Morre Naum Alves de Souza, grande mestre do teatro

Naum Alves de Souza - Foto: Reprodução

Naum Alves de Souza – Foto: Reprodução

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Morreu, neste sábado (9), o diretor e dramaturgo Naum Alves de Souza, em São Paulo, aos 73 anos.

O velório será a partir das 9h, no Cemitério Gethsêmani (praça da Ressurreição, 1, Morumbi), onde o corpo será sepultado às 17h deste domingo (10).

Nascido em Pirajuí, Naum Alves de Souza também foi cenógrafo, bonequeiro e figurinista, atuando não só no teatro, como também em shows musicais, cinema e ópera.

Muda-se para São Paulo aos 18 anos de idade. Com alunos da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), abriu o Pod Minoga Studio, logo uma referência de teatro cult na cidade.

Estreou profissionalmente como cenógrafo e figurinista de El Grande de Coca-Cola, um musical americano dirigido por Luís Sérgio Person no Auditório Augusta, em 1974.

Foi dele também os bonecos da Vila Sésamo, da TV Cultura.

Escreveu peças de sucesso como Maratona, de 1977, Um Beijo, Um Abraço, Um Aperto de Mão, de 1984. Em 1989, faz Suburbano Coração, com músicas de Chico Buarque.

Foram dele também os cenários e os figurinos de Falso Brilhante, show de Elis Regina; e de Macunaíma, de Antunes Filho, em 1978.

Em 1990, adaptou os poemas de Adélia Prado no espetáculo Dona Doida, dirigido também por ele e protagonizado por Fernanda Montenegro.

Please follow and like us:

2 Resultados

  1. Phillipe disse:

    Lamento por ele e por Phedra D. Córdoba. Que descansem em paz!

  2. grande amigo. em janeiro falei com ele por teléfone , ele mi disse que teria guardado um exemplar do libro de contos para mim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Jô Soares sofre censura após morte Diário de Pilar na Grécia faz temporada no Teatro das Artes em SP O Deus de Spinoza estreia no Teatro Itália Bandeirantes Teatro nos Parques percorre SP e Brasil ‘Se fosse homem, teria mais visibilidade’, diz Eloisa Vitz