Maioria do público quer volta dos teatros, aponta pesquisa. E você?

Por Miguel Arcanjo Prado

Enquanto igrejas fazem cultos lotados de fiéis durante a pandemia, os teatros permanecem fechados no Brasil. E o público das igrejas canta e ora em voz alta, bate palmas e muitas vezes até dança, diferentemente do silencioso público teatral.

Por isso, tem causado estranheza e até mesmo revolta em certa parcela dos trabalhadores da cultura a proibição da volta das salas teatrais, mesmo que com todas as normas de segurança, público reduzido, com máscara e devidamente distanciado.

Uma pesquisa feita pela Bilheteria Express, empresa que vende ingressos na internet, aponta que a maioria da população que frequenta salas teatrais é favorável à volta dos espetáculos com os devidos protocolos de segurança.

Segundo Paulo Damas, sócio fundador da Bilheteria Express, 68% dos entrevistados na pesquisa disseram que voltariam a frequentar o teatro: 34% são favoráveis ao retorno e disseram que frequentariam as salas teatrais sem problema algum. Já outros 34% dos favoráveis ao retorno afirmaram que frequentariam as salas teatrais mesmo com um certo nível de desconforto.

Ainda de acordo com Damas, apenas 32% dos ouvidos responderam que não querem a volta dos teatros e que não estão dispostos a frequentar as salas teatrais sob nenhuma hipótese. “Ou seja, o setor só precisa do aval das autoridades públicas para iniciar a retomada”, conclui o executivo.

Foram ouvidos 732 espectadores de teatro em São Paulo e no Rio de Janeiro, sendo 60% mulheres e 40% homens com faixa etária predominante entre 20 e 45 anos. Do total de entrevistados, 297 trabalham com cultura ou entretenimento, ou seja, 41% dos ouvidos.

E você? É a favor ou contra a reabertura dos teatros? O Blog do Arcanjo quer saber sua opinião também! Deixe seu voto abaixo em nossa enquete!

Você é a favor ou contra a reabertura dos teatros?

Lives não trazem dinheiro ao teatro

A Liga dos Atores, Artistas e Produtores do Estado de São Paulo tem tentado que esse importante nicho do setor cultural seja reaberto o mais breve possível. Ao contrário da música, o teatro não tem conseguido muito dinheiro com as lives e os espetáculos digitais, que na maioria das vezes não conseguem patrocínio.

O teatro é um dos nichos do setor da cultura e da economia criativa que amarga mais perdas nesta pandemia.

Comparado a outros setores comerciais e religiosos que trabalham com concentração de pessoas, as salas de teatro mostram mais facilidade às adequações de higiene e segurança do que outros segmentos que já estão funcionando, como as igrejas por exemplo.

Luís Sobral, presidente do Conselho da Indústria Criativa da FIESP, afirma o seguinte: “Não faz sentido considerar alguns lugares mais ‘perigosos’ do que outros quando ambos seguem o mesmo padrão de edificação. Por que os equipamentos culturais não podem funcionar? Galerias, Salas de Exposição, Teatros. O que os difere dos que já estão operando? Justo a cultura que tão bem sabe cuidar do público e sempre operou com protocolos definidos”.

Sobre a capacidade de adaptação dos teatros às normas sanitárias contra o covid-19, a Liga dos atores e Produtores de São Paulo afirma: “São Paulo tem experiência, tem equipes profissionais, tem know-how em organizar eventos, espetáculos, feiras, cinemas, shows, além de sermos a locomotiva econômica da América Latina. Temos a certeza de que os teatros da cidade de São Paulo estarão aptos a receber seu público com um alto nível de segurança tanto para o público como para seus colaboradores”.

Sede do Pessoal do Faroeste, na Luz, em SP: teatro ameaçado de despejo por atraso no aluguel – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Salas independentes sofrem mais

Algumas casas de espetáculo promovidas por grandes bancos dificilmente passarão por alguma dificuldade financeira por conta dos meses fechadas pelo lockdown. Já não se pode dizer o mesmo dos teatros independentes, muitos dos quais estão fechando as portas ou sendo despejados.

São famílias que não estão pagando suas contas. No Brasil, a cultura representa 2% do PIB, gerando cerca de um milhão de empregos, dos quais 300 mil só em São Paulo. Calcula-se ainda que mais de 4 milhões de outros trabalhadores informais tenham renda a partir das atividades artísticas e culturais desse setor.

Mais da metade do público que frequenta teatro quer reabertura das salas, diz pesquisa – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *