Crítica | Traved de Dodi Leal inunda virtual com humanidade sob direção de Robson Catalunha

Dodi Leal em Traved sob direçaõ de Robson Catalunha: humanidade resiste à realidade virtual - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal em Traved sob direçaõ de Robson Catalunha: humanidade resiste à realidade virtual – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo
Fotos ANNELIZE TOZETTO
@annelizetozetto

Em um fim de tarde de frio de inverno em plena primavera, cheguei ao high tech bairro do Itaim-Bibi, em São Paulo, após a correria do horário rush de uma sexta-feira com um único objetivo: assistir a Traved. Trata-se do aguardado espetáculo de Dodi Leal, mulher artista, travesti e doutora, professora do Centro de Formação em Artes e Comunicação da Universidade Federal do Sul da Bahia e da pós-graduação em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina, e que vive na pele as dores e as delícias de ser neste mundo tão complicado.

Em Traved, que fusiona real e virtual, Dodi Leal está sob direção do sempre sofisticado Robson Catalunha, artista que já trabalhou com renomados nomes da cena, como Robert Wilson, em Nova York, e Maria Alice Vergueiro, do Grupo Pândega, e Rodolfo García Vázquez, da Cia. de Teatro Os Satyros, em São Paulo, e que segue seu caminho solo como ator, performer e diretor. Nesta fase, já coleciona direções das bem sucedidas peças Phedra por Phedra, Entrevista com Phedra (vencedora do Prêmio Nelson Rodrigues) e Divinas Divas (vencedora do Prêmio Arcanjo de Cultura).

Traved está cartaz em curtíssima temporada até este domingo (14) no Centro Cultural da Diversidade – Teatro Décio de Almeida Prado. As poucas sessões são concorridíssimas, pois só permitem cinco espectadores por apresentação e é preciso reservar ingresso previamente por e-mail: ingressostraved@gmail.com.

Público assiste estreia de Traved, com Dodi Leal dirigida por Robson Catalunha, no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Público acompanha estreia de Traved, com Dodi Leal dirigida por Robson Catalunha, no Centro Cultural da Diversidade: apenas 5 pessoas por sessão – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Mas, voltemos àquela sexta-feira de frio em plena primavera no bairro do Itaim-Bibi em São Paulo.

Assim que adentrei a acolhedora arquitetura de meados do século 20 do Centro Cultural da Diversidade, onde se dá Traved, foi como voltar no tempo. O lugar, rodeado por um amplo jardim com árvores e outras espécies frondosas da flora — o que atrai pássaros, inclusive pica-paus, como me contou Catalunha — contrasta com os gigantes edifícios espelhados e futuristas da região.

Ali perto, fica o famigerado Parque do Povo — uma espaço gentrificado típico dos filmes de ficção científica dos anos 1980, onde, de seu gramado, é possível sentir o meteoro ou a bomba atômica do apocalipse se aproximar.

Deste modo, entrar no Centro Cultural da Diversidade é fazer um retorno temporal e desembarcar em meados do século passado, quando aquele bairro, e as pessoas também, eram outros. Só que, como naquele filme De Volta para o Futuro, outra pérola dos anos 1980, logo Traved vai acelerar tudo rumo ao futuro desconhecido.  

Dodi Leal em Traved sob direção de Robson Catalunha - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal em Traved, texto de sua autoria sob direção de Robson Catalunha – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Não poderia haver lugar melhor para a estreia do espetáculo de Dodi Leal formatado como se fosse uma palestra do tipo TED, dessas que fazem muito sucesso no YouTube, o que lhe dá concisão de tempo, algo excelente para os acelerados e ansiosos dias contemporâneos. A obra ainda se destaca ao colocar espectadores em uma postura ativa diante do mergulho na realidade virtual. Nada mais Augusto Boal, citado inclusive em cena e a quem Dodi já ressignificou no livro Teatra da Oprimida: Ultimas Fronteiras Cênicas da Pré-Transição de Genero, que organizou em 2019.

Mas, vamos à peça — por mais que o preâmbulo sempre faça parte do processo. Assim que chegam ao espaço, espectadores encontram Dodi Leal deitada no chão do palco, ao lado de uma bicicleta, que parece ter sido derrubada — uma lembrança poética do acidente que a levou à sua transição de gênero, como todos descobrem ao longo do espetáculo. Embala a potente imagem a voz de Gal Costa cantando Força Estranha, de Caetano Veloso, canção que transforma tudo em poesia e voltará ainda mais potente ao longo do espetáculo.

Óculos e fones de mergulho na realidade virtual fazem parte da experiência do público que vê Traved com Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha; obra traz imagens 360º captadas por Andre Stefano - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Óculos e fones de mergulho na realidade virtual fazem parte da experiência do público que vê Traved com Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha; obra traz imagens 360º captadas pelo excelente videomaker e fotógrafo Andre Stefano – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Logo, todos são convidados a colocarem seus óculos e fones para mergulharem na realidade virtual de imagens em 360° captadas pelo excelente fotógrafo e videomaker Andre Stefano — que já trabalhou ao lado de Robson Catalunha em O Híbrido, espetáculo indicado ao Prêmio APCA, na categoria Avanço Tecnológico, outra bem sucedida parceria da dupla, que se conheceu nos bastidores da Cia. de Teatro Os Satyros, onde Catalunha atuou por uma década.

E a submersão a este estado virtual é de uma intensidade absurda, criando espectadores-voyeurs não só das palavras de Dodi Leal como também dos diferentes contextos nos quais ela se apresenta.

Dodi Leal em Traved sob direção de Robson Catalunha - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal em Traved sob direção de Robson Catalunha – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Somos teletransportados para o já dito Parque do Povo, onde a corpa diversa de Dodi provoca uma fissura na gentrificação ao redor, ou para a ciclovia da Marginal Pinheiros, com seu esporte ao lado de um rio morto. Ambos cenários surgem em quentes dias ensolarados — é possível olhar para cima e ver o sol brilhar — e isso se contrastou com a sexta-feira nublada e fria da realidade concreta do dia em que este crítico viu a peça. Foi possível sentir o sol queimando a pele.

Mas a grande pérola de ambientação se dá no íntimo da artista em cean: a varanda da casa de sua mãe, onde, juntas, criam um encontro repleto daquela emoção que só vem da verdade e que coloca espectadores no posto de testemunhas oculares da pura emoção.

A cena em que Dodi Leal e sua mãe cantam juntas Força Estranha é de desnudar qualquer coração sensível, fazendo as lágrimas jorrarem generosas debaixo dos óculos, como aconteceu com este escritor.

Dodi Leal e sua bicicleta no espetáculo Traved sob direção de Robson Catalunha e produção de Guttervil - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal e sua bicicleta no espetáculo Traved, sob direção de Robson Catalunha e produção de Guttervil – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

É impressionante a qualidade de mergulho sensorial que as imagens captadas com precisão técnica por Andre Stefano e editadas com esmero por Rodrigo Rímoli provocam no público. Em alguns momentos é mesmo assombroso: parece que estamos em um daqueles episódios de Black Mirror, mas com um senão. Se na série da Netflix a distopia vem carregada de uma terrível energia down, na proposição tecnológica de Dodi Leal e Robson Catalunha há a esperança da vida, que resiste de forma onírica dentro da parafernália tecnológica.

E esta é a função de qualquer artista que se preze: não deixar a poesia e a beleza da vida escorregarem pelo ralo da digitalização e da maldade do mundo.

Dodi Leal em Traved: peça dirigida por Robson Catalunha merece ser encenada nos palcos do Brasil e do mundo ao fusionar real e virtual - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal em Traved: peça dirigida por Robson Catalunha merece ser encenada nos palcos do Brasil e do mundo ao fusionar real e virtual com sensibilidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

O projeto, que merece ser encenado por todo o país e pelo mundo também, ainda conta com participação especial da artista convidada Renata Caravalho, além de design gráfico de Cassiano Pinheiro Maciel e fotos e teaser de Gau Saraiva. Toda essa turma sob esmerado cuidado do produtor Guttervil, sempre atento a tudo.

Para além das questões de gênero, intrínsecas à montagem, Traved é, sobretudo, uma resistência de humanidade, mesmo diante das situações mais adversas que a distopia na qual vivemos nos coloca. Dodi Leal se coloca mais como uma acadêmica-cênica do que propriamente como uma atriz, fazendo pensamentos antes circunscritos ao ambiente universitário ganharem maior projeção junto ao público, transformando tese em arte.

Corpa travesti e doutora, Dodi Leal apresenta sua tese-peça Traved sob direção de Robson Catalunha para público intimista na mistura de real e virtual - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Corpa travesti e doutora, Dodi Leal apresenta sua tese-peça Traved sob direção de Robson Catalunha para público intimista na mistura de real e virtual, sem perder o humano – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

A partir de sua corpa travesti alçado a lugares duramente conquistados, como o de uma professora universitária, e tudo o que advém desta conquista, Dodi Leal propõe amor e axé — palavra que ela diz com uma delicadeza profunda — dentro do caos tecnológico e social ao qual estamos aprisionados.

Inspirada no artigo acadêmico escrito pela autora, Biotecnologias da Cena: Generética do Corpoluz e Filosofia Estética das Encruzitravas, Traved nos aguça os sentidos e cria novo significado ao conceito de “travar”, tão comum às ondas digitais e à própria vida. Sabiamente, a autora e atriz Dodi Leal, sob direção de Robson Catalunha, propõe que travar pode ser um trampolim para novas descobertas e modos de ser e de estar com mais liberdade neste mundo programado. Seja ele real ou virtual. Uma ideia digna de aplausos.

Traved

de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha

Avaliação: Muito Bom ✪✪✪✪
Crítica por Miguel Arcanjo Prado
Fotos Annelize Tozetto

FICHA TÉCNICA – Atuação e dramaturgia: Dodi Leal / Direção e roteiro: Robson Catalunha / Artista convidada: Renata Carvalho / Captação de vídeo em 360°: André Stefano / Edição de vídeo: Rodrigo Rímoli / Design Gráfico: Cassiano Pinheiro Maciel / Produção: Guttervil / Assessoria de imprensa: Robson Catalunha / Fotos e teaser: Gau Saraiva.

SERVIÇO – “TRAVED” – Temporada: 12 a 15 de novembro / Local: no Centro Cultural da Diversidade de São Paulo (r. Lopes Neto, 206, Itaim Bibi, São Paulo, CPTM Cidade Jardim)/ Horários: 13h, 15h, 17h, 19h e 21h / Entrada gratuita /  Duração: 25 minutos / Classificação indicativa: 16 anos. Atenção: É preciso reservar o ingresso por e-mail e esperar a confirmação: ingressostraved@gmail.com.

Blog do Arcanjo mostra bastidores e quem aplaudiu estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha, no Centro Cultural da Diversidade em SP

Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
O produtor Guttervil, a atriz Dodi Leal e o diretor Robson Catalunha na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
O produtor Guttervil, a atriz Dodi Leal e o diretor Robson Catalunha na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
O produtor Guttervil, a atriz Dodi Leal e o diretor Robson Catalunha na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
O produtor Guttervil, a atriz Dodi Leal e o diretor Robson Catalunha na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Dodi Leal na estreia de sua peça Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Dodi Leal na estreia de sua peça Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
O diretor Robson Catalunha na estreia da peça Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
O diretor Robson Catalunha na estreia da peça Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
O produtor Guttervil na estreia da peça Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
O produtor Guttervil na estreia da peça Traved no Centro Cultural da Diversidade em São Paulo – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
A atriz e dramaturga Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
A atriz e dramaturga Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, presidenta da ABEH e professora universitária, ao lado de Dodi Leal na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, presidenta da ABEH e professora universitária, ao lado de Dodi Leal na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
A atriz e dramaturga Dodi Leal e o diretor Robson Catalunha na no camarim do Centro Cultural da Diversidade em São Paulo na estreia de Traved - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
A atriz e dramaturga Dodi Leal e o diretor Robson Catalunha na no camarim do Centro Cultural da Diversidade em São Paulo na estreia de Traved – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, presidenta da ABEH e professora universitária, aplaudiu estreia de Traved com Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade em SP - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
A psicóloga Jaqueline Gomes de Jesus, presidenta da ABEH e professora universitária do IFRJ, aplaudiu estreia de Traved com Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade em SP – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Marcus Martins, mestrando em Antropologia, aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Marcus Martins, mestrando em Antropologia, aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
O professor argentino Pedro González, radicado em Portugal, aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
O professor argentino Pedro González, radicado em Portugal, aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Julian Correia, gestor cultural, aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Julian Correia, gestor cultural, aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Ian Habib, autor de Corpos Transformacionais, prestigiou a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Ian Habib, autor de Corpos Transformacionais, prestigiou a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Detalhe dos livros de Dodi Leal (Performatividade Trangênera) e Ian Rabib (Corpos Transformacionais) na estreia de Traved sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Detalhe dos livros de Dodi Leal (Performatividade Trangênera) e Ian Rabib (Corpos Transformacionais) na estreia de Traved sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, Miguel Arcanjo Prado, Dodi Leal e Robson Catalunha no camarim do Centro Cultural da Diversidade em São Paulo na estreia de Traved - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, Miguel Arcanjo Prado, Dodi Leal e Robson Catalunha no camarim do Centro Cultural da Diversidade em São Paulo na estreia de Traved – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
O jornalista, curador e crítico de arte Miguel Arcanjo Prado aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
O jornalista, curador e crítico de arte Miguel Arcanjo Prado aplaudiu a estreia de Traved, de Dodi Leal sob direção de Robson Catalunha no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, Marcus Martins e Dodi Leal na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
Jaqueline Gomes de Jesus, Marcus Martins e Dodi Leal na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo
A atriz e escritora Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade - Foto: Annelize Tozetto - Blog do Arcanjo
A atriz e escritora Dodi Leal no camarim na estreia de Traved no Centro Cultural da Diversidade – Foto: Annelize Tozetto – Blog do Arcanjo

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico de artes Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo – Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *