Amigos e artistas trans interpretam Phedra D. Córdoba na peça Transex

A atriz e diva cubana Phedra D. Córdoba (1938-2016) – Foto: Bruno Poletti – Folhapress – Blog do Arcanjo – UOL

A diva cubana Phedra D. Córdoba, que teria completado 80 anos neste ano, revive, interpretada por amigos e artistas trans, a cada sessão do espetáculo “Transex”, da Cia. de Teatro Os Satyros, com texto e direção de Rodolfo García Vázquez, em São Paulo.

A obra, remontagem do sucesso de 2004, conta a história da trans Tereza, papel de Márcia Dailyn, apaixonada por um amor impossível. A personagem divide um apartamento na praça Roosevelt com a estrela da pornochanchada Marlene Bréa, interpretada por Nicole Puzzi.

A cada sessão — sempre às quartas e quintas, às 21h, no Satyros 1 da praça Roosevelt, R$ 20 e R$ 10 —, uma pessoa convidada especial interpreta a atriz e diva da praça Roosevelt, que morreu em 2016 após fazer história nos palcos latino-americanos.

¨A remontagem de ‘Transex’ tem sido uma experiência especial para nós. A quantidade de pessoas que amam a Phedra e que a tem por perto, sentem sua presença, é impressionante. Todas as apresentações estão cheias de emoção, as pessoas convidadas trazem depoimentos pessoais muito emocionantes. Está sendo um privilégio viver esse momento”, diz Rodolfo García Vázquez ao Blog do Arcanjo no UOL.

A trans Leona Jhovs ao centro, entre as protagonistas Nicole Puzzi e Márcia Dailyn, durante sua participação em Transex como Phedra D. Córdoba – Foto: Laysa Alencar – Satyros – Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

A jovem atriz trans Leona Jhovs deu início à celebração, vivendo Phedra nas primeiras sessões. Depois, outros nomes ganharam o palco do Satyros. Soraya Said, Henrique Mello, Divina Nubia, Thiago Mendonça, Edy Star, Paula Cohen, Tchaka e Salete Campari já desempenharam muito bem o papel de Phedra.

Nesta semana, foi a vez de Divina Nubia viver sua amiga na sessão desta quarta (15). Nesta quinta (16), é a vez de o ator e diretor argentino Juan Manuel Tellategui interpretar a icônica diva e amiga: “Estou muito emocionado, pois vou usar o último figurino que a Phedra vestiu em uma peça dos Satyros, em ‘Pessoas Sublimes’. Eu assisti à última apresentação dela nessa peça no mesmo palco do Satyros 1, onde agora vou interpretá-la com muito respeito e carinho. Sempre que ela, falava do quanto tinha saudade do teatro de Buenos Aires, onde ela trabalhou na juventude”, revela Tellategui.

Ainda vão desempenhar a mesma função nas próximas semanas: Laerte Késsimos (22 e 23/8), Cléo De Páris (29/8) e Thiago Mendonça (30/8). A partir de setembro, outros nomes assumem a geniosa personagem. As atrizes trans Maria Clara Spinelli e Renata Carvalho já estão confirmadas, além do ator Luís Maurício.

Siga Miguel Arcanjo Prado

Divina Valéria, amiga de Phedra, posa ao lado de Thiago Mendonça, que viveu a cubana em Transex, diante do retrato do mito do Satyros na praça Roosevelt – Foto: Divulgação – Satyros – Blog do Arcanjo – UOL

Você pode gostar...