Globo é ingrata ao demitir veteranos nos 70 anos da TV

Por Miguel Arcanjo Prado

Os 70 anos da TV foram comemorados pela Globo de forma estranha. Justo em um dos anos mais difíceis para todo o mundo e que marca a efeméride de sete décadas de televisão no Brasil, a emissora carioca resolveu demitir alguns de seus mais importantes colaboradores ao longo de sua história.

Às vésperas da data celebrativa, a Globo demitiu o casal mais emblemático da TV brasileira: os atores Tarcísio Meira e Glória Menezes, após 53 anos como estrelas do primeiro time da emissora, além daquele que é considerado um dos mais talentosos atores do veículo, Antonio Fagundes, este após 44 anos de contrato fixo na casa.

Não custa lembrar que a Globo já havia encerrado neste ano contrato de astros e estrelas não só do vídeo como dos bastidores, caso de Aguinaldo Silva, que escreveu algumas das mais importantes e lucrativas histórias globais, a exemplo de Tieta, Senhora do Destino, Roque Santeiro e Vale Tudo.

Outro nome de texto saboroso, além do talento como ator e diretor, Miguel Falabella também foi dispensado após quase 40 anos de contrato. Outros que estavam na Globo também havia mais de quatro décadas foram demitidos, como Vera Fischer e Stenio Garcia.

Tony Ramos, grande nome que permanece contratado, mas tudo indica que pode estar na lista dos futuros demitidos, se posicionou contra a dispensa de Tarcísio e Gloria, dizendo que a Globo não deveria ter feito isso. Assustadas, as estrelas da emissora temeram a demissão de Laura Cardoso como presente de grego em seus 93 anos.

Outro bastião da história global, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, também foi contra a onda atual de dispensas, lembrando que os medalhões deveriam ser tratados como “investidores”, afinal foram para a Globo apostando em um sonho que deu certo pela soma de talentos, no começo conduzidos por ele e Walter Clark, executivos em quem Roberto Marinho fez grande e vitoriosa aposta.

Mas, a atual direção da Globo não parece preocupada com seus antigos talentos nem com a própria história do canal. Basta ver boa parte do time de jovens atores contratados pela emissora, gente que mais se preocupa em posar para o Instagram do que em criar uma personagem verossímil.

Nos 70 anos da TV, a Globo é ingrata ao desvalorizar seus mais importantes nomes com a carta de demissão. Assim, a emissora copia o terrível comportamento de gente que insiste em desprezar quem lhe abriu caminhos. Com isso, a Globo perde respeito da crítica especializada, da classe artística e do público que passou a vida vendo o plim plim.

Ouça o Podcast do Arcanjo

Siga @miguel.arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *