Festival Sesc Melhores Filmes traz melhor do cinema em 2020

47º Festival Sesc Melhores Filmes acontece de 14 de abril a 5 de maio - Foto: Divulgação - Blog do Arcanjo 2021
47º Festival Sesc Melhores Filmes acontece de 14 de abril a 5 de maio – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo 2021

Realizado pelo Sesc São Paulo, o Festival Sesc Melhores Filmes começa sua 47ª edição na próxima quarta-feira, 14 de abril, e segue até dia 5 de maio. Mais longevo festival cinematográfico paulista, o evento oferece gratuitamente ao público, na plataforma Sesc Digital, programação com filmes nacionais e estrangeiros que foram destaque em 2020. E ainda traz encontros e atividades com realizadores e pensadores do cinema.

Na abertura do festival, serão conhecidos os trabalhos de artistas eleitos pelo voto popular e júri especializado como os melhores do ano, do qual faz parte Miguel Arcanjo, diretor do Blog do Arcanjo. A premiação será apresentada ao vivo pelo ator Silvero Pereira, no dia 14/4, a partir de 19h30, no canal do CineSesc no YouTube.

Diretamente de sua casa, em Fortaleza, no Ceará, Silvero – eleito pelo público como Melhor Ator Nacional, em 2020, por sua atuação em Bacurau – vai anunciar os vencedores deste ano e ainda conversar ao vivo com alguns premiados, a partir das 20h. Antes da cerimônia, às 19h30, os jornalistas e críticos de cinema Cunha Júnior, Duda Leite e a cineasta Renata Martins aquecem a premiação comentando sobre os filmes mais votados de 2020. Os vencedores serão conhecidos apenas na transmissão. Após a live, a lista completa dos prêmios é disponibilizada no site do festival, além de uma versão digital do catálogo com informações dos filmes mais votados pelo público e pela crítica.

Ao final da cerimônia, e abrindo a 47ª edição do Melhores Filmes, o público poderá assistir gratuitamente ao filme Valentina, de Cássio Pereira dos Santos. O longa, inédito nos cinemas, traz a história de uma menina trans e sua mãe que se mudam para uma pequena cidade, mas rapidamente enfrentam dilemas quando a escola local exige a assinatura da mãe e do pai para se matricular. 

Criado em 1974, o Festival Sesc Melhores Filmes é o primeiro festival de cinema de São Paulo. Ele oferece ao público a oportunidade de ver ou rever o que passou de mais significativo pelas telas da cidade. Sua programação é escolhida democraticamente pelo público e pela crítica. Os filmes que participaram da votação deste ano foram aqueles lançados comercialmente nas salas de cinema de São Paulo em 2020.

Em 47 anos de realização, o festival já exibiu centenas de longas-metragens brasileiros e estrangeiros. Em 2010, inovou ao ser o primeiro evento do gênero a disponibilizar sua programação com recursos de acessibilidade, como audiodescrição e legendagem open caption, para assegurar a amplitude da ação do Sesc São Paulo na atenção aos diversos públicos.

“A ação cultural do Sesc procura conciliar qualidade artística e sua popularização, através de estratégias mediativas voltadas à acessibilidade – em diferentes acepções – dos conteúdos. Nas circunstâncias presentes, a gratuidade das exibições on-line, as ferramentas tecnológicas voltadas a pessoas com deficiências visuais e auditivas e a constituição de uma programação que incorpora o voto popular por meios remotos demonstram que é possível criar canais mais amplos e abrangentes para a recepção da produção cinematográfica contemporânea”, explica Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo.

Para esta edição online, a equipe do CineSesc preparou um recorte com alguns dos filmes mais votados. O público poderá ver e rever títulos como o documentário da Macedônia do Norte Honeyland, de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov, o drama francês Retrato De Uma Jovem Em Chamas, de Céline Sciamma, o britânico Você Não Estava Aqui, de Ken Loach, e o franco-belga O Jovem Ahmed, de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, além dos nacionais Três Verões, de Sandra Kogut, Sertânia, de Geraldo Sarno, Fim de Festa, de Hilton Lacerda, Pacarrete, de Allan Deberton, e o documentário Babenco – Alguém Tem Que Ouvir O Coração E Dizer: Parou, de Bárbara Paz. Eles estarão disponíveis on demand por 24h, uma semana ou até o término do festival, na plataforma Sesc Digital (sescsp.org.br/cinemaemcasa). Parte dos filmes exibidos possui recursos de acessibilidade, com legendas open/close caption, libras e audiodescrição, disponíveis via app MovieReading.

Além dos filmes mais votados de 2020, o festival presenteia o público com sessões especiais de clássicos premiados em edições passadas, como o alemão A Vida dos Outros (2006), de Florian Henckel von Donnersmarck, o inglês Segredos e Mentiras (1996), de Mike Leigh, e o francês Meu Tio da América (1980), de Alain Resnais. Apresenta também uma homenagem à atriz brasileira Marcélia Cartaxo, com a exibição dos filmes A História da Eternidade (2015), de Camilo Cavalcante, e A Hora da Estrela (1985), de Suzana Amaral, vencedor do Festival de Cinema de Berlim, com os prêmios da Confederação Internacional de Cinemas de Arte e o Urso de Prata de Melhor Atriz para Marcélia.

Na Faixa Especial Abril Indígena, são exibidos os filmes brasileiros Serras da Desordem (2006), de Andrea Tonacci, e Martírio, (2017), de Vincent Carelli, Tatiana Almeida e Ernesto de Carvalho – também premiados nos Melhores. O projeto Abril Indígena integra o Programa Diversidade Cultural do Sesc São Paulo, que aborda questões relativas aos povos originários, com objetivo de valorizar e difundir a diversidade cultural no Brasil.

Completa a programação do festival, uma série de atividades paralelas com pensadores e profissionais do cinema que se reúnem para debater temas importantes e atuais na sociedade e no audiovisual, nos encontros on-line: Cinema Negro em Várias Telas; Histórias Indígenas e o Brasil em Ruínas; Cinema Nordestino Contemporâneo: Uma Só Identidade?; e A Fotografia no Cinema: Sertânia e Pacarrete. O CineSesc ainda oferece um curso prático gratuito sobre Podcasts de Cinema. Confira a programação completa.

PROGRAMAÇÃO
47º FESTIVAL SESC MELHORES FILMES
De 14 de abril a 5 de maio
de 2021
Premiação e lives em youtube.com/cinesesc
Assista aos filmes em sescsp.org.br/cinemaemcasa
Mais informações em melhoresfilmes.sescsp.org.br
EXIBIÇÃO DE FILMES
sescsp.org.br/cinemaemcasa

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, criado em 2019. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e apresenta o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Eleito um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se por três vezes e recebeu a Medalha Mário de Andrade, maior honraria nas letras do Governo do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, Uma, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil, Prêmio Leda Maria Martins e Prêmio Governo do Estado de São Paulo – Medalha Mário de Andrade.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Morre Glória Maria Harry e Meghan na Netflix Michael Jackson: Thriller faz 40 anos Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão