Com pênis gigante, peça de teatro causa polêmica em escola do DF

Palhaço com pênis gigante chamou a atenção em peça apresentada em escola do DF para falar de prevenção de DSTs e gravidez precoce – Foto: Reprodução

Uma peça teatral apresentada em uma escola de ensino fundamental de Planaltina, no Distrito Federal, é alvo de polêmica.

Tudo aconteceu na última terça (8), no Centro de Educação Fundamental (CEF) 03, quando a Hierofante Companhia de Teatro, de Ceilândia, apresentou a peça “O Auto da Camisinha”.

O objetivo foi realizar uma ação lúdico-educativa com os estudantes e prevenir doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez precoce na adolescência, algo muito comum na região.

Contudo, a polêmica acontece porque um dos palhaços da peça utilizou em seu figurino um pênis gigante.

A imagem foi fotografada e filmada pelos alunos e logo se espalhou na internet, não agradando alguns pais.

Uma das canções utilizadas na encenação foi a música popular “A Rolinha”, sucesso carnavalesco de Selma do Coco, que traz o refrão: “corre, corre, pega, pega a minha rola”.

A apresentação foi feita para cerca de 150 estudantes adolescentes dos últimos anos do ensino fundamental.

Leia também:
Comédia romântica mostra casal gay em conflito
Grátis: Festival latino tem shows e comidas neste sábado

Escola, Secretaria de Educação e trupe explicam o ocorrido

Em nota pública, a escola afirmou: “Ressaltamos que o tema faz parte do currículo oficial da Secretaria de Educação e a parceria primava pela informação no contexto educacional”. Segundo a instituição de ensino, a educação sexual busca “considerar a sexualidade como algo inerente à vida e à saúde, que se expressa desde cedo no ser humano”.

Para a CEF 03, a educação sexual “engloba o papel social do homem e da mulher, o respeito por si e pelo outro, as discriminações e os estereótipos atribuídos e vivenciados em seus relacionamentos, o avanço da Aids e da gravidez indesejada na adolescência, entre outros, que são problemas atuais e preocupantes”.

A escola ainda diz que “em nenhum momento o material entregue pela companhia teatral explicitava cenas com teor pornográfico. A escola não teve acesso prévio às imagens, figurinos e trilha sonora utilizadas na apresentação. Somente o roteiro da peça foi disponibilizado não se evidenciando, em nenhum momento, um teor pornográfico ou de incentivo à prática sexual”.

Já a Secretaria de Educação do Distrito Federal afirma em nota que “houve um erro, por parte da direção do CEF 03 de Planaltina, ao permitir, sem avaliação prévia de conteúdo, uma apresentação de teatro com a temática de prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e gravidez na adolescência”.

A Secretaria ainda falou que ação tinha como objetivo reforçar a importância do uso do preservativo para alunos do 8º e 9º anos da CEF 03 de Planaltina, município com alta vulnerabilidade social.

“A peça foi sugerida pela própria companhia de teatro, não houve custo para a escola e também não foi submetida à análise da pasta”, diz a Secretaria de Educação do DF.

O grupo teatral Hierofante Companhia de Teatro afirma que a peça tem 20 anos e já teve mais de 600 sessões, inclusive internacionais, lembrando que trata-se de um “cordel de forma lúdica” para ajudar na prevenção de DSTs e da gravidez de adolescentes, algo muito comum nas comunidades pobres das grandes cidades.

Segundo os artistas da trupe, a obra não aposta em vulgaridade e que, por isso, não foi utilizado um órgão genital do tamanho natural, mas, sim, uma versão teatralizada e lúdica de um pênis.

Ainda de acordo com a trupe, a peça é simples e direta para educar jovens e adolescentes sobre os riscos que correm ao não usar preservativo em relações sexuais.

Leia mais:
Peça de humor de Nova York é apresentada em SP
Veja quem foi assistir musical de Falabella e Winits

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

Você pode gostar...