projeto com Temos Vagas (no dia 24 de julho, às 11h, no Parque CERET), encena ainda Vende-se um Trombone (14 de agosto, às 11h, no Parque Raul Seixas), com vizinhos diferentes que precisam conviver.

A consagrada Cia. Pia Fraus, especializada em teatro de bonecos, apresenta Círculo das Baleias no dia 30 de julho, às 15h, no Parque do Nabuco, com uma obra que reforça a importância de se preservar as baleias jubarte.

O Grupo Pasárgada encenou O Lixão no dia 24 de julho, às 14h, no Parque Ceret, sobre uma montanha de lixo que surgiu em um terreno baldio situado entre dois prédios, graças ao desleixo dos moradores daquele lugar.

Já a companhia Barracão Cultural adaptou a obra de Eva Funari no espetáculo Nós, no Parque da Previdência, no dia 6 de agosto, às 15h. Na trama, Mel, uma garota que vive rodeada de borboletas e sofre bullying, acaba com o corpo cheio de nós de tanto segurar o choro e a mágoa, e precisa aprender a desatá-los.

Outras convidadas para o projeto Teatro nos Parques Unilever são a Cia. Núcleo com a peça Os Cirandeiros; a Cia. Estripulias Imagináveis com As Aventuras Atrapalhadas de Gibilo e Graveto; a Cia da Tribo com Água Doce; a Cia. Eureka com R.U.A – Recontando uma História; a Cia. Lúdicos de Teatro com Piolim; a Cia. Namakaca com É Nóis na Xita; e o Núcleo Fora da Ordem com Tá Sentindo O Quê?.

Sobre o Teatro nos Parques Unilever

Criado em 2009, o Teatro nos Parques Unilever tem a missão de planejar e executar projetos de teatro, circo e dança para todas as idades e classes sociais, em espaços abertos e teatros com acessibilidade garantida para toda população. Até maio de 2022, em sua 16ª edição, o projeto já realizou 560 apresentações teatrais em 6 estados e 25 cidades brasileiras, ficando entre uma das maiores temporadas itinerantes de teatro do país. O projeto é realizado pela Estima Cultural, com patrocínio da Unilever.

Criador

Edson Caieiro, idealizador e coordenador do projeto, fala sobre a importância do Teatro nos Parques Unilever para a formação de público. “Desde a sua primeira edição, muitas pessoas nos dizem, entusiasmadas, que é a primeira vez que estão vendo uma peça de teatro. Geralmente emocionadas, contam que normalmente não têm acesso ou não têm o costume de procurar por peças gratuitas em instituições”, conta Edson, que reitera a importância de levar o projeto para periferia dos centros urbanos. Outro ponto interessante e curioso é “desmistificar o fazer teatral. Como os espetáculos acontecem em parques e ao ar livre, tudo acontece aos olhos do público. A montagem, o aquecimento, a maquiagem. E isso não quebra a magia, pelo contrário. Isso aproxima o público daquela experiência única que está vivendo”, conclui.

Estima Cultural

A Estima Cultural atua na gestão e realização de ações voltadas para facilitar o acesso da população aos bens culturais. Seus projetos têm alcançado êxito e provocado encantamento em pessoas das mais diversas faixas etárias e classes sociais, possibilitando que a arte seja reconhecida como elemento de apreciação e geração de renda. Os Projetos da Estima buscam promover a cultura e as artes brasileiras, oferecendo à população programações gratuitas acessíveis e de qualidade. Ao mesmo tempo em que investe na geração de trabalho e renda para a extensa cadeia produtiva formada por profissionais e prestadores de serviços envolvidos na realização de eventos e programas culturais.

Unilever

Construir um futuro melhor! É nisso que a Unilever foca seus esforços, com o objetivo ser uma agente de transformação social, impactando positivamente em prol de um mundo mais justo e inclusivo. Apoia e patrocina diversos projetos por meio de leis de incentivo federais (Cultura, Audiovisual, Esporte, Lei do Idoso, Infância e Adolescência, Pronon e Pronas) e estaduais (RJ e MG). Seguindo os critérios: Projetos de alto impacto social, possibilitando uma real transformação em milhares de vidas e que reflitam os pilares do plano de negócios sustentável, o Unilever Compass. “Apoiar a democratização da cultura e o desenvolvimento de projetos que impulsionem o impacto social positivo e a discussão sobre sustentabilidade é uma das bandeira da Unilever em todos os países em que atua. Entendemos que é endossando iniciativas que engajem a sociedade com a arte, cultura e a conscientização social e ambiental, que caminharemos mais depressa rumo à economia circular que tanto acreditamos. O Projeto Teatro Nos Parques vem ao encontro do propósito da companhia, além de gerar renda e empregos por meio da contratação de artistas locais. Tudo isso trabalhando a criatividade de crianças e ensinando crianças e adultos. Estamos muito felizes em poder fazer parte desse projeto para conscientizar as pessoas a cuidarem da saúde do planeta”, diz a empresa.

Teatro nos Parques Unilever 2022

Programação completa

24 de julho, domingo

11h – Temos Vagas, com Cia. Navega Jangada

Um antigo circo anuncia: “TEMOS VAGAS”, a partir de então, dois palhaços (um jornaleiro e um artista) disputam essa vaga (que não se sabe ainda para qual função será), inicia-se a engraçada disputa pela vaga, tentando realizar comicamente diversos números clássicos de circo, como: O Homem mais forte do mundo”; A Mulher Barbada; O Grande Mágico; entre outros. Afinal, quem será o dono da vaga?

Local: Parque CERET – Rua Canuto de Abreu, s/n° – Tatuapé

14h – O Lixão, com Grupo Pasárgada

Provocada pelo desleixo dos moradores, uma montanha de lixo surge em um terreno baldio situado entre dois prédios de apartamentos. A convivência com o lixão altera as relações pessoais, ninguém assume a responsabilidade pelo seu aparecimento e todos reclamam do incômodo vizinho. Até que um dia resolvem fazer alguma coisa.

Local: Parque CERET – Rua Canuto de Abreu, s/n° – Tatuapé

16h – Os Cirandeiros, com Cia. Núcleo

Cantigas populares, brinquedos antigos, desafios com o ritmo e o verbo, e o encontro com as brincadeiras coletivas são o foco do espetáculo “Os Cirandeiros” que fala sobre Brincar e incentiva a participação do público, que é convidado a interagir e se divertir numa grande brincadeira, trazendo um pouco das manifestações que foram incorporadas em canções como cantigas de roda, marchinhas e trovas de amor, numa celebração à cultura e tradição popular brasileira.

Local: Parque CERET – Rua Canuto de Abreu, s/n° – Tatuapé

30 de julho, sábado

15h – Círculo das Baleias, com Cia. Pia Fraus

Jujuba, uma pequena baleia jubarte, nascida na Bahia, conta com a ajuda de Gardel, um simpático pinguim argentino, que a acompanhará em suas aventuras até chegar ao Polo Sul. O espetáculo infantil é uma viagem ao fundo do mar. As crianças conhecerão uma parte do ciclo de vida das baleias jubarte, a baleia brasileira por excelência, bem como as condições necessárias para a sobrevivência destes animais.

Local: Parque do Nabuco – Rua Frederico Albuquerque, 120, Jabaquara.

31 de julho, domingo

15h – Água Doce, com Cia da Tribo

A peça trata da relação do homem com a água doce, dando destaque aos rios brasileiros por meio do mito da Iara e de outros seres folclóricos presentes nas comunidades ribeirinhas. Com bonecos originais, o espetáculo traz à tona rios, córregos e nascentes que foram esquecidos pela urbanização nas grandes cidades. A Cia da Tribo apresenta lendas e personagens brasileiros como Iara, a Mãe do Rio; Cabeça de Cuia; Jaguarão; Pirarucu; e a Cobra Grande.

Local: Parque do Trote – Avenida Nadir Dias de Figueiredo, s/n – Portão 1 – Vila Maria

15h – As Aventuras Atrapalhadas de Gibilo e Graveto, com Cia Estripulias Imagináveis

Abandonado por seus companheiros de picadeiro, Gibiló, “O Rei do Poropopó”, procura um novo parceiro para, com ele, retornar aos tempos de sucesso do Circo Pirilampo, do qual foi dono e estrela principal. Assim encontra Graveto, palhaço fanfarrão que, para ganhar o emprego no circo, deverá passar por vários testes. Esta atrapalhada e divertida audição fará o público, de todas as idades, rir e se emocionar, relembrando, revivendo ou conhecendo pela primeira vez, velhas e marcantes esquetes da arte circense brasileira.

Local: Parque do Nabuco – Rua Frederico Albuquerque, 120, Jabaquara.

