Tiradentes em Cena celebra 10 anos de mostra de teatro na charmosa cidade histórica mineira

Mostra de Artes Cênicas Tiradentes em Cena comemora uma década com programação de qualidade de 25 a 28 de maio de 2022

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo
Enviado especial ao Tiradentes em Cena*

Uma das mais charmosas e agradáveis cidades do Brasil, a histórica Tiradentes, em Minas Gerais, vai respirar teatro entre 25 e 28 de maio, desta quarta a sábado, com a realização da 10ª edição da Mostra de Artes Cênicas Tiradentes em Cena.

Além de comemorar uma década de dedicação incansável aos palcos, o evento festeja ainda os 30 anos do grupo mineiro Armatrux, que faz história ao poetizar objetos e bonecos em cena.

Este retorno ao presencial é um momento especial para o evento, já que foram dois anos pelas plataformas digitais, sem a presença do público cara a cara com os artistas, que agora é retomada.

30 anos do Grupo Armatrux é celebrado nos 10 anos do Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

Pensando neste novo momento, o tema escolhido é Tempo, para marcar a nova era de transformação e reencontros por meio da arte. Aliás, o evento está no calendário artístico oficial de Tiradentes, terra de alguns dos mais importantes festivais mineiros.

É uma alegria completar 10 anos da Mostra Tiradentes em Cena e poder reverenciar nossa trajetória de resistência, os encontros promovidos, ver a força da cadeia produtiva, de técnicos a artistas que passaram pela cidade nesta última década para fazer cultura e transformar nossa realidade.

Aline Garcia
idealizadora e diretora geral do Tiradentes em Cena

Aline Garcia reforça que “o teatro é a maneira mais profunda de comunicação na arte por se tratar de uma interação ao vivo, de pessoa a pessoa”. Por isso, a ideia neste ano tão emblemático foi buscar um tema que captasse a essência dos acontecimentos. “Daí a ideia do tempo. Seja no teatro ou na vida, é impossível fugir dele. Ele pulsa e nele se inscreve toda nossa trajetória de 10 anos”, pontua.

Assim como já é tradição, o Tiradentes em Cena oferta ao público atrações diversas e de múltiplas linguagens: oficinas, peças, roda de conversas, tudo que leve o mundo das artes cênicas e da cultura ao grande público e de forma a estimular as produções locais.

O Blog do Arcanjo acompanhará todos os detalhes do evento de perto e haverá um bate-papo sobre produção cultural com o jornalista Miguel Arcanjo Prado, CEO do site.

Sesc Minas parceiro do Tiradentes em Cena

A Mostra Tiradentes em Cena conta com as rodas de conversa em parceria com o Sesc em Minas. Esse ano, a mesma união promoverá a tragicomédia “Thácht”, do grupo homenageado, Armatrux. Após a peça, teremos uma conversa com o elenco sobre pesquisa teatral, trajetória do grupo e tempo de estrada. 

O mesmo formato acontecerá com o monólogo “Orfãs de dinheiro”, da atriz Inês Peixoto. Após a peça, escrita e encenada pela artista, no dia seguinte, haverá uma roda de conversa sobre processos e percursos criativos no cotidiano artístico.

O espetáculo “Enquanto Estamos aqui”, com texto de Sérgio Rovere direção de Leonardo Fernandes, é outro fruto da parceria com o Sesc e segue mesma configuração.

Um dos compromissos mais importantes para o Sesc em Minas é promover a cultura em várias partes do estado. Essa parceria com 10a Mostra de Artes Cênicas Tiradentes em Cena é motivo de dupla satisfação para nós. Primeiro pela possibilidade de retorno dos eventos com a presença do público, que em Tiradentes é tão diverso, formado pela população local e muitos turistas. Depois pela oportunidade de difundir saberes e reflexões sobre a produção cultural por meio das atividades formativas e rodas de conversa que o Sesc apresentará com presenças selecionadas de artistas e profissionais do setor. Dessa forma, além dos espetáculos, o evento oferecerá um importante momento dedicado ao fomento das artes, contribuindo não só para que a Mostra se torne mais longeva, mas também com uma cena cultural ainda mais potente em todo o estado.

Luciano Fagundes
diretor Regional do Sesc em Minas.

Campus Cultural UFMG parceiro do Tiradentes em Cena

O Campus Cultural UFMG em Tiradentes é outro parceiro da Mostra Tiradentes em Cena. Junto ao evento,  a Oficina Poética dos Sentidos com o Diretor de teatro, ator, músico, investigador de experiências sensoriais, o colombiano Gabriel Hernandéz com produção de Carol Correa.  

Também no Sobrado, a peça Efémero do estudante de doutorado do Programa de pós-graduação em Artes da Escola de Belas Artes da UFMG, Fabrício  Trindade.Outra atração é o vídeo mapping na fachada do Museu Padre Toledo, administrado pelo Campus Cultural UFMG, do artista, designer gráfico e diretor de projetos multimídia, Bernardo Leite.

