Filme sobre transição de gênero reabre Cinemateca Paulo Amorim em Porto Alegre

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

A Cinemateca Paulo Amorim – Espaço Banrisul de Cinema retoma atividades presenciais nesta quarta (28), às 18h30, em Porto Alegre, com o filme Música para Quando as Luzes se Apagam, de Ismael Caneppele, que tem como temática a identidade e transição de gênero na adolescência. O endereço é rua dos Andradas, 736, no Centro Histórico da capital gaúcha.

A instituição da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul aposta no ciclo de conversas O que é o Cinema Gaúcho?, conduzido pelo professor e pesquisador Glênio Póvoas, pela jornalista Mônica Kanitz, curadora da Cinemateca, e convidados.

Serão encontros quinzenais, sempre nas quartas-feiras à noite, após a exibição de uma produção audiovisual do Rio Grande do Sul.

O ciclo de conversas O que é o Cinema Gaúcho? faz parte do Festival Cinemateca Paulo Amorim, com patrocínio do Banrisul, Icatu Seguros e Rio Grande Seguros, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Até dezembro, haverá mostras especiais e está previsto o começo da modernização das salas Paulo Amorim e Norberto Lubisco.

Música para Quando as Luzes se Apagam

A estreia é com Música para Quando as Luzes Se Apagam, longa de estreia do diretor Ismael Caneppele, que aborda a questão de gênero em sua história. O ingresso custa R$ 6.

Segundo o cineasta, o documentário com Emelyn Fischer e participação especial de Júlia Lemmertz flutua “na fina borda entre ficção e realidade”.

A sinopose diz: “Uma autora chega a uma pequena vila no sul do Brasil com a intenção de transformar a vida de Emelyn em uma narrativa ficcional. Quanto mais ela provoca Emelyn com suas câmeras, mais Emelyn se torna Bernardo, um adolescente dividido entre viver o seu desejo e continuar desejando.”

Viva o cinema!

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico de artes Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo – Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *