Livro As Cordas Livres de Heraldo do Monte registra gênio da música

Heraldo do Monte – Foto: Kika Antunes/Divulgação – blogdoarcanjo.com

Por Miguel Arcanjo Prado

Quando o assunto é música instrumental, o pernambucano Heraldo do Monte é um dos grandes nomes no Brasil, respeitado por diversas gerações por sua contribuição incomensurável à nossa cultura. Aos 85 anos, o artista acaba de ganhar um livro que condensa sua criação. Trata-se de As cordas livres de Heraldo do Monte, publicação que merece nossos aplausos, capitaneada pelo Instituto Çarê em parceria com a Editora Contraponto.

No tomo que traz partituras, textos analíticos, biográficos e um CD coletânea, o leitor percebe que a história da guitarra elétrica no Brasil se confunde com a do próprio Monte, nome de talento reconhecido internacionalmente. “Estudei música por puro amor, acho que ela é uma espécie de deusa que escolhe pessoas e as escraviza com sua beleza. O acaso me puxou para ser profissional”, afirma Herlado do Monte, que como tantos músicos de sua geração se encantou quando ouviu João Gilberto tocar e cantar Chega de Saudade, inaugurando a bossa nova.

Heraldo do Monte integrou em 1967 o lendário Quarteto Novo, ao lado de Theo de Barros, Airto Moreira e Hermeto Pascoal, que os transformou nos quatro cavaleiros da música instrumental brasileira. Ele ainda tocou no Dick Farney Trio, Heraldo E Seu Conjunto Bossa Nova, Grupo Medusa, Hermeto Pascoal & Grupo, Os Cinco-Pados, Walter Wanderley & Seu Conjunto. Currículo de fazer cair pra trás qualquer músico que se preze. O primeiro disco solo veio em 1970.

“Uma vez profissional, me senti como um operário anônimo, dedicado, disciplinado e responsável pelo sustento de minha família. Trabalhei em casas noturnas, com carteira assinada, CLT, como qualquer operário”, recorda o artista que foi um dos que mais atuou em estúdios de gravação na era de ouro das gravações de discos de vinil no país.

Iniciativa da artista plástica e educadora Elisa Bracher e do músico Ivan Vilela, o livro As Cordas Livres de Heraldo do Monte é a primeira publicação da série intitulada Brasil de Dentro do Instituto Çarê. O livro ainda contou com equipe de profissionais como Budi Garcia, pesquisador que assina o texto sobre a história e o universo sonoro do músico, Luis do Monte, que realizou a maior parte das transcrições, e de Edmilson Capelupi e Toninho Carrasqueira, que realizaram a revisão musical ao lado do próprio compositor, entre outros.

A história da música e da cultura brasileira agradecem tamanho empenho, que tem valor ainda maior neste país que cuida tão mal de sua memória cultural. Que sirva de exemplo.

O Blog do Arcanjo agradece ao Instituto Çarê e à Editora Contraponto pelo envio do livro.

Compre seu exemplar do livro As Cordas Livres de Heraldo do Monte

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Bob Sousa.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Veja as últimas notícias dos artistas

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP The Crown mostra que Charles traiu Diana Caetano Veloso se emociona em show após morte de Gal Costa Prêmio Arcanjo de Cultura acontece no Teatro Sérgio Cardoso