Luccas Papp discute depressão e suicídio na peça digital A Ponte

Luccas Papp – Foto: Fernando Maia/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

O ator e dramaturgo Luccas Papp viveu questões fortes neste complicado 2020. O artista começou o ano atuando ao lado de Sergio Mamberti em seu texto O Ovo de Ouro, sobre o nazismo, e estreou outra peça, O Canto de Ninguém (indicada ao Prêmio Arcanjo de Cultura), sobre o universo da música erudita, ao lado da estrela dos musicais Fabi Bang, dias antes do decreto da quarentena. Em julho, sofreu um grande baque: perdeu o avô para a Covid-19. Mesmo assim, juntou forças para criar seu terceiro espetáculo neste ano, agora em formato digital: A Ponte.

Na encenação, interpreta Doni, um jovem músico que decide se jogar do alto de uma ponte e transmitir o ato em tempo real para os seus seguidores em uma live. Antes de pular, ele busca cumprir uma lista final de nove ações. “pré-suicídio”. A direção é assinada por Luccas Papp e Matheus Papp, que também opera a luz.

O forte tema propõe uma reflexão sobre a sociedade do cancelamento, a depressão e suas difíceis sequelas e, sobretudo, o perdão e a reinvenção. “A Ponte é um grito de liberdade em um momento em que estamos presos não só em nossas casas, mas em nossos próprios fantasmas e culpas”, pontua Papp.

A produção da LPB Produções e Nosso Cultural, de Ricardo Grasson, estreia dentro da programação do Festival Satyrianas, nesta quinta (3), às 20h. E terá quatro sessões, sempre quintas e sextas, às 20h, até 11 de dezembro, transmitida direto da Sala Alberto Guzik da SP Escola de Teatro da praça Roosevelt para todo o mundo pelas ondas digitais da Sympla/Zoom. As entradas custam apenas R$ 10. Retire aqui seu ingresso!

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Bob Sousa.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Please follow and like us:

1 Resultado

  1. 09/12/2020

    […] por ele, nesta quinta (10) e sexta (11), às 20h, na SP Escola de Teatro Digital. A peça digital aborda a depressão e mostra um artista que resolve se atirar do alto de uma ponte. Os ingressos podem ser retirados […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *