Exposição Um Defeito de Cor chega a São Paulo no Sesc Pinheiros inspirada em livro de Ana Maria Gonçalves

Um Defeito de Cor pode ser vista no Sesc Pinheiros; na foto, obra de Marcio Vasconcelos, Tessi Sodokpa – Cotonou, 2009 © Divulgação Blog do Arcanjo 2024

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Após sucesso no Rio de Janeiro e na Bahia, agora é a vez de os paulistanos apreciarem a exposição Um Defeito de Cor, que pode ser vista até 1º de dezembro no Sesc Pinheiros, em São Paulo, com 372 peças divididas em dez núcleos. A ação é fruto de parceria entre o Sesc São Paulo e a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), com a concepção original do Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR). A insiração é o livro homônimo de 2006 da escritora mineira Ana Maria Gonçalves, referência para o pensamnto sobre as relações étnico-raciais e o racismo no Brasil.

Retomar ao Um Defeito de Cor e, desta vez, como participante da equipe de curadoria da exposição que leva o nome e a ideia do livro é, ao mesmo tempo, um conjunto de experiências antagônicas e complementares. Como também o é tudo que trata, por exemplo, da experiência dos povos tocados e transformados pela escravidão. ​​É um retorno no tempo e no espaço para um lugar que foi construído a várias mãos, e não menos sangue, dor e sofrimento”.

Ana Maria Gonçalves
escritora e curadora da exposição Um Defeito de Cor

A curadoria é assinada pelo trio Ana Maria Gonçalves (que estreia como curadora de exposição), Marcelo Campos e Amanda Bonan. A arquiteta Aline Arroyo assina a expografia, que teve consultoria de Ayrson Heráclito, e a paisagem sonora foi criada pelo pesquisador e músico Tiganá Santana, em colaboração com Jaqueline Coelho. 

São obras de arte têxtil, fotografias, instalações, cartazes, pinturas e esculturas de autoria de artistas do Brasil, da África e das Américas. Assim como o livro, a exposição faz um enfrentamento às lacunas e ao apagamento da história da população negra  ao contar a jornada de uma mulher africana nascida no início do século 19, escravizada no Brasil, e sua busca por um filho perdido.  

Após abertura no MAR, no Rio de Janeiro, e passagem por Salvador da Bahia no Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (MUNCAB), as 372 peças da exposição estão à disposição do público paulistano, divididas em dez núcleos não-lineares, que se espelham nos capítulos do livro.

Novidades

Dentre as novidades no Sesc Pinheiros estão os figurinos e croquis das fantasias do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, assinados pelo artista e carnavalesco Antônio Gonzaga, que se inspirou no livro de Ana Maria para desenvolver o samba-enredo do Carnaval 2024, no Rio de Janeiro, desfile que levou o livro ao topo dos mais vendidos no país. Também estarão em exibição, pela primeira vez, um “Retrato de Ana Maria”, quadro de Panmela Castro; “Bori – filha de Oxum”, do artista e babalorixá Moisés Patrício, e “romaria”, mural que será pintado por Emerson Rocha na entrada do Sesc Pinheiros, além de uma programação integrada, com ações educativas divulgadas ao longo do período expositivo. 

Um Defeito de Cor

Curadoria: Amanda Bonan, Ana Maria Gonçalves e Marcelo Campos 
Abertura: 24 de abril, quarta-feira, às 19h 
Visitação: de 25 de abril a 1º de dezembro de 2024 
Horários: terça a sábado, das 10h30 às 21h; domingos e feriados, das 10h30 às 18h 
Local: Espaço Expositivo (2º andar) | Sesc Pinheiros – Rua Paes Leme, 195 
Grátis | Livre. Estacionamento no local. 

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Ouça Arcanjo Pod no Spotify

Blog do Arcanjo no YouTube

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Jornalista cultural influente e respeitado no Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, desde 2019. É Mestre em Artes pela UNESP, Pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, Bacharel em Comunicação pela UFMG e Crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e apresenta o Arcanjo Pod. Eleito três vezes um dos melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, UMA, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. Integra o júri de Prêmio Arcanjo, Prêmio Jabuti, Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prêmio Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Prêmio Guia da Folha e Prêmio Canal Brasil de Curtas. Vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil, Prêmio Leda Maria Martins e Medalha Mário de Andrade do Prêmio Governador do Estado, maior honraria na área de Letras de São Paulo.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *