Cantor previu pandemia em faixa apocalíptica: “Eis aí meu assombro”, diz Wander B.

Delírios de Um Deus Voyer, de Wander B. – Foto: Arte de Jezz Chimera/Divulgação – Blog do @miguel.arcnajo

Uma inquietude transformada em olhar ferino para os absurdos dos tempos atuais resultou em uma letra poético-apocalíptica composta dois anos atrás e que se encaixa assombrosamente com os dias de hoje.

Assim o artista Wander B. define Dois Quilos de Carne de Segunda, faixa de abertura de seu quinto álbum, Delírios de um Deus Voyeur, e que o músico acaba de lançar nas redes. A canção composta por ele tem arranjo do músico Luiz Fernando Montanher, que toca o piano da faixa.

Segundo conta ao Blog do Arcanjo, trata-se do terceiro trabalho no formato piano e voz, o que define como uma “radicalização de uma pesquisa” desenvolvida em seus discos anteriores, Flores numa Quarta Qualquer, de 2012, e O Cabaré das Canções Inúteis, de 2016. Jezz Chimera assina a capa de Delírios de um Deus Voyeur.

A fatalista poesia da canção Dois Quilos de Carne de Segunda surgiu após provocação artística e dramatúrgica que Matteo Bonfitto fez ao artista em 2018, conta Wander B., que disse ter pensado o texto primeiramente para o teatro. Agora, com a pandemia do novo coronavírus, se assustou com a espécie de profecia escrita.

“Parece que eu acabei de escrevê-la na solidão da quarentena nesse quarto e sala do Bixiga. Eis aí o meu assombro. Mas também o meu desejo de compartilhar, afinal, o que me parece é que a pandemia está possibilitando que algumas fraturas da nossa organização social fiquem ainda mais expostas. Talvez, por isso, um texto de dois anos atrás, ganhe essa dimensão de assombro no aqui-agora”, declara.

Além do álbum, o artista está envolvido em outros projetos nestes últimos dias. “Participei de um curta-metragem como ator e dramaturgo, reavivei um projeto de rock que estava parado há muitos anos e agora na pandemia já lançamos algumas faixas, estou finalizando uma performance-internética pra jogar no mundo também e, principalmente, trabalhando no lançamento deste novo álbum solo”, revela.

Mesmo mantendo todo esse ritmo, ele reforça: “Não acredito que todo artista deva se manter produtivo e muito ativo nesse período, é um período delicado, tenho colegas que estão mias retraídos e é compreensível. Outros estão criando mais do que nunca. Eu estou fazendo muitas artes, isso me ajuda a me manter vivo: não é a primeira vez que a minha relação com a arte se estabelece dessa forma, eu digo, como algo vital”, conclui.

Ouça o álbum Delírios de um Deus Voyeur, de Wander B., no Spotify

Escute a seguir a faixa Dois Quilos de Carne de Segunda, de Wander B.:

Siga @miguel.arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *