Deh Muss e Mãeana exalam força ancestral feminina em Artemis, single do disco Antes de Eva

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Nome imprescindível da nova cena musical de Belo Horizonte, a cantora e compositora Deh Muss escolheu a primavera para lançar o delicado single Artemis, que ganhou clipe com participação mais que especial de Mãeana e que exalta a força do sagrado feminino ancestral. A parceria é repleta de amor e delicadeza, que são perceptíveis ao escutar a canção.

“Esse single faz parte do disco de 7 faixas entitulado Antes de Eva, por se tratar de canções sobre 7 deidades femininas pré-cristãs”, adianta Deh em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo. Com lançamento pelo selo Pitaya Lab, o disco será lançado inteiro em fevereiro de 2022 e ainda conta com participações de outras artitas, como Bia Nogueira e Luiza Brina.

Veja o clipe Artemis:

Força sagrada do feminino

Deh Muss conta que “a ideia das canções que formam o álbum é passar a simbologia por trás de cada mito”. Deste modo, em Antes de eva, “há entidade feminina afro-brasileira, indígena, mesopotâmica, japonesa, chinesa…uma miscelânea feminina e cultural”.

O álbum foi desenvolvido ao longo dos últimos seis anos. “Essas canções existem de 2015, mas Artemis nasceu numa madrugada de julho em 2016 após eu estar catarseada com a primeira semana de shows do festival que idealizei, o Sonora Festival Internacional de Compositoras”.

Com participantes de 74 cidades de 16 diferentes países, o Sonora Festival Internacional é o maior maior festival de compositoras do mundo, criado por mulheres mineiras justamente para dar voz e lugar às mulheres na música.

“Aí eu tirei uma carta aleatória do Oráculo das Deusas, a que viesse eu musicaria. Veio Artemis, e botei toda a força da mulherada e da sororidade que me corria as veias naquele momento e bombeava meu coração extremamente emocionado e esperançoso nela, na canção Artemis”, revela.

Foi assim que Deh Muss criou a canção que exala “a força das matas e da união”.

Mãeana

Deh comemora o feat. de Mãeana, Ana Claudia Lomelino, artista carioca que integrou por muitos anos a banda de Gilberto Gil e que faz um trabalho autoral focado na essência do feminino e da maternidade.

“Eu já a acompanho há muito tempo, desde quando ela era do grupo Tono. Seu trabalho como Mãeana muito me toca e vai num caminho ideológico que me afino demais, que junta maternidade, o feminismo e o místico/onírico”, pontua.

Ela conta que a participação surgiu de forma espontânea. “Já estava com o disco todo gravado, mixado e masterizado, quando me veio uma intuição de chamá-la. A gente já tinha trocado algumas mensagens pontuais e mandei o convite pra ela pelo Instagram mesmo. Ela topou e foi uma alegria e honra imensa pra mim”, celebra Deh.

“Mãeana é muito sensível e conseguiu captar o simbolismo que eu trazia por trás da Deusa grega. Não é uma ode literal a esta deidade, é o que ela sucinta com seu mito. Ela me contou que sentiu que para cantar Artemis ela deveria estar forte. E cantou se fortalecendo em Artemis. Achei muito lindo ela conseguir cantar essa música como uma forma de cura”, conclui.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023