Alê Youssef: SP Cidade Solidária distribui mais de 212 mil cestas básicas e kits de higiene

Saiba como contribuir e ajudar a população vulnerável nesta pandemia

Alê Youssef à frente do SP Cidade Solidária: mais de 212 mil cestas já foram entregues – Foto: Bob Sousa – Blog do @miguel.arcanjo

Alê Youssef comemorou os números de arrecadação do Programa SP Cidade Solidária, do qual é articulador, durante live com o jornalista Miguel Arcanjo Prado nesta segunda (11). “Já são mais de 212 mil cestas básicas e kits de higiene e limpeza entregues à população em situação de vulnerabilidade”, revelou. O secretário executivo do Gabinete do Prefeito Bruno Covas lembrou que é crucial pensar em quem precisa neste momento de pandemia por conta do novo coronavírus.

“Há varias formas de doar, desde levar mantimentos e artigos de higiene e limpeza em nossos drive thrus, onde não é preciso sair do carro, ou mesmo fazer depósito bancário ou doações especiais”, explicou. Saiba aqui como doar.

E a cultura em São Paulo tem sido aliada importante da população, já que os equipamentos culturais espalhados pela cidade, como bibliotecas e centros culturais, se tornaram centros de arrecadação. Alê Youssef ainda lembrou a importância fundamental dos artistas e suas produções neste período de quarentena, para todos mantermos “nossa sanidade mental”. “O que seria de nós sem as séries, os filmes, as músicas, entre tantas outras atividades artísticas que estamos consumindo nas redes?”, pontuou.

O ex-secretário de Cultura de São Paulo ainda afirmou que a cultura precisa se unir neste momento, em que não há ajuda efetiva do governo federal para o setor. E reiterou a importância das iniciativas da Secretaria Municipal de Cultura, atualmente a cargo de Hugo Possolo, ao lançar editais durante a pandemia para artistas de todas as áreas, sendo um importante fomentador da economia criativa neste momento de forte crise.

Para Alê Youssef, o momento não é de enfrentamentos internos na cultura, “que já vem sendo atacada há muito tempo neste país”, lembrando que perseguição digital a artistas “são estimulados por robôs”. Por isso, pede união da classe artística contra picuinhas internas, para fortalecimento do setor, lembrando que o mesmo gera renda e movimenta a economia brasileira.

Para tanto, ele está à frente do Bloco da Cultura, que vem reunindo informações de ações e iniciativas em prol do setor cultural por todo o país, com o objetivo de formar uma grande frente nacional que defenda a cultura como crucial para o desenvolvimento social e econômico, sobretudo propondo políticas públicas que não dependam da vontade de governantes do momento, mas que sejam realmente duradouras.

“Não é o momento de sermos sectários. É o momento da civilização contra a barbárie. A cultura é o que temos de mais forte, é a nossa essência”, disse.

Alê Youssef ainda elogiou durante a entrevista a atuação de estadista do prefeito Bruno Covas e afirmou que aprende diariamente com o chefe. “Ele vem sendo um líder firme, corajoso e que toma suas decisões com tranquilidade, mesmo em um momento tão crítico quanto este. O prefeito Bruno Covas é um grande exemplo de humanidade para todos nós”, concluiu.

Doe ao SP Cidade Solidária

Siga @aleyoussef

Siga @blocodacultura

Siga @miguel.arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *