Com nova baixista, Francisco, El Hombre destrava o Festival Mucho

Por Miguel Arcanjo Prado

Travou? Deu tela azul? Nada disso, muito pelo contrário! A performance da banda brasileiro-mexicana Francisco, El Hombre encerrou em grande estilo o Festival Mucho, que realizou terceira edição de forma online neste sábado (19), direto do topo do Edifício Martinelli, no centro histórico de São Paulo, para toda a América Latina e o mundo. A banda de efervescentes fusões latino-americanas se destacou pelo multiculturalismo sonoro, letras contestatórias do sistema opressor vigente no país e uma juventude exuberante.

A Francisco, El Hombre impressionou o público em casa com segurança carismática em cada um de seus músicos completamente entregues e evidente felicidade de tocarem juntos após seis meses de confinamento. Músicas como Baile Sudaca, que tem parceria com o grupo chileno Moral Distraída e foi cantada pela primeira vez ao vivo no Festival Mucho, reforçou o DNA latino da banda. “Sorriso e luta”, entoaram.

Helena Papini surgiu como nova baixista da Francisco, El Hombre no Festival Mucho, na vaga deixada por Rafael Gomes: “Sempre soube que seria ela”, declarou Juliana Strassacapa antes de dedicar a ela o hit Triste, Louca ou Má – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Com Sebastián Piracés-Ugarte na bateria e voz, Mateo Piracés-Ugarte no violão e voz, Juliana Strassacapa na percussão e voz, e Andrei Martinez Kozyreff na guitarra, a Franscico, El Hombre contou com uma estreante: a baixista Helena Papini assumiu no show a vaga deixada por Rafael Gomes, que deixou o grupo em junho último. Dona de groove próprio, a nova instrumentista surgiu já bastante integrada à banda. Nas redes sociais, os fãs comentaram: “Nova integrante?”. Ela não foi confirmada como integrante oficial. Ainda.

Fato é que Juliana Strassacapa ofereceu para Helena Papini o grande hit do grupo, a canção indicada ao Grammy Latino 2017 Triste, Louca ou Má, cujo clipe já foi reproduzido mais de 22 milhões de vezes no YouTube. Foi o momento mais emocionante do show e arrancou lágrimas da equipe no alto do Edifício Martinelli e também no público em casa.

“A próxima música vai para a Helena Papini, no baixo, maravilhosa. Primeiro show que ela toca com a gente, depois que o [Rafael] Gomes saiu… E eu sempre soube que seria ela”, declarou Strassacapa antes de começar a canção que tornou-se uma espécie de hino feminista da nova geração. “Ni una menos, nenhuma menos”, entoou durante a canção contra o feminicídio na América Latina, infelizmente ainda machista, violenta e patriarcal.

Com seu caldeirão sonoro multicultural, a Franscisco, El Hombre efervesceu o Festival Mucho!, encerrando em grande estilo o mais importante evento da música latina no Brasil.

Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

O lineup do Festival Mucho 2020 contou com Villagrán Bolaños (Paraguai), Santa Mala (Bolívia), Daymé Arocena (Cuba), Ellen Oléria (Brasil), Pascuala Ilabaca y Fauna (Chile), Señor Flavio, de Los Fabuloso Cadillacs (Argentina) e Francisco, El Hombre (Brasil/México). Com produção de Hernan Halak e Felipe Gonzalez, das produtoras Mundo Giras e Difusa Fronteira, o evento foi marcado pela integração latino-americana e contou com apresentação do ator argentino Juan Manuel Tellategui e do jornalista cultural brasileiro Miguel Arcanjo Prado.

O Festival Mucho! teve em sua terceira edição o apoio de Cidade de São Paulo – Turismo, Ministério de Cultura da Cidade de Buenos Aires (que transmitiu a festa na plataforma Cultura en Casa), Programa Ibermúsicas no Ano Iberoamericano da Música, MMF Latam Associação Latino-Americana de Managers e Agentes Musicais, Edifício Martinelli e Organização TECHO. Siga @festivalmucho

O Blog do Arcanjo mostra a seguir os melhores momentos do show nas fotos de Rodrigo Gianesi.

Veja cobertura completa do Festival Mucho!

Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas: Mateo Piracés-Ugarte – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas: Helena Papini surgiu no baixo no lugar de Rafael Gomes e teve hit Triste, Louca ou Má dedicado a ela – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas: Juliana Strassacapa mostrou voz límpida e afinadíssima – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas: Sebastián Piracés Ugarte foi puro furor na bateria – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas: o guitarrista Andrei Martinez Kozyreff representou muito bem uma atitude roqueira no palco – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas: todo charme de Sebastián Piracés-Ugarte na bateria – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Francisco, El Hombre, do Brasil, acordou e destravou o Festival Mucho com seu som de fusões latinas – Foto: Rodrigo Gianesi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Veja cobertura completa do Festival Mucho!

Ouça o Podcast do Arcanjo

Siga @miguel.arcanjo



Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 20/09/2020

    […] e uma proposta sonora que funciona como um liquidificador antropofágico latino-americano. A Francisco, El Hombre, com direito a baixista nova e cantando perfeitamente em espanhol e português,… não só toda a equipe do Mucho! nos bastidores do Edifício Martinelli como também o público em […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *