Leona Jhovs é destaque em série e reforça inclusão trans nas artes

Por Miguel Arcanjo Prado

Atriz trans que vem conquistando cada vez mais seu espaço nas artes, Leona Jhovs celebra a personagem Lilith, a narradora da série No Fim Eu Tava Sozinha. A produção produzida de forma remota e com 12 episódios está no Instagram @nofimeutavasozinha. O roteiro mostra 12 personagens em estado de isolamento e com rotinas prévias ao fim do mundo que se aproxima.

Em conversa com o Blog do Arcanjo, Leona faz questão de reforçar que não é a única artista trans com produção inédita nesta quarentena. E lembra colegas: “Fábia Mirassos, Maria Leo Araruna, Renata Carvalho e Bernardo Assis, que são artistas trans, estão no elenco de Nós, série que o Canal Brasil acaba de lançar com seis episódios. Além disso, a Marina Mathey, também artista trans, está na quarta temporada de 3%, da Netflix”, comemora.

Mesmo assim, Leona Jhovs lembra que o momento “é difícil” para artistas trans, que além de ser um grupo social vulnerável não têm sido chamadas para ações com cachê nesta quarentena. “Principalmente quando se fala de lives artísticas remuneradas de grandes instituições culturais, percebo que não estão convidado artistas trans e travestis”, pontua a atriz. É preciso incluir de fato, e não só no discurso, minha gente.

Siga @miguel.arcanjo

A atriz Leona Jhovs – Fotos: Fabio Audi/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Jô Soares sofre censura após morte Diário de Pilar na Grécia faz temporada no Teatro das Artes em SP O Deus de Spinoza estreia no Teatro Itália Bandeirantes Teatro nos Parques percorre SP e Brasil ‘Se fosse homem, teria mais visibilidade’, diz Eloisa Vitz