Satyros cantam Vanusa e emocionam Curitiba ao condenar o ódio que nos mata

Satyros são fortemente aplaudidos na pré-estreia nacional do espetáculo “Mississipi” no Festival de Curitiba, peça que celebra os 30 anos da companhia teatral com sede na praça Roosevelt, em São Paulo- Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Celebrando seus 30 anos de trajetória, a Cia. de Teatro Os Satyros fez a pré-estreia nacional de seu novo espetáculo, “Mississipi”, no 28º Festival de Curitiba, nesta quarta (28), com direito a muita emoção no palco e a um forte discurso condenatório ao ódio que toma conta do nosso país com sede de morte da parte mais frágil da população.

O grupo fundado por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, um dos mais importantes de São Paulo, se apresentou no Teatro José Maria Santos, na capital paranaense, onde faz a segunda e última sessão nesta quinta (28), às 21h, com ingressos disputados. A peça integra a Mostra Satyros, que ainda traz à capital paranaense as peças “Cabaret Transperipatético”, “Todos os Sonhos do Mundo” e “O Rei de Sodoma”.

Ivam Cabral em cena de “Mississipi” no Festival de Curitiba: espetáculo tem emoção e forte recado político para os tempos atuais – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Aplaudida de pé pelo público paranaense, “Mississipi”, com dramaturgia de Ivam e Rodolfo e direção deste último, conta a história de pessoas em situação de rua na praça Roosevelt, região central de São Paulo, onde fica a sede do Satyros – que em breve abrirá um cinema no local, o Cine-Teatro Bijou, como adiantou o Blog do Arcanjo no UOL com exclusividade.

No numeroso elenco do Satyros em Curitiba, estão a musa do cinema nacional Nicole Puzzi, paranaense de Floraí, que apresentou uma atuação dramática potente, e a diva da praça Roosevelt, a paulista Márcia Dailyn – também musa do bloco Acadêmicos do Baixo Augusta e primeira bailarina trans da história do Theatro Municipal de São Paulo.

Márcia Dailyn, Nicole Puzzi e Ju Alonso em cena de “Mississipi” na pré-estreia nacional do espetáculo que comemora os 30 anos do Satyros – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

“Estou muito emocionada com a pré-estreia com a acolhida tão calorosa que tivemos do público curitibano, só de falar eu me emociono”, balbuciou Márcia nos bastidores, logo após os calorosos aplausos.

Ivam Cabral vive o protagonista, Mississipi, personagem que possuiu um conflito dramático diante da situação das pessoas que moram na praça e que conduz a peça com direito a muita cantoria, incluindo aí “Manhãs de Setembro”. Não por acaso. O clássico do repertório de Vanusa inspirou o Festival Satyrianas, um marco da revitalização da praça Roosevelt por meio do teatro e da arte.

O ator Eduardo Chagas, aplaudido em cena aberta, contracena com Julia Bobrow na pré-estreia de “Mississipi” no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

O ator Eduardo Chagas foi o grande nome da pré-estreia, aplaudido em cena aberta após um grande monólogo interpretando um conscientizado habitante das ruas. Outros artistas também foram destaque, caso de Robson Catalunha, na pele de um perverso michê, e Fábio Penna, como um senhor solitário de sotaque mineiro – o pai do ator assistiu à pré-estreia, emocionado, na plateia.

Fabio Penna, na pele de um senhor solitário, e Robson Catalunha, como um jovem michê que sofreu abuso na infância, tiveram atuações potentes na estreia de “Mississipi” no Festival de Curitiba; ao fundo Ivam Cabral, protagonista da peça – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Quem roubou incontestavelmente a cena com a segurança e a potência de um trovão a cada entrada foi Gustavo Ferreira, impecável como o antagonista da peça, na pele de um cruel síndico de prédio, cujo sonho fascista é exterminar as pessoas em situação de rua ao seu redor e “limpar” a praça Roosevelt deste “tipo de gente”. Um recado ousado e potente da dramaturgia diante dos tempos em que vivemos.

Impecável como o antagonista de “Mississipi”, Gustavo Ferreira interpreta um cruel síndico na peça que celebra os 30 anos da Cia. de Teatro Os Satyros – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Sabrina Denobile, Felipe Moretti, Ju Alonso, Henrique Mello e Julia Bobrow – tocante como uma moradora de rua que carrega os dilemas femininos contemporâneos – também tiveram atuações intensas no elenco que ainda contou com Junior Mazine e a estreante Ingrid Soares, que emocionou o público como uma jovem viciada em crack.

Enviado especial a Curitiba, no Paraná, o colunista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Festival de Curitiba.

O Blog do Arcanjo no UOL msotra a seguir mais imagens de “Mississipi” no Festival de Curitiba pelas lentes de Virginia Benevenuto:

O ator Felipe Moretti em “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

A atriz Ingrid Soares em “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

A atriz Nicole Puzzi com os colegas de elenco Ivam Cabral e Felipe Moretti em cena de “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

O ator Henrique Mello em “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

A atriz Julia Bobrow em “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Os atores Robson Catalunha e Fabio Penna em “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Sabrina Denobile e Junior Mazine em “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Pré-estreia de “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros no Festival de Curitiba – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Please follow and like us:
Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo Fred Raposo é destaque no Mirada Maitê Proença estreia O Pior de Mim em SP