Crítica: Vidros Arriados aposta em comédia romântica gay, mas falta algo

Rogério Mendes e Antonio Ranieri em cena da peça “Vidros Arriados” – Foto: Vitor Moreno/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

Crítica por Miguel Arcanjo Prado
“Vidros Arriados” ✪✪
Avaliação: Regular

Ao contrário do que muita gente pensa, comédia romântica não é uma gênero fácil de se fazer. Apesar de o gênero ter suas fórmulas, nada substitui o carisma entre os pares, fruto de muita verdade cênica que fará o público suspirar e se identificar.

O espetáculo “Vidros Arriados”, em cartaz no Espaço dos Parlapatões, em São Paulo, tenta abraçar sem preconceito o gênero por tantos desmerecido, mas com um diferencial: aborda a história de um casal gay adulto.

É importante ressaltar que no Brasil campeão em agressões e assassinatos de pessoas por conta de sua orientação sexual uma peça com tal temática é bem-vinda, sobretudo quando apresenta ao público o amor gay com dignidade e naturalidade.

Contudo, é justamente na naturalidade que a peça tem sua fragilidade. O texto de Antonio Ranieri é interpretado pelo próprio dramaturgo na companhia do ator convidado Rogério Mendes.

Se Ranieri consegue se destacar pela apropriação já esperada da história que criou — mesmo cometendo excessos ao transitar em velhas fórmulas de se dizer um texto ou apostando na construção de um gay estereotipado —, Mendes peca pela falta de organicidade em cada fala, soando sua performance mais como incipiente leitura do que atuação.

A direção de Marcio Macena investe em movimentos diante do excesso narrativo proposto pela dramaturgia, tentando forçar alguma ação que aguce o espectador, diante da falta de conflitos potentes ou do clima de contação de história.

O destaque da montagem é a iluminação de Cesar Pivetti e Vânia Jaconis em forte diálogo com a cenografia de Macena, que traz beleza plástica à obra.

De todo modo, “Vidros Arriados” é uma tentativa genuína de se abordar um tema importante de ser dito e mostrado no Brasil contemporâneo: a beleza do amor real entre duas pessoas do mesmo sexo. Este é o mérito da peça.

Crítica por Miguel Arcanjo Prado
“Vidros Arriados” ✪✪
Avaliação: Regular
Quando: Quarta e quinta, 21h. 70 min. Até 28/6/2018
Onde: Espaço Parlapatões (praça Franklin Roosevelt, 158, Consolação, SP; tel. 11 3258-4449)
Quanto: R$ 40 e R$ 20
Classificação etária: 14 anos

Você pode gostar...