Salve-se Quem Puder voltou! Atores da novela das 19h da Globo comemoram

Foto: João Miguel Jr./Globo/Divulgação – blogdoarcanjo.com

Recheado de performances e polêmicas, falta pouquinho para conhecermos quem serão os grandes vencedores da 63ª edição do Grammy. O evento vai rolar no próximo domingo (14), nos Estados Unidos, e, mesmo tendo sido remarcado por conta da pandemia, a cerimônia, que foi organizada com os cuidados contra a Covid-19 e não terá plateia, tem tudo para ser impressionante.

Com a intenção de deixar vocês informados, a todateen separou tudo o que você precisa saber para acompanhar o Grammy Awards 2021!

  • Como surgiu, artistas mais premiados e mais: 10 curiosidades sobre o Grammy que você talvez não saiba!

Vem ver!

indicados
Os indicados para a 63ª edição do evento foram anunciados em 24 de novembro de 2020. Lembrando que, para concorrer aos prêmios, os artistas devem ter lançado suas músicas e álbuns entre 1º de setembro de 2019 e 31 de agosto de 2020. Além disso, os artistas e suas equipes devem ter submetido as obras à avaliação da Academia da Gravação, já que o processo não é automático, sendo, sim, necessário “se inscrever”. Alguns artistas, por exemplo, por protestos ou questões ideológicas, optam por não se submeter à avaliação.

Quem divulgou os nomes anteriormente foi Harvey Manson Jr, presidente interino da Recording Academy, e, segundo ele, foram 23 mil submissões e houve a intenção de montar a lista de indicados respeitando todo tipo de diversidade. No entanto, os nomes escolhidos viraram polêmica nas redes sociais por “esquecer” artistas aclamados como The Weeknd.

Os destaques são: Beyoncé, liderando com nove indicações; Taylor Swift, Roddy Ricch e Dua Lipa com seis cada; Brittany Howard conseguiu cinco indicações; Billie Eilish, Megan Thee Stallion, DaBaby, Phoebe Bridgers, Justin Bieber, John Beasley e David Frost estão em quatro categorias cada.

Para conferir a lista completa, clique aqui.

performances
Os fãs ficaram nas alturas ao saberem que ninguém mais, ninguém menos que o britânico Harry Styles vai abrir a cerimônia de entrega do Grammy 2021. Ressaltando que o cantor está indicado a três categorias: Performance solo pop, com Watermelon sugar; Melhor disco de pop vocal, com Fine line; e Melhor clipe, com Adore you!

Além dele, o Grammy contará com mais 21 apresentações, com concorrentes deste ano e vencedores de edições passadas. Os shows, por sua vez, serão ao vivo, mas também contarão com outros que serão gravados. A apresentação será comandada pelo comediante Trevor Noah e a cerimônia tem duração prevista de 3 horas e meia.

Confira a lista de apresentações:

Bad Bunny
Black Pumas
Cardi B
BTS
Brandi Carlile
DaBaby
Doja Cat
Billie Eilish
Mickey Guyton
Haim
Brittany Howard
Miranda Lambert
Lil Baby
Dua Lipa
Chris Martin
John Mayer
Megan Thee Stallion
Maren Morris
Post Malone
Roddy Ricch
Harry Styles
Taylor Swift
onde assistir?
No Brasil, a transmissão oficial acontecerá na TNT, que a exibirá em seu canal na televisão, mas também deixará disponível por meio de streamings, a partir das 22h, pelo aplicativo TNT GO, streaming oficial da emissora. Seu serviço pode ser acessado pelo site ou por aplicativos (disponíveis para Android e iOS). Para ter acesso ao TNT GO, você precisa obrigatoriamente possuir um provedor de TV paga que permita o cadastro na plataforma.

A transmissão do tapete vermelho, por sua vez, fica a cargo do canal E! Entertainment, a partir das 20h30. Lembrando que esse momento também pode ser vista gratuitamente ao vivo, em inglês, no canal oficial no Facebook Live e no site do prêmio. Por conta do coronavírus, é esperado que o tapete seja virtual, similar a como foi no Globo de Ouro.

Considerada a premiação mais importante da indústria fonográfica, o Grammy acontece na noite deste domingo (14), nos Estados Unidos. A cerimônia começa às 21h (horário de Brasília), e será exibido em vários canais da TNT –o de de TV a cabo tradicional, o streaming TNT Go, e o seu YouTube oficial.

Por causa da pandemia, a 63ª edição do Grammy não vai acontecer em seu espaço tradicional, o ginásio Staples Center, em Los Angeles. Desta vez, a premiação, que havia sido marcada para janeiro e depois foi adiada para março, será transmitida de um centro de convenções.

Beyoncé com estatuetas do Grammy em 2017 – AFP
Os artistas vão se apresentar numa estrutura com diversos palcos, sem plateia e “destacando os triunfos criativos do ano, os movimentos por justiça social e os impactos da Covid-19 nas artes”.

A apresentação fica por conta do ator e comediante sul-africano Trevor Noah. Os prêmios serão entregues por funcionários de lojas de discos e casas de shows famosos nos Estados Unidos.

Harry Styles, Taylor Swift, Cardi B, Billie Eilish, Bad Bunny, DaBaby, Megan Thee Stallion, BTS, Doja Cat, Brittany Howard, Post Malone e Haim são alguns dos artistas que vão se apresentar na cerimônia.

Beyoncé, que concorre em três dos quatro prêmios mais importates, lidera as indicações, com nove no total. Logo depois da cantora vêm Taylor Swift, Dua Lipa e o rapper Roddy Ricch, com seis indicações cada um. Brittany Howard, vocalista da banda Alabama Shakes, aparece em quatro categorias com seu disco solo de estreia, “Stay High”.

62º Grammy
62º Grammy
Gravação do ano
​’Black Parade,’ de Beyoncé
‘Colors’, de Black Pumas
‘Rockstar’, de DaBaby com Roddy Ricch
‘Say So’, de Doja Cat
‘Everything I Wanted’, de Billie Eilish
‘Don’t Start Now’, de Dua Lipa
‘Circles’, de Post Malone
‘Savage’, de Megan Thee Stallion

Disco do ano
‘Chilombo’, de Jhené Aiko
‘Black Pumas’, de Black Pumas
‘Everyday Life’, de Coldplay
‘Djesse Vol. 3’, de Jacob Collier
‘Women in Music Pt. III’, de Haim
‘Future Nostalgia’, de Dua Lipa
‘Hollywood’s Bleeding’, de Post Malone
‘Folklore’, de Taylor Swift

Música do ano
‘Black Parade’, de Beyoncé
‘The Box’, de Roddy Ricch
‘Cardigan’, de Taylor Swift
‘Circles’, de Post Malone
‘Don’t Start Now’, de Dua Lipa
‘Everything I Wanted’, de Billie Eilish
‘I Can’t Breathe’, de H.E.R.
‘If the World Was Ending’, de JP Saxe com Julia Michaels

Artista revelação
Ingrid Andress
Phoebe Bridgers
Chika
Noah Cyrus
D Smoke
Doja Cat
Kaytranada
Megan Thee Stallion

Melhor álbum de rock
‘The New Abnormal’, de The Strokes
‘Sound & Fury’, de Sturgill Simpson
‘Daylight’, de Grace Potter
‘A Hero’s Death’, de Fontaines D.C.
‘Kiwanuka’, de Michael Kiwanuka

Melhor performance de rock
Fiona Apple, por ‘Shameika’
Phoebe Bridgers, por ‘Kyoto’
Haim, por ‘The Steps’
Brittany Howard, por ‘Stay High’
Grace Potter, por ‘Daylight’
Big Thief, por ‘Not’

Melhor música de rock
‘Kyoto’, de Phoebe Bridgers
‘Not’, de Big Thief
‘Lost in Yesterday’, de Tame Impala
‘Stay High’, de Brittany Howard

Melhor álbum de música alternativa
‘Fetch the Bolt Cutters’, de Fiona Apple
‘Punisher’, de Phoebe Bridgers
‘Hyperspace’, de Beck
‘Jaime’, de Brittany Howard
‘The Slow Rush’, de Tame Impala

Melhor álbum latino ou urbano
‘YHLQMDLG’, de Bad Bunny
‘Pausa’, de Ricky Martin
‘3:33’, de Debi Nova
‘Mesa para Dos’, de Kany García
‘Por Primera Vez’, de Camilo

Melhor álbum de R&B progressivo
‘Ungodly Hour’, de Chloe X Halle
‘CHILOMBO’, de Jhene Aiko
‘Free Nationals’, de Free Nationals
‘F*** Yo Feelings’, de Robert Glasper
‘It Is What It Is’, de Thundercat

Melhor álbum de R&B
‘Take Time’, de Giveon
‘Happy 2 Be Here’, de Ant Clemons
‘To Feel Love/d’, de Luke James
‘Bigger Love’, de John Legend
‘All Rise’, de Gregory Porter

Melhor música de R&B
‘Better Than I Imagine’, de Robert Glasper com H.E.R. e Meshell Ndegeocello
‘Black Parade’, de Beyoncé
‘Collide’, de Tiana Major9 e Earthgang
‘Do It’, de Chloe X Halle
‘Slow Down’, de Skip Marley com H.E.R.

Melhor álbum de rap
‘Black Habits’, de D Smoke
‘Alfredo’, de Freddie Gibbs & The Alchemist
‘A Written Testimony’, de Jay Electronica
‘King’s Disease’, de Nas
‘The Allegory Royce’, de Da 5’9″

Melhor música de rap
‘The Box’, de Roddy Ricch
‘The Bigger Picture’, de Lil Baby
‘Laugh Now, Cry Later’, de Drake com Lil Durk
‘Rockstar’, de DaBaby com Roddy Ricch
‘Savage’, de Megan Thee Stallion com Beyoncé

Melhor performance de rap
‘Deep Reverence’, de Big Sean com Nipsey Hussle
‘Bop’, de DaBaby
‘What’s Poppin’, de Jack Harlow
‘The Bigger Picture’, de Lil Baby
‘Savage’, de Megan Thee Stallion com Beyoncé
‘Dior’, de Pop Smoke

Melhor performance pop solo
‘Yummy’, de Justin Bieber
‘Say So’, de Doja Cat
‘Everything I Wanted’, de Billie Eilish
‘Don’t Start Now’, de Dua Lipa
‘Watermelon Sugar’, de Harry Styles
‘Cardigan’, de Taylor Swift

Melhor performance de grupo ou duo pop
‘Un Día (One Day)’, de J Balvin, Dua Lipa, Bad Bunny e Tainy
‘Intentions’, de Justin Bieber com Quavo
‘Dynamite’, de BTS
‘Rain on Me’, de Lady Gaga com Ariana Grande
‘Exile’, de Taylor Swift com Bon Iver

Melhor disco de pop vocal
‘Changes’, de Justin Bieber
‘Chromatica’, de Lady Gaga
‘Future Nostalgia’, de Dua Lipa
‘Fine Line’, de Harry Styles
‘Folklore’, de Taylor Swift

Melhor performance de metal
‘Bum-Rush’, de Body Count
‘Underneath’, de Code Orange
‘The In-Between’, de In the Moment
‘Bloodmoney’, de Poppy
‘Executioner’s Tax (Swing of the Axe) – Live’, de Power Trip

Produtor do ano
Jack Antonoff
Dan Auerbach
Dave Cobb
Flying Lotus
Andrew Watt

Melhor álbum de jazz instrumental
‘On the Tender Spot of Every Calloused Moment’, de Ambrose Akinmusire
‘Waiting Game’, de Terri Lyne Carrington e Social Science
‘Happening: Live at the Village Vanguard’, de Gerald Clayton
‘Trilogy 2’, de Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade
‘Roudagain’, de Joshua Redman, Brad Mehldau, Christian McBride & Brian Blade

Melhor filme musical
‘Beastie Boys Story’, de Beastie Boys
‘Black Is King’, de Beyoncé
‘We Are Freestyle Love Supreme’, de Freestyle Love Supreme
‘Linda Ronstadt: The Sound of My Voice’, de Linda Ronstadt
‘That Little Ol’ Band From Texas’, de ZZ Top

Melhor álbum de música global
‘Twice as Tall’, de Burna Boy
‘Amadjar’, de Tinariwen
‘Love Letters’, de Anoushka Shankar
‘Agora’, de Bebel Gilberto
‘Fu Chronicles’, de Antibalas

Melhor álbum de jazz latino
‘Tradiciones’, de Afro-Peruvian Jazz Orchestra
‘Four Questions’, de Arturo O’Farrill & The Afro-Latin Jazz Orchestra
‘City of Dreams’, de Chico Pinheiro
‘Viento y Tiempo – Live at Blue Note Tokyo’, de Gonzalo Rubalcaba & Aymée Nuviola
‘Trane’s Delight’, de Poncho Sanchez

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico de artes Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo – Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *