Não sai do celular? Livro te dá dicas: Celular, Doce Lar, de Rosana Hermann

Celular na mão o tempo todo? Livro Celular, Doce Lar mostra como ter vivência sudável com o aparelho – Foto: Getty Images

Você é do tipo que não desgruda do seu celular? A jornalista, escritora, roteirista e física Rosana Hermann acaba de lançar o livro “Celular, Doce Lar” pela Editora Sextante. Nele, investiga um dos maiores vícios contemporâneos e dá preciosas dicas e dados sobre o uso do aparelho que domina a vida de muita gente. Com prefácio de Fábio Porchat, o livro ainda traz depoimentos de gente como Camila Pitanga, Léo Jaime e Paulo Coelho sobre a relação que eles mantêm com seus telefones. Em entrevista exclusiva ao Blog do Arcanjo no UOL, Hermann explica como impor um limite ao uso do celular.

Miguel Arcanjo Prado — O que você investiga neste seu novo livro?
Rosana Hermann —
O celular mudou nossa vida, comportamento, relações, tudo. Está alterando até nossa postura, nossa visão, para o bem e para o mal. E, por ser tão maravilhoso e imprescindível, estamos sendo absorvido por ele, controlados pelas notificações, como se fosse ele a nos controlar e não o contrário. Chegou a hora de fazer uma D.R. com esse amigo portátil, antes que ele comece a fazer mal pra nossa vida. É hora de buscar nosso Bem Estar Digital, pra ter certeza que não são os algoritmos que estão decidindo tudo por nós, até nossa opinião e voto.

Rosana Hermann, autora de Celular, Doce Lar – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Miguel Arcanjo Prado — Muita gente é pessimista com a tecnologia, dizendo que ela estraga as relações humanas. O que você diria a quem pensa assim?
Rosana Hermann —
O celular é uma conquista incrível! Não faz sentido demonizar o celular, a Internet. A tecnologia é uma benção, contanto que a gente saiba usar. Sempre foi assim. Você precisa de uma faca pra cortar o alimento, mas não pode culpar a faca ou comer com a mão porque alguém usou a ferramenta para fazer mal a alguém. Temos que usar a tecnologia de forma consciente e é isso que o livro pretende levantar.

Miguel Arcanjo Prado — Você acha que o futuro “previsto” pela série “Black Mirror” será mesmo daquele jeito tão tenebroso e triste? Por quê?
Rosana Hermann —
“Black Mirror” é uma ficção distópica tão próxima da realidade que funciona como alerta mesmo, pra que a gente se questione. É pra lá que queremos ir? Poderemos chegar nesse lugar? De certa forma, “Celular, Doce Lar”, de um jeito mais leve nos conduz a essa reflexão, propõe pequenas atitudes pra fazer um detox digital e, principalmente, saber como chegamos aqui, onde estamos agora e pra onde queremos ir.

Miguel Arcanjo Prado — Como dar atenção ao celular e não perder nossa vida?
Rosana Hermann —
Você é que tem que estar no comando do celular e não o contrário! Não podemos nos tornar robôs que respondem a qualquer toque, qualquer alerta, vibração, notificação. Porque os algoritmos todos são feitos para nos escravizar! Tomar consciência de como as coisas funcionam é a proposta. Aliás, hoje, todas as empresas estão sendo obrigadas a oferecer métodos de controle, para que a gente não passe 24 horas com os olhos colados numa tela luminosa sem olhar o mundo ao redor! É para lá que estamos indo, para o caminho do reequilíbrio. Porque, no momento, o celular é que está comandando a gente.

Siga Rosana Hermann

Capa do livro Celular, Doce Lar, de Rosana Hermann – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Siga Miguel Arcanjo Prado

Você pode gostar...