Sonia Bacila brilha em A Tarada do Boqueirão, um clássico do Festival de Curitiba

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo
Enviado especial ao Festival de Curitiba*

A atriz Sônia Bacila brilha na comédia A Tarada do Boqueirão, de João Luiz Fiani: um clássico do Festival de Curitiba – Foto: João Pedro Pinhati – Blog do Arcanjo

Por ANA BAVUTTI e JÉSSICA FARIA
Colaboração para o Blog do Arcanjo no Festival de Curitiba*

A atriz Sônia Bacila interpretou Rita Ritinha em A Tarada do Boqueirão, no Teatro Fernanda Montenegro, nos dias 8 e 9 de abril, às 21h. Verdadeiro clássico do Festival de Curitiba, que celebra sua 30ª edição, a peça, apesar de ser pura comédia, traz uma quebra de tabus e uma crítica social às camadas mais baixas da sociedade, que muitas vezes se tornam invisíveis. O nome da obra faz referência a um famoso bairro curitibano e traz a marca do diretor João Luiz Fiani, um dos ícones do teatro paranaense.

A protagonista, uma prostituta, conta sua história ao público enquanto lamenta que a cidade esteja tão vazia por causa de um feriado, com poucos clientes. Enquanto ela relata sobre sua vida, trabalhos anteriores e até sobre sua juventude. Faz o público participar, criando interações e quebrando a quarta parede. Apesar de parecer 100% espontânea, a maior parte do show é parte de um texto estruturado e ensaiado. Os improvisos acontecem quando ocorre contato com a plateia.

Sônia conta que a peça produzida por João Luiz Fiani está em cartaz há mais de 10 anos. Para ela, o texto faz as pessoas se identificarem. “Por mais que seja uma comédia escrachada, ela tem uma mensagem social, e fala de modo implícito sobre o preconceito, a falta de respeito com as escolhas das pessoas, do que elas ‘nascem para ser’. Mostra uma vida difícil, uma parte da sociedade que existe de verdade, que é ignorada e não é vista. Então, quando as pessoas assistem, além de se divertirem, elas recebem uma mensagem bacana”, afirma.

A atriz, dentro de seu ritual de preparação antes de se apresentar, se concentra na meta de que as pessoas saiam mais felizes do que quando chegaram. “Se eu atingir esse objetivo, saio feliz da vida”.

A assistente comercial Jaqueline Vieira de Oliveira viu a peça pela primeira vez, a convite de uma amiga. Ela considera que a abordagem foi muito interessante: “para quem acha que essa vida é um mar de rosas, não é. Elas [prostitutas] se sentem excluídas da sociedade. Colocam uma carga muito pesada nas costas delas”, e finaliza: “nem tudo que parece ser, é. Temos que entender o contexto da vida dos outros, a história, antes de dar tantos rótulos. Entender o que vem por trás disso. Pode ser apenas um nome, mas tem história por trás dele, o que levou a pessoa a seguir esse caminho…”

Para quem perdeu o espetáculo durante o Festival de Curitiba, não desanime. A peça retorna a Curitiba em maio, no Teatro Lala Schneider.

*Reportagem por Ana Bavutti e Jéssica Faria, estudantes de Jornalismo da Universidade Positivo, sob orientação da jornalista e professora Katia Brembatti, em parceria com o Blog do Arcanjo no Festival de Curitiba. Conheça o site UP no Festival.

O jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Festival de Curitiba.

+ Blog do Arcanjo no Festival de Curitiba!

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Morre pai do Padre Marcelo: “Até a eternidade” Colplay cancela shows no Brasil por doença de Chris Martin Marilyn Monroe, Blonde: Curiosidades do filme Tim Maia: 80 anos do eterno síndico Arlete Salles brilha no Teatro das Artes