Mostra de teatro em BH apresenta cenas curtas em experimentação

Peça da Cia. Espaço Preto abriu o evento - Foto: Jenfs Martins

“O Grito do Outro – O Grito Meu” da Cia. Espaço Preto abriu A-Mostra.Lab – Foto: Jenfs Martins

Por Miguel Arcanjo Prado

Vai até esta segunda (15), no Centro Cultural Banco do Brasil, em Belo Horizonte, a quinta edição de A-Mostra.Lab. Trata-se de um laboratório democrático de cenas curtas de variadas linguagens artísticas que serve como vitrine do novo teatro produzido não só em Minas como também em outras partes do Brasil.

O projeto, que começou em 2012 de forma independente no Esquyna – Espaço Coletivo Teatral, é realizado anualmente “por meio da junção de forças entre a equipe e parcerias locais”, contam os organizadores.

Eles lembram que um ano importante para a trajetória do projeto foi o de 2014, quando foi fomentado pelo Fundo Municipal de Cultura de Belo Horizonte e conseguiu apresentar 64 cenas, tornando-se a maior mostra de cenas curtas da América Latina. Em 2015, a parceria foi com a Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes. Desta vez, o CCBB-BH é o parceiro.

Estão à frente de A-Mostra.Lab os artistas Cristiano Diniz, Igor Ayres, Léo Kildare Louback, Ramon Brant, Soraya Martins e Thálita Motta.

"O Grito do Outro - O Grito Meu" abriu A Mostra.Lab - Foto: Ramon Brant/Dentro da Cena

“O Grito do Outro – O Grito Meu” abriu A-Mostra.Lab – Foto: Ramon Brant/Dentro da Cena

A edição 2016 foi aberta com o espetáculo “O Grito do Outro – O Grito Meu”, da Cia. Espaço Preto, que já havia apresentado uma cena curta no ano anterior, com a temática negra presente.

A cada noite, desde o dia 11 e até o dia 15, sempre a partir das 19h30, são apresentadas quatro cenas curtas inéditas, acompanhadas por um mediador que conduz ao fim bate-papo entre público e artistas. O ingresso custa R$ 10 a inteira e R$ 5 meia. O CCBB-BH fica na praça da Liberdade, região centro-sul da capital mineira.

Na quinta (11) foram apresentadas as cenas “Inventário” (Residência de Artes – Cefart), “Relatos de Alguém Muito Jovem” (Companhia Efêmera de Teatro), “Eu Já Falei sobre Isso Aqui?” e “Até tu, Brutus?”. Já na sexta (12) foi a vez das cenas “Tinto e a Baleia”, “Trainspotting”, “Aquário” (Coletivo Transborda) e “Game Over”.

Neste sábado (13), apresentaram-se as cenas “Terrores” (Midiactors), “Genes de Geni”, “Nome Importa” (Atrito Cia Teatral) e “Inventário do Corpo” (Grupo Quintal). Neste domingo (14) é a vez de “Material” (Vertente… Corpo-es’ passo), “É Que Há Males Que Vem Para o Bem… Não Vem!”, “Vozes em Gravatas de Papel” e “Duplicata Errante”.

Por fim, encerram o projeto, nesta segunda (15), as cenas “Liberdade Revirada” (Cia Libre), “Totais” e “Grão”. Participam os debatedores Lira Ribas, Lívia Espírito Santo, Clóvis Domingos, Fernando Borges Barcellos e Bia Nogueira.

Saiba mais sobre A-Mostra.Lab

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us:
Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP The Crown mostra que Charles traiu Diana