Cenas Curtas chega à sétima edição

Pelo sétimo ano consecutivo, o Tiradentes em Cena promove em paralelo o Festival de Cenas Curtas. Idealizado com o ator e produtor Vinicius Cristóvão, acontece on line, em plataformas digitais. O objetivo é ampliar ainda mais o alcance ao grande público. Trata-se de fomentar a experimentação, na qual teatro e audiovisual se entrelaçam ao criar poéticas tecnológicas. Após edital divulgado antes da Mostra, um júri seleciona três cenas vencedoras para se apresentam no canal do Youtube do Tiradentes em Cena.

A Mostra de Teatro Tiradentes em Cena é aberta ao público, realizada com patrocínio da MR Mineradora, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com a parceria cultural do SESC em Minas e Campus Cultural UFMG, Fundação Rodrigo Melo Franco de Andrade, e Fundação Clóvis Salgado, promoção cultural Jornal O Tempo Rádio Super 91.7 FM e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Tiradentes, Associação Empresarial, Espaço Cultural Aimorés, Centro Cultural Yves Alves, Entre&Vista e IPHAN.

Idealização: Nina Capel e Tiradentes em Cena. Realização: Nina Capel, Tiradentes em Cena, Ministério do Turismo, Governo Federal

Além das ações educativas e gratuitas, a Mostra Tiradentes em Cena oferece ferramentas de acessibilidade em toda a programação. As exposições contam com audiodescrição, para pessoas cegas e com baixa visão, e os espetáculos dispõem de audiodescrição e mediação em libras para surdos. As oficinas e palestras serão acompanhadas, sempre que necessário, por intérprete de libras, e contarão com assistentes especializados no atendimento a pessoas com deficiência visual e cognitiva.

www.tiradentesemcena.com.br
Instagram: @tiradentesemcena
Youtube: youtube.com/tiradentesemcena
Twitter: @Tiradentes_Cena
Facebook: tiradentesemcena

O Tiradentes em Cena segue com a campanha de valorização da arte e cobrará um valor simbólico pelas apresentações em locais fechados que acontecerá durante a mostra. Valor: R$20,00 (moradores de Tiradentes, idosos e estudantes pagam meia entrada). Os ingressos serão vendidos no dia de cada apresentação a partir das 15h no Centro Cultural Yves Alves, limitados a quatro por pessoa.

Centro Cultural Yves Alves – Rua Direita, 168 – Centro Histórico

*O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Tiradentes em Cena.

Tiradentes em Cena – Programação

Exposição e projeção

Tempo – Tiradentes em Cena – 10 anos de teatro

Local: Centro Cultural Yves Alves 

Horário de funcionamento: 9h até 21h

TEMPO

Não há no mundo uma única linguagem que dê conta de contar o tempo.

Muito mais que de verbo, tempo é feito de hiato.

Em homenagem aos dez anos da Mostra de Artes Cênicas Tiradentes em Cena, Carla Miguez e Filipe Lima tecem reflexões interativas e provocantes sobre as construções narrativas, a relatividade e os mistérios impenetráveis do tempo.

Por entre elementos cênicos e garimpos repletos de bagagem e simbologia, histórias nada lineares se entrelaçam sem a menor pretensão de explicar ou tampouco se assenhorar do tempo e suas infinitas versões.  

Afinal, há como saber em que tempo moram as memórias quando as visitamos?

Se são feitas de presente ou passado, presença ou ausência, trama ou fantasia, efemeridade ou concretude, fantasma ou arrepio?

Na vida – assim como em cena – eis que o tempo é absolutamente tudo o que se tem: até que, à luz do último ato, já não se tenha mais.

Ficha técnica

Carla Miguez, direção artística- Diretora de arte e cenografia, Carla permeia vertentes criativas plurais entrelaçando o subjetivo, o afetivo e o onírico à construção de realidades cenográficas. Ao emprestar seu olhar intenso, apurado e expansivo aos ambientes, transporta o espectador às dimensões de seu universo sensorial, despertando emoções e reflexões prontas para desafiar os limites tanto do tempo, quanto do próprio espaço que as contém. Diretora de arte e cenografia, Carla permeia diferentes vertentes criativas explorando o subjetivo, o afetivo e o sonho na construção de realidades cenográficas. Ao emprestar seu olhar intenso, apurado e expansivo aos ambientes, transporta o espectador ao universo sensorial, despertando emoções e reflexões prontas para desafiar os limites tanto de tempo, quanto de espaço.

Filipe Lima, direção artística – Designer de interiores e coolhunter, Filipe encara o mundo e o tempo através do prisma multifocal das experiências. No desafio constante de traduzi-las em espaços sensoriais e únicos, combina as ferramentas e as múltiplas linguagens do design encorajado pelo desafio latente da inovação criativa enquanto único catalisador possível para a experimentação, o (des)aprendizado e a mudança.

Bernardo Leite, arte audiovisual – Artista, designer gráfico e diretor de projetos multimídia, Bernardo imprime sua simbologia ímpar à criação de cenografias digitais imersivas. Ocupando museus, galerias, espaços digitais e as ruas das cidades, traz à luz seus olhares sobre a vida e o tempo: comunicados aqui em projeções luminosas efêmeras que, ao se apagarem na sequência, convidam que a memória permaneça acesa.

Brunna Zurlo, redação – Comunicóloga e redatora, Brunna escolhe as palavras, seja em campanhas publicitárias ou guardanapos, na tentativa de sustentar as narrativas do tempo por um instante a mais. Compõe linhas afetivas apenas para dar-lhes a chance de atravessar o peito de-quem-interessar-possa, logo antes de desaguarem na correnteza que conduz todo e qualquer momento presente ao oceano das águas passadas.

Áudios: André Frade

Produção local: Fabiana Mattos

Exposição itinerante Armatrux – 30 anos

Local: itinerante pela cidade

Horário: ao entardecer

Projeções de cenas, fotos, bastidores…

Esses são alguns dos aspectos da exposição itinerante do Grupo Armatrux.  O grupo é uma das companhias de maior destaque no cenário teatral brasileiro, desenvolvendo uma linguagem própria, aberta à diversas possibilidades de encenação. A exposição vai celebrar os 30 anos de trajetória artística.

Curadoria: Armatrux

Produção: Tiradentes em Cena

Exposição Valdeville

Local: Foyer Centro Cultural Yves Alves 

Horário de funcionamento: 9h até 21h

Valdeville é uma mostra de variedades das técnicas e processos da artista plástica Zélia Mendonça. Nele a imaginação busca nas memórias atravessamentos de vários significantes de cenas vivenciadas por ela.  São materializações dos processos de formação feminino através do resgate arquetípico das estruturas psicológicas a partir da experiência vivida. As obras, algumas interativas, se apropriam de estruturas primitivas com elementos narrativos que também se referenciam às tradições artísticas têxteis de mulheres das Minas Gerais e do resto do Brasil.

Zélia Mendonça encontra com a arte aos seus 58 anos, em 2015. Neste ano participa de uma exposição coletiva em Paris, ganha o segundo lugar pelo júri popular. Desde então, não parou. Passou nestes anos por vários países em museus públicos, privados, galerias e outras instituições culturais tamanha profusão criativa. É, inclusive, recorrente a sua presença na arte contemporânea em Portugal como na Bienal Internacional de Arte de Cerveira e Bienal de Arte de Gaia.

Curadoria: Enoch Nascimento

Projeção / artes visuais com participação Dj Mariano Câmara

Local: Fachada Sobrado Museu Padre Toledo  

Horário: ao entardecer

Sinopse: Artista, designer gráfico e diretor de projetos multimídia, Bernardo Leite imprime sua peculiar simbologia na criação de cenografias digitais imersivas. Nessa instalação digital, Bernardo nos abre e convida à imersão por um portal. A partir da espacialidade ele nos propõe a temporalidade barroca, onde a imagem se distorce como a memória faz ao passado e a luz se projeta como a imaginação propõe o futuro. Esse tempo inconstante não é flecha linear, mas círculo que se expande, e acelera, e reduz, e se desdobra, e então se apaga – só para recomeçar outra vez.

Dj Mariano Câmara – Arquiteto e urbanista, apaixonado por música, começou a produzir festas e tocar como DJ aos 15 anos. Aos 19 anos abriu uma casa noturna em Macacos – MG chamada Fellini. Atualmente é um dos sócios do Espaço Plano B, um restaurante e local para eventos em Tiradentes.  Seu set é marcado pela diversidade musical, indo do Jazz ao Trance, passando por muita música latina, MPB, forró, groove, rock,música brega…

25 de Maio – quarta-feira

17h – Credenciamento da imprensa
Local: Sobrado Aimorés  

19h – Abertura do evento com Grupo Ponto de Partida
Local: Centro Cultural Yves Alves 

20h Coquetel de abertura exposição Tempo – 10 anos de Tiradentes em Cena
Local: Centro Cultural Yves Alves 

26 de Maio – quinta-feira

A Fada, a Flor e a Princesa, do Teatro da Pedra, faz sessão no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

15h00 – A fada, a flor e a princesa do Teatro da Pedra (São Joao del Rei – MG)

Local: Jardim do Museu Padre Toledo

 “A fada, a flor e a princesa” é um espetáculo criado a partir de narrativas para os pequenos e para os grandes que encantam ontem, hoje e depois. Tudo começa com um cortejo musical que chama as crianças para adentrar em um mundo especial onde tudo pode acontecer. Esse é o mundo da imaginação. Assim, entram em cena “As fadas”. Em qualquer lugar, onde você menos espera, você encontra uma. E para os que têm coração puro ela abençoa com flores e diamantes! As contadoras vão se transformando nos personagens das histórias e tecendo uma narrativa que mescla diálogos diretos e contação.

Direção: Juliano Pereira
Elenco: Ana Malta, Elis Ferreira e Fernanda Nascimento
Figurino: Orlando Talarico
Realização: Teatro da Pedra
Duração: 45 min
Classificação: Livre

Orfãs de Dinheiro – Inês Peixoto – Foto: ©2019 Nereu Jr – Blog do Arcanjo

19h – Órfãs de Dinheiro (Belo Horizonte – MG)

Local: Centro Cultural Yves Alves

Em Órfãs de Dinheiro, a atriz Inês Peixoto se aventura pela primeira vez em um projeto autoral, em que assina a concepção, texto e figurino. Com direção de Eduardo Moreira, ela dá vida a três mulheres em situações diferentes de vulnerabilidade, decorrentes da impossibilidade de autossustentação. Em registro tragicômico, os relatos convidam o público a refletir sobre a necessidade de emancipação econômica da mulher.

Concepção, texto, figurino, atuação: Inês Peixoto
Diretor: Eduardo Moreira
Produtor: Da Luz Produções Artísticas
Produção Executiva: Beatriz Radicchi
Duração: 60 min
Classificação: 12 anos

Partidas, do Teatro da Pedra, se apresenta no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

20h –  Partidas, com a Cia Teatro da Pedra (São João Del Rei – MG)

Local: Largo das Forras – Praça Principal 

Sinopse: Baseada em relatos de mulheres do interior de Minas Gerais, a peça traz para a cena as lembranças da vida na roça e os desafios da mudança para as grandes cidades do país. A montagem faz um convite ao reencontro com memórias e afetos, a partir de canções do imaginário sertanejo-caipira, sob direção de Juliano Pereira.

Direção e dramaturgia: Juliano Pereira
Elenco: Ana Malta, Elis Ferreira, Fernanda Nascimento, 
Gustavo Rosário e Priscila Matilde
Músico:  Guilherme Teixeira 
Preparação vocal: Natália Vargas
Duração: 80 min
Classificação: livre

EspaçoNave faz pré-estreia no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

21h00 – Pré-estreia – Espaçonave, com Corpo Coletivo (Juiz de Fora – MG)

Local: Cultivo

Sinopse:  “EspaçoNave” é um espetáculo que parte do encontro entre o grupo Corpo Coletivo, de Juiz de Fora, a artista Suzana Nascimento e os mestres Amir Haddad e Dorothy Lenner, referências das artes cênicas do país. O espetáculo traz um grupo de desconhecidos que parte rumo a uma expedição com o objetivo de encontrar os extraterrestres. Eles desejam encontrar o extraordinário que já não veem em suas vidas. Eles querem um mundo novo, mas a espera até terem o contato imediato também se torna um momento de descobertas, trazendo à tona as individualidades e os conflitos. Quem teria a vida transformada se você desaparecesse se fosse sugado pela força do buraco negro?

Concepção: Hussan Fadel
Direção: Hussan Fadel e Suzana Nascimento
Dramaturgia: Hussan Fadel, Suzana Nascimento
Orientação: Amir Haddad, Dorothy LennereCynthia Margareth
Atores compositores: Carú Rezende ,Gabriel Bittencourt, Pri Helena , Suzana Nascimento , Vinícius Cristóvão
Direção de arte: Gabriel Bittencourt
Realização: Corpo Coletivo
Duração: 70min
Classificação: 16 anos

27 de Maio – sexta-feira

Outono está no Tiradentes em Cena – Foto: Hermes Oliver – Blog do Arcanjo

16h -Outono da Cia. Mineira de Teatro (São João Del Rei- MG)

Local: Gramado das Mercês  

Outono traz o conflito entre a natureza humana e o mundo artificial. Dois corpos num espaço de convívio delimitado vivem situações cotidianas que, levadas ao extremo, ganham uma dimensão metafísica. Há na dramaturgia do espetáculo aproximações entre os começos e os fins, o ancestral e o contemporâneo. O espectador se depara com o fabricar da natureza em cena. O que nos resta do conflito entre a natureza e a tecnologia?

Direção: Diego Matos
Atuação: Júnio de Carvalho e Priscila Natany
Trilha sonora: Divan Gattamorta
Figurino e cenário: Diego Matos
Iluminação: Priscila Natany
Duração: 50 minutos
Classificação: livre

Os irmãos gêmeos Cristiano Araújo e Rogério Araújo atuam em Thácht do Grupo Armatrux no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

19h30h – Thácht (Belo Horizonte – BH)

Local: Centro Cultural Yves Alves 

Realização: Parceria Sesc em Minas

Com execução de trilha ao vivo em piano, violino e voz, e muito, “Thácht” aborda fragmentos da vida de Rafa e Rufo, artistas de variedades que vivem de suas recordações. Os dois cômicos desenvolvem um diálogo absurdo, usando de forma única a musicalidade nas palavras e instigando o imaginário do espectador. Conversas sobre médicos e outros elementos da condição humana inerentes à velhice se misturam a vagas lembranças do picadeiro. O espetáculo conta também com a participação da diva transformista Siboney, uma cantora que ganha vida a partir das memórias da dupla e da curiosa presença de uma mulher de um atirador de facas.

Direção e dramaturgia: Eid Ribeiro
Assistência de direção: Eduardo Machado
Elenco: Cristiano Araújo, Rogério Araújo e Eduardo Machado
Criação gráfica, Cenários e Bonecos: Eduardo Félix
Figurinos: Marney Heittman
Direção musical: Walner Lucas
Duração: 70 min.
Classificação: 12 anos

Cordel do Amor sem Fim está no Tiradentes em Cena – Foto: João Caldas – Blog do Arcanjo

21h00 – Cordel do amor sem fim – ou a Flor do Chico,  da Cia Os Geraldos – Campinas SP)

Local: Largo das Forras – Praça Principal

Com dramaturgia de Claudia Barral e direção de Gabriel Villela, reconhecido nacional e internacionalmente como um dos maiores nomes do teatro brasileiro. Às margens do Rio São Francisco, vivem três irmãs. A inércia da espera, o ciúme e a pulsação da esperança tecem o principal enredo da história. Às vésperas de seu noivado, a mais nova se apaixona por um estrangeiro e se põe a esperar por seu retorno durante tempo indeterminável, fazendo com que as trajetórias das personagens se embaracem num nó dramático. A trama se desenrola em função dessa espera, que contagia a todos e os faz viverem na expectativa de que algo mude em suas vidas se interligam e dão corpo ao surgimento de um novo mundo e de novas possibilidades.

Autora: Cláudia Barral
Direção, cenário e figurino: Gabriel Villela.
Assistentes de direção: Ivan Andrade e Zé Gui Bueno.
Assistentes de figurino: José Rosa e Cristiana Cunha.
Elenco: Carolina Delduque, Ciça de Carvalho, Douglas Novais, Everton Gennari, João Fernandes, Julia Cavalcanti, Gabriel Gonçalves, Gileade Batista, Paula Mathenhauer Guerreiro, Patrícia Palaçon, Railan Andrade, Valéria Aguiar e Vinicius Santino
Produção Original: SESI-SP
Duração: 60 min.
Classificação: livre.

Marina Viana apresenta MPB: no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

23h – MPB:

Local: Plano B

Peça Bagunçada sem estrofe. Nem refrão. Era pra falar de música, mas virou bagunça. Como diria a poeta: “Vou cantar te nos meus versos. [1] meu trabalho [2]. Negócio bom assim [3], te traduzir [4], ninguém nunca viu[5], traduzir carnaval, não é assim esse colosso[6], meu trabalho, traduzir negócio bom, ninguém é esse colosso, nunca viu carnaval, meu trabalho ninguém nunca viu, te traduzir, carnaval não é, negócio bom assim. Ninguém. Nem o disco de paul simon[7], ninguém. Mas o que eu quero te dizer é que a coisa aqui[8] tá treta, muita treta pra Vinícius de Morais[9], tortuosas trilhas[10] pra Vinícius de Morais. Nem viola me redime. confia em mim o desimportante[11]. Eu não vou te trair, te traduzir, te trair, meu trabalho, tra, tra, tra.[12]”

[1] Ary Barroso / [2] Caetano Veloso / [3] Raul Seixas / [4] Caetano Veloso / [5] Raul Seixas [6] Leci Brandão / [7] Gilberto Gil e Caetano Veloso / [8] Chico Buarque / [9] Mano Brown / [10] Chico Buarque / [11] Cazuza

A Música Popular Brasileira como poesia, como texto, como teatro, a musica popular no corpo de uma mulher sapatona e sudaca de 40 anos. Uma mulher e uma pilha de fitas k7. O que sai da boca dela é grito, livro ou canção?

Atuação, direção e dramaturgia: Marina Viana
Co direção e iluminação: Marina Arthuzzi 
Trilha Sonora: GA Barulhista 
Consultoria artística para figurino: Eduardo Felix 

28 de Maio – Sábado

Dorotea, a Peixinha Autista de Bruno Grossi é lançado no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

10h – Lançamento do DoroTEA, a Peixinha Autista com contação cênica

Escrito e ilustrado pelo artista mineiro Bruno Grossi. O livro visa falar e tratar a inclusão de forma leve e natural. A Peixinha DoroTEA é autista e conta um pouco sobre seus desafios dentro do espectro.

Conheça mais e apoie: @peixinhadorotea

Local: Centro Cultural Yves Alves 

15h – Festival Cenas Curtas

Local: www.youtube.com/tiradentesemcena

As três cenas vencedoras da primeira edição do Festival Cenas Curtas se apresentam no nosso canal do youtube.

Organização: Tiradentes em Cena com o ator e produtor Vinicius Cristovão

15h – (in) tensões – Cia de Dança Palácio das Artes (Belo Horizonte – MG)

Local:  Largos Forras – Praça Principal

 (in) tensões é uma intervenção de Dança da Cia de Dança Palácio das Artes com atuação do elenco masculino dirigido pelo elenco de mulheres da Cia. A montagem foi concebida em 2019 a partir de experimentos com recortes de cenas dos espetáculos em que o elenco masculino era protagonista. A partir desse recorte de cenas, foram propostas pelas diretoras algumas questões/provocações aos bailarinos, como: Como você vivencia um conflito? Quais são os pontos seguros em que você se apoia? E quais são os pontos frágeis? A partir desses questionamentos, os bailarinos criaram uma situação de jogo tensionando corpo, espaço, movimento e ações internas que relacionam tempo e percepção de si mesmos.

Duração: 30 min

Classificação: livre

A fanfarra feminista Sagrada Profana faz o Cortejo Comemorativo dos 10 anos do Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

16h – Cortejo comemorativo – 10 anos Tiradentes em Cena

Local:  saída dos quatro cantos, descendo pela Rua Direita, com destino ao Teatro Praça 10 anos / Largo das Forras – Praça principal

A banda Sagrada Profana é formada por 10 musicistas que se uniram para exaltar grandes ícones femininos que fizeram ou fazem história no cenário musical. Seu conceito está intimamente ligado ao feminismo e objetiva dar voz e vez às mulheres através da arte, bem como evidenciar a luta pela equidade de gêneros e emancipação da mulher, utilizando a música como instrumento preponderante capaz de comunicar-se em diferentes meios, agindo de forma transcendental para unificação de ideias e transformação social.

Sagrada Profana
Alessandra Melo: Sax Tenor
Ana Júlia: Sax Tenor
Daiana Figueredo: Sax Alto
Deborah Costa: Percussão
Isabela Couy: Percussão
Mariana Diniz: Clarineta
Nara Torres: Percussão
Thamires Oliveira: Clarineta
Vanessa Aiseó: Trombone

Shari Simpson: Flauta

Michele Ferreira está em Reza no Tiradentes em Cena – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

18h30–  Reza da Flores, de Jorge Cia Cênica (Belo Horizonte – MG)

Local: Beco dos Escravos 

“Reza”, com Michele Ferreira, integrante da Flores de Jorge Cia Cênica. Baseado nas memórias da atriz e dramaturga, o espetáculo explora seu encantamento com a fé e a religiosidade de mulheres mais velhas. O trabalho se relaciona com o luto gerado pelas mortes da pandemia.

Criação, dramaturgia, produção e atuação: Michelle Ferreira
Criação de luz: Robson Vieira
Duração: 17 min
Classificação: livre

Plurais, as Coisas e o Tempo das Coisas está no Tiradentes em Cena – Foto: Kleber Bassa – Blog do Arcanjo

19h – Exibição do filme “ Plurais – as coisas e o tempo das coisas” (Belo Horizonte – MG)

Local: Centro Cultural Yves Alves 

O que faz você cair? O que faz você levantar? O movimento modifica o espaço ou o espaço modifica o movimento? O indivíduo modifica o coletivo ou o coletivo modifica o indivíduo? Foi a partir desses questionamentos que a Cia. de Dança Palácio das Artes ocupou os espaços da Fundação Clóvis Salgado para criar a Intervenção “PLURAIS – as coisas e o tempo das coisas”. Esse trabalho é a terceira e última obra do projeto on-line inspirado em “PRIMEIRAPESSOADOPLURAL”, um dos espetáculos mais marcantes do repertório da Companhia. A proposta foi subverter a ideia de palco convencional e conferir protagonismo a espaços diferentes, com ênfase no imprevisível e no efêmero.

Direção dos coreógrafos: Tuca Pinheiro e Jorge Garcia
Duração: 57 min
Classificação: livre

Efêmero está no Tiradentes em Cena – Foto: Felipe Chimicatti – Blog do Arcanjo

19h –  Efêmero – (Tiradentes – MG)

Local: Sobrado Quatro Cantos   

Uma Diva se faz existir. No espaço sagrado, todos cúmplices. Um pão ensanguentado, em pedaços entregue, como uma existência esfacelada. Um corpo que volta para uma terra, de onde saiu. Um anjo que surge e refaz seu percurso de descobertas. Efêmero aborda as diversas violências físicas e simbólicas impostas pela colonização em América Latina, o espectador é provocado a destituir realidades ao experimentar imagens e existências deslocadas.

Concepção e atuação: Fabrício Trindade
Músicos: Tatá Santanna e Flor Bevacqua
Orientação artística: Elisa Santana
Dramaturgia: Raysner de Paula
Iluminação: Marina Arthuzzi
Produção executiva: Rafael de La Savia
Duração: 50 min.
Classificação: 16 anos

20h30 – Armatrux, a banda (Belo Horizonte-MG)

Local: Largo das Forras

 “Armatrux, a banda” é uma banda de bonecos composta por quatro personagens vindos de universos distintos e uma convidada especial, a Pianista Mafalda Jackson.Com uma interpretação vibrante, os bonecos ganham vida e arrebatam o público em um show com muitas luzes, fumaça e efeitos, construindo um universo musical cheio de surpresas.

Autor, diretor, produtor: Armatrux
Elenco: Cristiano Araújo, Eduardo Machado, Paula Manata, Tina Dias, Raquel Pedras e Rogério Araújo.
Duração: 45 min.
Classificação: Livre

Intervenções

Benvinda Dangelo  – é atriz e produtora cultural, formada pelo Teatro Universitário da UFMG. Atuou em diversos espetáculos de palco e rua, além de rádio e tv. Acredita que o riso é a menor distância entre as pessoas, porque rindo juntos os batimentos cardíacos são os mesmos.

Palhaço Custelinha –  Geraldo Saldanha é ator, palhaço e pesquisador. Bacharel em Teatro e mestrando em Artes Cênicas pela Universidade Federal de São João del-Rei (PPGAC/UFSJ),possui qualificação pela Escola Livre de Palhaços (ESLIPA/2014). Desde 2010 atua, dirige espetáculos e ministra oficinas formativas na área da palhaçaria. Já participou de festivais eeventos voltados para as artes circenses no Brasil e na Argentina.

Valentina Heusi – artista bamboleante a uma década, tem como principais referências de pesquisa as linguagens circense e a do contato e improvisação. Ao longo do tempo o que era brincadeira foi se transformando e o bambolê passou a ser um estilo de vida, trazendo, através da experimentação do corpo e suas possibilidades, a fluidez e o improviso com o que se tem a mão para o cotidiano.

Lucas Alves – é tiradentino, administrador por profissão, e circense de coração. Em 2005 aprendeu sozinho a andar de perna de pau e quebrou o braço no primeiro dia. Depois disso, nunca mais parou! Leva sorrisos, alegrias, e pirulitos nos cortejos e blocos. E se lembrarmos dessa alegria na vida, a gente se valoriza no tempo (e à altura!). E quando a gente se olha no espelho, vê que ali no reflexo e independente do tempo, vive desfilando com a gente tudo que compõe a folia da vida.

Lucas Campos – ator, malabarista, equilibrista e criador do Palhaço Pinico.  Natural de Barbacena, formou se em Teatro pela UFSJ, atualmente desenvolvendo trabalhos em diversos meios, levando alegria do circo em suas mais variadas formas.

RODA DE CONVERSA SESC em Minas

27 de maio – sexta-feira

10h – Roda de Conversa:  Processos e percursos criativosno fazer artístico processo e trocas de vivências 

Local Jardim Ives Alves: Centro Cultural Yves Alves 

Participantes da Mesa: Atriz e integrante do Grupo Galpão Inês Peixoto carrega uma respeitável bagagem artística, atuando e dirigindo no teatro, cinema e televisão.

Carol Correa – atriz, Diretora, Locutora, Performer e Coordenadora Internacional do Corredor Latinoamericano de Teatro.

Priscila Natany – atriz e integrante das companhias Afoita Teatro e Cia. Mineira de Teatro deSão João Del Rei

Suzana Nascimento – atriz, autora, diretora, apresentadora, produtora, contadora de histórias. Mineira de Juiz de Fora é uma artista pesquisadora e criadora com mais 20 anos de carreira.

28 de maio – sábado

11h – Roda de Conversa com o grupo Armatrux

Local: Jardim Centro Cultural Yves Alves 

Formado em 1991 e ao longo desse caminho investe em pesquisa teatral. O teatro físico, a música, o circo, o objeto, a dança e o boneco sempre fizeram parte da sua investigação cênica, resultando, assim, na criação de uma dramaturgia poética e imagética, bem original. Formado pelos atores Paula Manata, Tina Dias, Raquel Pedras, Cristiano Araújo e Rogério Araújo, sempre buscou a inovação em seus espetáculos e, ao longo dos anos, trouxe diferentes possibilidades para a cena, a cada montagem.

Programação oficinas, palestra e bate papo

O Teatro de Maria Clara Machado

Jogos e exercícios teatrais

Dias: de 23 a 27 de maio
Horário: 14 às 16:30 horas
Local:  IACE  
Público alvo: Jovens e Adultos a partir de 16 anos
Número de vagas – 20 participantes

A Oficina abordará o universo teatral de uma das maiores dramaturgas do teatro infantil brasileiro, autora de mais de 30 peças dedicadas a esse público. Serão 05 dias de prática teatral com jogos e exercícios dramáticos desenvolvidos por Maria Clara Machado à frente do Teatro Tablado no Rio de Janeiro durante 50 anos.

CHICO ANÍBAL – Ator e Diretor de Teatro formado no Palácio das Artes em Belo Horizonte, tem 40 anos de carreira.  Trabalhou com grupos mineiros Galpão, Sonho e Drama/ ZAP 18 e Grupo Trama. No Rio de Janeiro estudou no Teatro Tablado e em Vitória/ES dirigiu o espetáculo Anjos e Abacates de Eid Ribeiro. Tem trabalhos no Cinema, Televisão e Publicidade. Mora e trabalha em Tiradentes desde 2021.

O Ator, o Objeto e a Cena 

Dias: de 25 a 26 de maio
Público alvo: Professores

Sinopse: Abordar, por meio de jogos teatrais, improvisação, percepção e exercícios físicos, elementos de criação artística utilizados pelo Grupo Armatrux, que busca a relação entre o ator e o objeto na criação cênica, são um dos objetivos da oficina. Outro foco do workshop é estabelecer uma reflexão sobre os processos criativos relacionados aos vinte anos de trabalho deste coletivo que investiga diferentes linguagens teatrais como teatro de rua, circo-teatro, teatro de bonecos, teatro físico e palhaçaria. 

Produção Cultural – conversa com Miguel Arcanjo Prado

Dias: 26 de maio
Horário: 16 horas
Local:  Yves Alves

Sinopse: Abordará os campos da produção cultural,  crítica teatral e comunicação cultural digital. Miguel Arcanjo é um dos mais respeitados jornalistas culturais do Brasil.

Miguel Arcanjo Prado

Jornalista, gestor cultural e curador. Coordenador de Extensão Cultural na SP Escola de Teatro. CEO e Diretor de Conteúdo do site Blog do Arcanjo, do Prêmio Arcanjo de Cultura e do Podcast do Arcanjo.

Poética dos Sentidos

Com Gabriel Eduardo Hernandéz e Produção: Carolina Correa
Loca: Sobrado Quatro Cantos
Data: 26, 27 e 28 de maio
Horário: 9h às 13h

Como habitar a cena sensorial e encontrar a alma do espaço e dos objetos através de experiências labirínticas, ensaios e materiais para o exercício final.

O que é o “Teatro de los Sentidos”?

O “Teatro de los Sentidos” é uma companhia de teatro fundada em 1993 pelo colombiano Enrique Vargas. Vargas, hoje com 80 anos, investiga o campo da dramaturgia de linguagem sensorial no marco do teatro imersivo, um teatro que propõe uma relaçāo entre o artista, a obra e o público rompendo a barreira espacial que os separa. Desde 1994 sua sede está localizada na cidade de Barcelona na Espanha.

SOBRE GABRIEL EDUARDO HERNANDEZ

Diretor de teatro, ator, músico, investigador de experiências sensoriais. Membro fundador da “Companhia Teatro de los Sentidos”. Dedica-se à investigaçāo e direçāo para esta fusāo única entre o teatro e as artes plásticas. Professor do Máster e do Postgrado do “Teatro de los Sentidos” na Universidad de Girona/Espanha.

SOBRE Carolina Correa

Atriz, Diretora, Locutora, Performer e Coordenadora Internacional do Corredor Latinoamericano de Teatro. Dirige e atua em trabalhos auto-ficcionais. Mestranda em Artes pela UEMG, Carolina é Pós-Graduada em “Teatro de los Sentidos” / Universidad de Girona / Espanha e Pós- Graduada em “Performance e Arte” pela Faculdade Angel Vianna – 2013 – Rio de Janeiro. Graduada em Comunicação Social pela PUC MG – 1998 e Professora de Língua Espanhola e idealizadora do Encontro Latinoamericano de Teatro.

Webinar: festivais de teatro no Brasil

Sinopse: No Brasil hoje, os festivais de artes cênicas se constituem em um importe acontecimento cultural. Os festivais têm a capacidade de mobilizar públicos, produzir pensamento crítico e, inclusive, discutir temas polêmicos, eles nos convocam para uma reflexão mais aprofundada sobre o fenômeno.

*Programação completa dos no site oficial

Workshop

Produção, elaboração de projetos,  mídia digital,  artista empreendedor, fotografia e filmagem

Tiradentes em cena

*Programação completa no site oficial

A Mostra de Teatro Tiradentes em Cena é aberta ao público, realizada com patrocínio da MR Mineradora, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com a parceria cultural do SESC em Minas e Campus Cultural UFMG, Fundação Rodrigo Melo Franco de Andrade, e Fundação Clóvis Salgado, promoção cultural Jornal O Tempo Rádio Super 91.7 FM e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Tiradentes, Associação Empresarial, Espaço Cultural Aimorés, Centro Cultural Yves Alves, Entre&Vista e IPHAN.

Idealização: Nina Capel e Tiradentes em Cena

Realização: Nina Capel, Tiradentes em Cena, Ministério do Turismo, Governo Federal

*O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Tiradentes em Cena.

Canais e endereços:

Web: www.tiradentesemcena.com.br

Instagram: @tiradentesemcena

Youtube: youtube.com/tiradentesemcena

Twitter: @Tiradentes_Cena

Facebook: tiradentesemcena

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo de Cultura, Melhores do Ano Blog do Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor dos Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil. Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vingança, O Musical é aplaudido por estrelas Longa Jornada Noite Adentro é aplaudida por famosos Marina Sena fala do 2º álbum Orgulho LGBT+ 5 peças em São Paulo Parada do Orgulho LGBT+ bate recorde com 4 milhões de pessoas