6 de agosto, sábado

15h – Nós, com Barracão Cultural

Mel é uma garota que nasceu em um repolho mofado, vivia feliz rodeada por borboletas, mas não escapava das brincadeiras e zombarias. De tanto segurar as mágoas e o choro, ela acabou com o corpo cheio de nós e resolveu ir embora para uma cidade distante. À medida que vivenciava cada coisa diferente que encontrava, seus nós iam se desfazendo, até que encontrou alguém que ganhou sua confiança e que também tinha um nó. E ela conheceu uma cidade onde cada um tinha seu próprio nó e ninguém ligava para isso.

Local: Parque da Previdência – Rua Pedro Peccinini, 88, Instituto de Previdência, Butantã

7 de agosto, domingo

11h – R.U.A – Recontando uma História, com Cia. Eureka

Dois garis trabalham, carregando uma grande lixeira repleta de sucatas, quando, por meio de uma simples lembrança, embarcam em uma aventura inesperada, recontando, de forma criativa e lúdica, o clássico “Moby Dick”. A Cia. Eureka, trabalhando com “Teatro de Objetos” e “Teatro de Formas Animadas”, promove um “reuso” de materiais diversos, que são ressignificados, ganhando valores simbólicos e metafóricos, muito característicos das brincadeiras de crianças.

Local: Parque Anhanguera – Estrada de Perus, 1000 – Perus

15h – Piolin, com Cia Lúdicos de Teatro

Inspirada livremente em momentos da vida de Piolin, a Cia Lúdicos de Teatro popular reconta, de forma antropofágica, a história do palhaço que nasceu no picadeiro e morreu engasgado com uma bala. Naquela fração de segundo que antecede a sua morte, em frente ao espelho de seu camarim, sua história vem à tona, desde uma narrativa fantástica de seu nascimento até o despejo do seu circo, passando pelo almoço com os modernistas e pela presença de figuras importantes nas arquibancadas de seu circo. Com delicadeza, humor e melancolia, Piolin propõe uma reflexão sobre a valorização das praticidades em detrimento do espaço de poesia que precisa resistir dentro de todos nós.

Local: Parque Anhanguera – Estrada de Perus, 1000 – Perus

13 de agosto, sábado

15h – É nóis na Xita, com Grupo Namakaca

O espetáculo circense mostra o convívio entre três personagens: Du Circo, Montanha e Cafi, que disputam os aplausos do público, aceitando os próprios equívocos como fonte de inspiração. Além de malabarismos, monociclos, acrobacias, equilibrismos e palhaçaria, o espetáculo é também musical, brincando com ritmos tipicamente brasileiros e instrumentos da cultura popular como cavaquinho, o pandeiro e a percussão.

Local: Parque São Domingos – Rua Pedro Sernagiotti, 125, Pirituba

14 de agosto, domingo

11h – Vende-se um Trombone, com Cia. Navega Jangada

Todo mundo tem um vizinho e sua forma de se relacionar com ele. Dona Genoveva e Surfistinha do Trombone tem personalidades bem diferentes, o que faz com que essa convivência seja bem peculiar., ainda mais quando um trombone entra em cena. Sr. Dirço é o sanfoneiro artista de rua que compartilha dessa relação. Como conviver, como entender essas diferenças de gerações?

Local: Parque Raul Seixas – Rua Murmúrios da Tarde, 211, Itaquera

15h – Tá Sentindo o Que?, com Núcleo Fora de Ordem

Alegria, tristeza, medo, saudades, ansiedade, raiva … são tantos sentimentos… Reconhecer os sentimentos é muito importante para aprender a lidar com eles. No espetáculo, apresentado e ilustrado por bonecos, queremos conversar com as crianças sobre permitir-se sentir. Então, em uma aventura, com encontros divertidos e significativos, os bonecos buscam o Sr. Equilíbrio para descobrir e entender seus sentimentos e, assim, equilibrá-los.

Local: Parque Raul Seixas – Rua Murmúrios da Tarde, 211, Itaquera

Teatro nos Parques Unilever 2022

Quando: De 24 de julho a 14 de agosto, aos sábados e domingos (confira datas acima)
Onde: Em vários parques da cidade de São Paulo – confira a programação completa
Quanto: Grátis, basta chegar

Siga @teatronosparques

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo de Cultura, Melhores do Ano Blog do Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor dos Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil. Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Teatro nos Parques percorre SP e Brasil ‘Se fosse homem, teria mais visibilidade’, diz Eloisa Vitz Musical A Pequena Sereia encanta família inteira no Teatro Santander Capital Inicial lança Natasha com feat de Marina Sena Evita Open Air conquista o público no Parque Villa-Lobos