Ana Cañas vai cantar Belchior em disco com financiamiento coletivo

Por Miguel Arcanjo Prado

Após o sucesso retumbante de sua live cantando Belchior, vista por cerca de 350 mil pessoas, A cantora Ana Cañas tomou uma decisão irrevogável: “Vou gravar um disco com as músicas do Belchior”, avisa. A quem ainda duvida, faz questão de reafirmar: “Sim, vou gravar. Meu coração está me dizendo para fazer isso. Minha intuição está dizendo ‘faça (e coloque a sua alma lá)'”.

A cantora paulistana já vinha namorando a obra de Belchior de forma intensa nos últimos tempos. Em dezembro de 2019, recebeu fortes aplausos ao cantar Alucinação no palco do Theatro Municipal, na cerimônia de entrega da primeira edição do Prêmio Arcanjo de Cultura, que ela venceu na categoria Música.

No Carnaval 2020, a artista arrepiou 1 milhão de pessoas no bloco Acadêmicos do Baixo Augusta ao cantar coma multidão Como Nossos Pais, sucesso de Belchior eternizado por Elis Regina, em um momento de transe coletivo indescritível e que fez este crítico decretar sem rodeios que Ana Cañas é a Elis da nossa geração.

Ana Cañas canta Alucinação de Belchior no Prêmio Arcanjo de Cultura 2019 no Theatro Municipal de São Paulo – Foto: Edson Lopes Jr. – Blog do @miguel.arcanjo

A artista conta que os pedidos para que cante Belchior de forma definitiva em um álbum também são constantes por parte dos fãs: “Mensagens que chegam, repletas de amor”. Ao deixar de lado suas composições e mergulhar no repertório do compositor cearense, Ana vence uma barreira dentro de sua cabeça.

“Decidi parar de lutar contra o meu preconceito bobo sobre me entregar ao lado intérprete”, explica. E recorda sua origem. “Eu comecei cantando na noite e acreditava que me movimentar fora do esquadro autoral era sucumbir a uma espécie de caminho mais ‘fácil’. Besteira. Até porque interpretar Belchior está entre as coisas mais difíceis que já fiz na vida”, lembra.

Ela qualifica a live do último dia 9 de julho como “grande presente do universo” e que lhe trouxe muito aprendizado. Tanto que já chamou os mesmos músicos para o disco. “Já reuni Fabá Jimenez e Adriano Grineberg”, adianta. O primeiro tocou violão e contrabaixo, enquanto o segundo foi responsável pelo teclado.

Financiamento coletivo

Assim como foi na live, que contou com produção executiva de Juliana Periscinotto, Ana Cañas vai contar com a ajuda do público para o financiamento do álbum focado em Belchior. “Estávamos negociando uma publicidade na semana passada que custearia o disco todo, eu estava animadíssima, achando que fecharia, mas, infelizmente, não rolou”, lamenta.

Diante da dura realidade de estar “5 meses sem poder trabalhar”, a artista abriu “uma segunda vakinha pra financiar coletivamente o disco”. E fala sem culpa: “Eu adoraria não pedir isso à vocês, mas essa é a verdade do momento que vivemos e também já aprendi que não é vergonha nenhuma pedir ajuda/jogar a real”, diz, autêntica que é.

“Esse dinheiro é para pagar estúdio, músicos, produção, mixagem, masterização, direitos autorais, capa, design, etc. Qualquer valor alcançado será transformado em estrelinhas e agradecido até o infinito”, promete.

Colabore com a gravação do disco de Ana Cañas cantando Belchior!

Siga @miguel.arcanjo


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *