São Paulo tem programação especial da Consciência Negra

Letícia Soares no musical A Cor Púrpura no Teatro Sérgio Cardoso – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo preparou uma programação especial para o mês da Consciência Negra (20/11). São filmes, peças de teatro, exposições, saraus, oficinas e cursos livres que têm como objetivo ampliar a discussão sobre o tema e conduzir à reflexão. O roteiro inclui mais de 100 ações virtuais e presenciais.

O Museu Afro Brasil celebra a data com apresentação musical, jogos e brincadeiras. Haverá, ainda, um tributo a Pixinguinha, o grande maestro, flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro, além de show com a Banda Performática, criada pelo artista José Roberto Aguilar e os músicos Arnaldo Antunes e Paulo Miklos. A banda promove uma fusão de linguagens, como performance, poesia, pintura, dança e música.

O Teatro Sérgio Cardoso apresenta o musical A Cor Púrpura, obra-prima de Alice Walker que conta a história de Celie, mulher negra, pobre e semianalfabeta que desde a infância passa por situações de indiferença e abandono. O espetáculo retrata um pedaço do mundo do início do século 20 ainda muito presente nos dias de hoje.

A Biblioteca Parque Villa-Lobos traz o Sarau Perifatividade, ação em que artistas e público se conectam por meio de poesias, músicas, dança e artes visuais. Na edição especial do Dia da Consciência Negra, o cotidiano da mulher e homem negro nas periferias, o racismo e a luta por direitos serão tema das poesias declamadas pelo coletivo. A intervenção “Camélia – Onde estão os negros?”, ação na Biblioteca de São Paulo, conduz o público a um cenário lúdico sobre a luta preta e os propósitos da semana de arte moderna, com muita poesia de poetas pretos contemporâneos.

O Dia da Consciência Negra nas Oficinas Culturais do Estado será marcado pela valorização da história e da produção cultural negra nas três unidades do programa que ficam na Capital (Alfredo Volpi, Juan Serrano e Oswald de Andrade). Todas as atividades são gratuitas e estarão disponíveis de forma virtual e presencial.

As Fábricas de Cultura promovem diversos bate-papos educativos que abordarão temáticas relacionadas à cultura afro. Entre os encontros, o que trata dos cuidados com a pele negra, transmitido pelo canal do YouTube das Fábricas, com a farmacêutica esteta Arina Gabriela, que contará um pouco sobre as características e os mitos que cercam a pele negra.

Já a conversa sobre empreendedorismo afro será entre Letícia Santos e Zelma Tranças, no dia 25/11, às 19h. Em “Trançando Histórias”, Zelma falará sobre o trabalho que realiza há mais de 30 anos na região de Osasco (SP), por meio de ações de formação para novos profissionais da área, e apresentará seu próprio negócio, um salão especializado em beleza afro.

A criançada poderá aproveitar a atividade programada pelo Museu da Imigração, que realiza uma oficina de pintura com os artistas plásticos africanos Lavi Kasongo (República Democrática do Congo) e Paulo Chavonga (Angola).

Para quem gosta de confecção, a Oficina Cultural Maestro Juan Serrano programou uma oficina de turbantes em fios de lã. Sob coordenação do Ateliê da Jana, a atividade é indicada para todas as idades. As inscrições já estão abertas.

Pela plataforma e aplicativo #CulturaEmCasa, o II Festival Negro em Ação será exibido a partir de 20 de novembro. São 60 filmes (33 curtas-metragens, 14 videoclipes e 13 videoartes), todos realizados por artistas e diretores negros. A ação faz parte do projeto Ponte Aérea Cultural, parceria entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a do Rio Grande do Sul. O evento ocorrerá no formato híbrido. Confira mais detalhes pelo aplicativo e pela plataforma #CulturaEmCasa.

Interior e litoral

Em Campos do Jordão, o Museu Felícia Leirner leva ao público infantil a contação da história ‘Meu Crespo é de Rainha’, livro de Bell Hooks, e a oficina ‘Boneca Abayomi’ que vai ensinar a produção da boneca e a história dessa tradição.

No Museu Casa de Portinari, em Brodowski, a professora Camila Gonçalves Lima Rosa realiza uma roda de conversa na qual reforça a importância da educação, com a história de Maria do Carmo Valério Nicolau, mulher negra que ingressou na escola como ouvinte e conseguiu se formar.

O Museu Índia Vanuíre, em Tupã, apresenta a exposição ‘Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência’ que vai contar a trajetória do movimento negro na cidade por meio de fotos e textos.

Aproximar o público da cultura africana e incentivar a reflexão sobre violência contra mulheres negras e, principalmente, periféricas, é o objetivo do bate-papo que será realizado no Museu do Café, em Santos. O museu fará uma live sobre a produção de podcasts, que também integrará a programação. Para atender ao público durante a temporada de cruzeiros, o Museu preparou um expediente ampliado, que vai até 4 de dezembro.

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023