Bel Kutner dirige peça sobre Lygia Clark no centenário da artista com Carolyna Aguiar

Carolyna Aguiar no monólogo Lygia - Foto: OMart - Blog do Arcanjo
Carolyna Aguiar no monólogo Lygia – Foto: OMart – Blog do Arcanjo

Se estivesse viva, Lygia Clark, pseudônimo de Lygia Pimentel Lins, estaria completando em 2022, 102 anos. A exímia pintora e escultora brasileira contemporânea, nos deixou em 25 de abril de 1988, aos 67 anos.

Natural de Belo Horizonte, a obra da saudosa personalidade das artes plásticas é extremamente complexa, carregada de significados subterrâneos nem sempre explícitos. Mesmo assim, sua estética é direta, quase simples.

E, para homenagear uma figura histórica tão relevante, que marcou seu nome de forma atemporal, Maria Clara Mattos, Bel Kutner e Carolyna Aguiar decidiram mergulhar no universo de Lygia Clark, por meio do monólogo Lygia.

Com dramaturgia desenvolvida por Maria Clara, foi a partir dos diários desta personalidade, hoje reconhecida uma mulher à frente de seu tempo, que o projeto começou.

O monólogo Lygia é um convite ao vasto mundo interior desta mulher. Seus sonhos, suas dores, suas alegrias. Não da artista plástica, não a terapeuta, mas da Lygia, pura e simplesmente. Alguém que fez dos próprios abismos o caminho de contato com o outro, alguém que acreditava que o potencial artístico humano estava no desvendamento dos próprios fantasmas.

Maria Clara Mattos

Bel Kutner — conhecida por suas inúmeras personagens seja na TV ou teatro — assina a direção desta encenação, sim, é desta forma mais despretensiosa que o projeto é intitulado. Sem o comprometimento do palco, nem a rigidez do teatro, tampouco o silêncio e a pura apreciação de uma exposição.

A ideia é mergulhar no universo interno desta artista, buscando usar as linhas retas, as curvas e os objetos terapêuticos criados por ela numa interação com o público. Ou seja, Lygia Clark na língua que ela buscou para suas manifestações artísticas: o corpo, a obra de arte e sua interação com o público. Mais do que um espetáculo, esta encenação é uma experiência estética, exatamente o que a artista emprestou à própria obra: vida.

Bel Kutner

Lygia

Quando: 07 de abril até 28 de maio de 2022. Quintas e Sextas-feiras, às 20h. sábados, às 18h.

Onde: Bolsa de Arte – Rua Rio Preto, 63, Jardins, São Paulo.

Quanto: R$ 120,00 – Retire seu ingresso!

Colaborou Michele Marreira

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tim Maia: 80 anos do eterno síndico Arlete Salles brilha no Teatro das Artes Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo