FIT-BH 2016 leva 80 mil pessoas ao teatro em dez dias

Ed Marte e Cristal Lopez na Corte Devassa no encerramento do FIT-BH - Foto: Guto Muniz

Artistas de BH: Ed Marte e Cristal Lopez na Corte Devassa no encerramento do FIT-BH – Foto: Guto Muniz

Por Miguel Arcanjo Prado
Enviado especial a Belo Horizonte (MG)*

O FIT-BH (Festival Internacional de Teatro, Palco e Rua de Belo Horizonte) divulgou que o público de sua 13ª edição foi de 80 mil pessoas. O evento, que é bienal, foi realizado durante dez dias, entre 20 e 29 de maio na capital mineira com 70 atrações, marcando os 22 anos do festival.

O número final de público em 2016 representa apenas 34% do público alcançado na edição de 2014, em torno de 230 mil pessoas. Neste ano, por conta da forte crise econômica e política que vive o Brasil, o FIT-BH sofreu corte de verba.

FIT-BH ocupa viaduto de Santa Tereza, cartão postal da capital mineira - Foto: Guto Muniz

FIT-BH ocupa viaduto de Santa Tereza, cartão postal da capital mineira – Foto: Guto Muniz

Além do Brasil, participaram montagens de países como Argentina, Chile, Escócia, França, Grécia, Itália, Portugal e Ucrânia. Peças mineiras, inclusive de cursos de artes cênicas de Belo Horizonte, também foram apresentadas.

Para Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, houve uma “retomada forte do teatro de rua e a experiência urbana com a arte vivificada”. Nesta área, o destaque foi “Les Girafes”, peça francesa da Compagnie Off que abriu o evento.

Jefferson da Fonseca Coutinho, diretor de Artes Cênicas e Música da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, diz que a rua, durante o festival, mais do que “um mero lugar de passagem”, tornou-se “espaço de permanência e ocupação”. Ele também ressalta que o evento resgatou parcerias com agentes culturais importantes para Belo Horizonte e o Brasil.

Além de peças, houve lançamento de livros, debates, conferências, palestras, e atividades lúdicas como o PicNic Dionisíaco e o efervescente Campeonato Interdrag de Gaymada, além do espaço Circo Atiares, para atividades circenses.

O tema da 13ª edição do FIT-BH foi “resiliência”, que é a capacidade de lidar com problemas e resistir às adversidades. Após protestos de artistas negros, cuja temática ficou fora desta programação, a direção da Fundação Municipal de Cultura afirmou que estará atenta ao tema da diversidade cultural em ações futuras. Mesmo com os contratempos, Oliveira avalia de forma positiva o FIT-BH: “A cidade saiu, seguramente, mais feliz”.

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do FIT-BH.

Leia a cobertura completa do FIT-BH no Blog do Arcanjo no UOL

Cena da peça "Les Girafes", que abriu o FIT-BH 2016 na praça da Estação - Foto: Guto Muniz

Cena da peça “Les Girafes”, que abriu o FIT-BH 2016 na praça da Estação – Foto: Guto Muniz

 

Você pode gostar...